Tag Archives: saúde da mulher

Ser Mulher: Depilação: boas práticas para evitar inflamações

Você já notou bolinhas vermelhas na virilha após a depilação? Essas bolinhas são pelos encravados que não conseguem despontar e ficam “presos” dentro da pele, causando a foliculite e até mesmo inflamações mais doloridas.

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, na sua coluna especial de saúde feminina, SER MULHER, ensina como lidar com a depilação de modo a evitar a foliculite.

A foliculite pode aparecer após qualquer tipo de depilação, seja a cera, com pinça ou lâmina – essa, em especial, tendem a causar o problema com mais frequência. Alguns cuidados podem ser tomados para evitar que isso aconteça. Veja abaixo!

Antes de depilar

  1. Desobstruindo os poros antes da depilação

Massagear com água morna/quente ou fazer uma esfoliação antes de começar a depilação ajudará a remover células mortas da pele e permitindo que os poros estejam mais livres para o surgimento dos pelos.

  1. Cuidados com a lâmina

Se utiliza gilete para depilar, alguns cuidados são essenciais. Prefira lâminas descartáveis, principalmente se tem uma pele mais sensível. E nunca, nunca faça depilação com lâminas velhas e enferrujadas, que podem trazer riscos piores que a foliculite. Outra recomendação importante é que tenha suas próprias lâminas ao invés de compartilhar com outra pessoa.

  1. Use cremes para depilar com lâmina

Se costuma depilar com gilete, o ideal é utilizar cremes específicos. Cremes de barbear são uma opção, mas também pode optar por cremes e espumas especiais para depilação feminina em zona íntima. Evite utilizar sabonetes nessa zona, pois podem causar ressecamento da pele e piorar a foliculite.

Cuidados pós-depilatório

  1. Óleos e hidratantes para a pele

Após a depilação, a zona estará sensível e precisa de cuidados. Não esfregar a toalha é uma boa prática para evitar machucar os poros. Também recomendamos utilizar óleos vegetais (coco ou amêndoa são boas opções) ou cremes sem álcool e sem fragrância.

  1. Roupas confortáveis

Evite utilizar roupas apertadas e tecidos sintéticos logo depois de depilar. Prefira roupas mais soltas e tecidos que deem espaço para a pele respirar, como algodão. 

  1. Nada de praia ou piscina depois de depilar

Quando a pele é depilada, especialmente na zona íntima, os poros ficam abertos e sua pele está completamente exposta. O risco de machucar ou contrair alguma bactéria é muito grande. Evite entrar em piscinas, que podem conter cloro e bactérias, bem como mares, rios e não exponha a pele ao sol.

Seguir corretamente essas práticas ajudará a prevenir as “bolinhas” da foliculite, bem com as inflamações indesejáveis e deixará sua pele mais bonita e saudável. Veja também os 10 erros mais comuns na hora do banho!

Tags: depilação, saúde da mulher, homeopatia e saúde

Por que mulheres sentem mais sono e cansaço que homens?

Existe diferença na sensação de sono e cansaço entre homens e mulheres? A ciência diz que sim. E o Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, vai te contar o motivo por trás disso.

 

Quem disse?

Vários estudos científicos sugerem que as mulheres não só se sentem mais cansadas e exaustas que os homens, como também precisam de mais horas de sono que eles para estarem bem e saudáveis.

Um estudo realizado pelo Centro de Pesquisa do Sono, na Loughborough University (Reino Unido), comprovou que as conexões cerebrais fazem com que o sexo feminino necessite de mais horas de sono que pessoas do sexo masculino.

A pesquisa concluiu que elas precisam dormir mais porque acumulam mais atividades simultâneas durante o dia, o que também justifica o cansaço. O cérebro das mulheres funciona de modo diferente e o acúmulo de atividades exige mais das atividades cerebrais, aumentando a sensação de cansaço e exaustão. Os cientistas avaliaram um grupo de 420 pessoas, metade de cada sexo, e descobriram que mulheres apresentam mais problemas de saúde.

