As cólicas nos bebês!

Nos primeiros meses de vida, o organismo do bebê ainda está em formação, acostumando-se com tudo do lado de fora do útero da mamãe. E por isso, é comum os bebês sentirem cólicas. O Blog Homeopatia e Saúde foi buscar respostas às dúvidas mais frequentes dos pais quando o assunto é cólicas em bebês.

É um choro contínuo e inconsolável; que deixa os pais desesperados, pois nada parece resolver. E essas crises parecem durar uma eternidade. É desgastante. Cedo ou tarde as cólicas aparecem, tirando sono de mães e pais. Segundo a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, pediatra e homeopata, desde os primeiros escritos médicos já se tem notícias de cólicas em bebês. A explicação cientifica é que durante a gestação, enquanto feto o bebê não tem estimulada a musculatura do tecido intestinal. Já nas primeiras mamadas do bebê o intestino começa a encher e o esvaziamento se dá por contração desta musculatura, que costuma ser doloroso. “Esse processo de ajuste do organismo pode ocorrer até os 3 meses de idade, quando esta musculatura amadurece e se ajusta aos novos movimentos. E o esforço já não é tão doloroso”, explica Dra. Ana Lucia.

É bom lembrar que cada bebê é um ser diferente, e por isso tem comportamento relativo a dor também diferente. Existem bebês que são muito mais sensíveis a estímulos dolorosos, e outros mais tolerantes. Há casos de bebês que passam por essa fase sem nenhuma cólica. De acordo com a Dra. Ana Lucia essa característica de maior ou menor tolerância à estímulos que causam dor parecem ser hereditários, herdada principalmente da mãe. “Bebês filhos de pais ou mães, sensíveis demais seja na infância ou mesmo na fase adulta a quadros dolorosos, podem ter filhos com estas mesmas características”, expõe Dra. Ana Lucia.

Dra. Ana recomenda que para evitar que os bebês tenham essa intolerância a dor as mães, devem fugir do uso de analgésicos durante a gestação. Isso pode diminuir a capacidade reacional ao estimulo doloroso do bebê em formação. “Também é sabido, mas não custa lembrar que não se deve medicar sem a prescrição médica o bebê, pois o uso indiscriminado de substancias analgésicas podem sensibilizar demais esta criança para o futuro dela”, completa a pediatra.

Atenção

BebeApesar de muitas pessoas tenderem a acreditar que seja mito, a alimentação da mãe que amamenta pode sim causar cólicas no bebê. Mas isso não quer dizer que a mãe deve deixar de comer tudo que pode causar o incomodo, pois muitos desses alimentos são importantes para o organismo da mãe que amamenta e do bebê que precisa da substância. A Dra. Ana Lucia explica como agir diante de alguns alimentes que podem causar cólicas: “Alguns desses alimentos são importantes fontes de ferro e proteína vegetal, como as leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico). Para consumi-los a dica é deixá-los de molho em água pura e limpa, por 12 horas antes do cozimento. Troque a água antes de cozinhar. A mesma dica pode ser utilizada com folhas verdes escuras (couve manteiga, mostarda, escarola). Elas podem ficar de milho em água pura e limpa 30 minutos antes de cozinhar e depois de lavadas”, informou Dra. Ana Lucia.

Porém alguns alimentos devem mesmo ser evitados pelas mães que estão amamentando. “No caso de embutidos como salsicha, linguiça, frios (salame, mortadela, presunto e outros da mesma natureza), temperos artificiais prontos industrializados (mostarda, pimenta, ketchup, maionese, caldos prontos, etc) deve-se mesmo evitar o consumo. Pois podem provocar cólicas nos bebês e não trazem nenhum benefício nutricional para ambos (mães e bebês) ”, explica a médica.

Boa notícia – assim como começam, as cólicas um dia sessam. Segundo nossa especialista, por volta de 3 a 5 meses de idade do bebê. “Mas existem crianças que podem ir além deste prazo, sendo assim o pediatra deve ser consultado para fazer uma diferenciação diagnóstica. Com os refluxos, as síndromes de má absorção, intolerância a lactose, etc.”, relata Dra. Ana Lucia.

E como acalmar os bebês com cólica?

downloadMantenha-se calmo. Essa é a primeira dica. Calma e paciência pois as crises tendem a melhorar conforme o bebê cresce. Também é bom lembrar que brigar com o bebê só vai deixa-lo mais nervoso e irritado. “O pais , podem  colocar uma bolsa de água quente sobre o abdômen do bebê (cuidado com a temperatura), o calor local alivia bastante. Podem também massagear levemente a barriga do bebê no sentido horário, o que pode dar um grande alívio. Essa massagem pode ser feita com óleo antialérgico, pois que facilita a massagem” dá a dica a pediatra.

O importante é lembrar que essa é uma fase normal. E que o pediatra de sua confiança deve sempre acompanhar o bebê.

 

2015-11-23T13:55:55-02:00 23/11/2015|CRIANÇAS, SAÚDE|0 Comentários

Deixar Um Comentário