Outro estudo, dessa vez realizado pelo Centro de Prevenção e Controle de Doenças, nos Estados Unidos, mostrou que mulheres entre 18 e 44 anos são duas vezes mais propensas a se sentirem muito cansadas ou exaustas em comparação aos homens da mesma idade.

A especialista Lisa Shives também afirma que as mulheres têm o dobro de probabilidade de terem insônia. E justifica: uma vez que as mulheres agora trabalham fora, mas ainda são responsabilizadas com grande parte dos afazeres domésticos e familiares, faz sentido que se sintam mais esgotadas.

 

E o que fazer para resolver?

A resposta pode parecer óbvia: dormir. Ainda que isso não seja tão fácil na correria do dia a dia, ignorar os sinais de cansaço e exaustão do corpo é uma atitude muito perigosa. A falta de sono apropriado aumenta os riscos de:

  • Hipertensão
  • Câncer
  • Diabetes
  • Depressão
  • Aumento de peso
  • Estresse psicológico
  • Instabilidade emocional
  • Irritabilidade

 

Essas são só alguns dos riscos, mas o efeito em cadeia pode trazer muitos outros problemas de saúde que o corpo notifica através de sinais, como fadiga, lapsos de memória, baixa imunidade, entre outros.

Lisa Shives diz que as pessoas tratam o sono como se fosse uma atividade recreativa e tendem a cortá-lo de sua agenda, mas frisa: “sono não é negociável”. Organizar a agenda diária de modo a se permitir dormir melhor é essencial.

Além disso, outras práticas recomendadas são a mudança dos hábitos alimentares, com especial atenção ao que se come antes de dormir, e a prática regular de exercícios para aliviar o estresse e ajudar o corpo a descansar melhor.

Higiene Íntima: 5 coisas que você não deve fazer após o sexo.

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, selecionou um artigo que esclarece 5 coisas que não devem ser feitas após o ato sexual para cuidar da sua saúde íntima.

A ginecologista Leslie Page foi consultada pela revista Women’s Health e comentou algumas práticas que são comuns após o sexo, mas podem prejudicar as partes íntimas femininas. A médica explica que a vagina produz lubrificação quando estimulada e a fricção durante o sexo deixa a região sensível, exigindo cuidados especiais. Veja o que não deve ser feito após o ato sexual:

 

  1. Não fazer xixi

A penetração do pênis pode permitir a entrada de bactérias que ocasionam a infecção urinária na vagina. Fazer xixi dentro da primeira hora após o sexo pode ajudar a eliminar as bactérias e, assim, ajudar a proteger o seu órgão.

  1. Lavar a região com sabonete

Tomar banho logo após o sexo é positivo, mas é necessário ter atenção. Usar sabonete na vagina pode provocar irritação e ressecamento na área.

  1. Imersão em água quente

Banho quente de banheira após o sexo pode parecer bom, mas oferece um grande risco de infecção, principalmente na companhia do parceiro.

  1. Utilizar lenços umedecidos

Dada a composição química dos lenços, usá-los pode causar irritações na vagina. Sempre prefira o básico papel higiênico.

  1. Dormir com lingerie

Se a sua lingerie não é de algodão, o melhor é tirar antes de dormir. Tecidos sintéticos não deixam a pele respirar corretamente, o que aumenta o risco de infecção, já que a região íntima fica úmida e quente após o ato sexual, propiciando a ploriferação de bactérias.

 Leia o texto na íntegra: https://goo.gl/FHJbzw

Voltar a malhar amamentando

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, selecionou um texto do portal da revista Pais e Filhos que explica para as mamães o que perguntar ao médicos quando quiserem voltar a malhar, ainda no período de amamentação,

Segundo o texto, as novas mamães que querem recuperar a boa forma ficam com medo pois há lendas que contam que o exercício físico pode interferir na produção do texto.

A reportagem selecionou algumas perguntas como:

– “Exercício físico seca o leite?”

– “Quando se pode começar a atividade física?”

– “Quanto tempo esperar após a atividade física para amamentar?”

– ”É necessário beber mais líquidos?”

– “É necessário uso de roupa (top) especial para exercícios?”

–  “É permitido o uso de suplementos durante a amamentação?”

 

Leia o texto na íntegra e saiba essas e outras respostas. https://goo.gl/m8Uexw

7 hábitos que toda mulher deve abandonar

Além de visitas frequentes ao ginecologista, a mulher aprende bem cedo que alguns hábitos são essenciais para sua saúde ginecológica. O texto publicado pelo portal Vix e garimpado pela equipe do Blog Homeopatia e Saúde, é uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, alerta sobre 7 hábitos que toda mulher deve abandonar para manter sua saúde em dia.

1 – Não demorar muito de uma visita a outra no ginecologista – os especialistas recomendam ir de 6 em 6 meses.

2 – Esperar o início da vida sexual para ir ao ginecologista. É importante que a adolescente também visite o ginecologista.

3 – Esconder ou não comentar os incômodos com o médico. Realmente não é fácil se abrir, mas o médico precisa saber o que se passa para tratar.

4 – Usar produtos mirabolantes para higiene intima. Os ginecologistas recomendam água e sabão. Nada a mais é recomendado.

Leia na íntegra: https://goo.gl/Wf9NM3

Saúde da Mulher – 8 situações que podem prejudicar até a vida sexual

habitos-detonam-vagina-vida-sexual-1A região íntima da mulher merece cuidados que são importantes para evitar irritações, infecções e corrimentos, entre outros problemas. O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, recomenda que toda mulher deve frequentar um ginecologista de confiança periodicamente.

Porém, pensando em alertar para algumas situações comuns, selecionamos um texto do portal Vix, que apresenta 8 situações corriqueiras que podem atrapalhar a saúde da mulher. Leia atentamente, e caso tenha dúvidas, procure seu médico de confiança:

1 – Não compartilhe o sabonete – Cada pessoa deve usar o seu sabonete. O mesmo vale para buchas e esponjas de banho, no caso de uso de sabonete líquido. Aliás, a melhor opção é mesmo os sabonetes líquidos, que evitam a situação do compartilhamento.

2 – Cuidado com o uso de lenços umedecidos – Numa emergência o uso desses produtos pode ser útil, mas, se usados com frequência, podem causar alergias e irritações, já que esse tipo de produto contém substâncias químicas, como as que geram o perfume. ATENÇÃO também ao uso de lenços umedecidos em crianças, pois pode também fazer mal.

3 – Papel higiênica perfumado – da mesma forma que o lenço umedecido, as substâncias químicas que dão cheiro ao produto também são as responsáveis por desencadear alergias e coceiras. Dê preferência a versão tradicional, sem perfume, o produto. Leia na íntegra as 8 dicas http://goo.gl/Xph1xu

6 mudanças na saúde que a mulher não deve ignorar

menopausa-calorMulheres, atenção, depois dos 40 anos você terá mudanças no corpo que podem indicar a aproximação da menopausa. Por mais conhecidos que esses sintomas possam parecer, procure um médico homeopata de sua confiança para tirar todas as suas dúvidas. Lembre-se, a homeopatia é eficaz para controlar os sintomas da monopausa.

O Blog Homeopatia e Saúde, vinculado à Clínica Similia – Homeopatia em São Paulo, na região da avenida Paulista, e aos doutores Ana Lucia Dias Paulo e Ariovaldo Ribeiro Filho, selecionou um texto que aponta 6 sintomas que a mulher não deve ignorar.

1 – Alterações no ciclo menstrual: as mudanças de fato são comuns na menopausa, mas vale lembrar que atrasos e irregularidades também podem indicar desequilíbrio hormonal, doenças da tireoide, miomas uterinos, pólipos uterinos ou mesmo câncer cervical ou uterino. Exames clínicos indicados por um médico vão ajudar a entender melhor o problema.

2 – Ondas de calor:suor noturno e sentimento de aquecimento exagerado do corpo não devem ser ignorados, pois podem ser sinais de hipertireoidismo, cujos sintomas são rubor, sudorese, intolerância ao calor, palpitações cardíacas e insônia.

3 – Queda de cabelo:é normal que um adulto perca cerca de 100 fios de cabelo por dia, mas quando a queda parece exagerada, vale consultar um médico e procurar fazer exames, já que pode ser um dos sintomas de hipotireoidismo que, se não for tratada, pode aumentar o colesterol e o risco de doença cardíaca.

Leia na íntegra: http://goo.gl/snMDRv

Depressão Pós-parto – Como a Homeopatia pode te ajudar a sair dessa

depressaoposparto-704x400

Aprenda a diferenciar “Baby Blues” de “Depressão pós-parto” e veja como a homeopatia possui a resposta eficaz para esse transtorno, no segundo post da série Ser Mulher

Estima-se que entre 50 e 80% das mulheres passem por episódios de tristeza após o parto – o chamado Baby Blues. O problema é quando esse quadro não melhora após aproximadamente 15 dias: pode ser depressão pós-parto.

A gravidez é um período de muitas mudanças na mulher, principalmente por causa das alterações hormonais – comuns nesta fase. É muito corriqueiro no período gestacional o relato de mulheres que sofrem com variações de humor, irritação, ansiedade ou tendência a chorar por qualquer motivo.

Essa instabilidade emocional pode piorar com a chegada do bebê: a acentuada queda dos hormônios sexuais realça episódios de sentimento de tristeza inesperados. De 50 a 80% as mulheres que acabaram de dar à luz podem desenvolver uma tristeza típica do pós-parto conhecida como Baby Blues.

Este quadro de tristeza, relacionado com a nova vida que vem com o bebê (onde a mãe agrega para si inúmeras novas responsabilidades e uma nova vida) costuma curar-se sozinho após uma ou duas semanas.

 

Mas como diferenciar o Baby Blues da Depressão Pós-parto?

depressao-pos-parto-1

Há alguns casos em que em vez de melhorar o quadro vai piorando e impede a mulher de desenvolver sua maternidade, tornando-a incapaz de exercer as tarefas mais simples do dia a dia, interferindo na vida de toda a família ou das pessoas mais próximas. Nesse caso, um profissional deve ser consultado o mais rápido possível, pois pode tratar-se de Depressão Pós-parto.

Se durante a gravidez o organismo da gestante produz uma quantidade elevada de hormônios, algumas horas após o parto o nível desses hormônios cai de forma rápida e intensa – esse é um dos motivos que  podem colaborar para o desencadeamento de transtornos emocionais no pós-parto.

A diferença básica entre Baby Blues e Depressão pós-parto é que, enquanto o primeiro pode ser chamado de “fisiológico” – sumindo do mesmo jeito que apareceu –, o segundo pode ser devastador e transformar-se numa doença crônica.

 

Quem pode desenvolver pode desenvolver depressão pós-parto?

Mulheres com histórico de depressão antes da gravidez, ou de depressão gestacional, são mais suscetíveis a desenvolver a doença, porém, alguns eventos durante a gestação podem levar a mulher a desenvolver depressão no período que segue após o nascimento do filho.

Em entrevista ao site Minha Vida o Psicólogo Maurício Pinto alerta que “a depressão pós-parto pode ter origem pré-parto, quando a mulher pode sentir-se mais feia, gorda, não desejada pelo parceiro. Somadas a algumas intercorrências durante a gestação como: crises conjugais, o momento pessoal, problemas financeiros ou falta de apoio, podem tornar esta fase um pouco mais complicada, causando insegurança e carência na mulher”.

Young lonely pregnant women sitting on the kitchen floor.

 

Como a Homeopatia pode ajudar nesse quadro?

A Homeopatia tem um efeito bastante eficaz no tratamento da Depressão Pós Parto, atuando diretamente nas emoções. Já na consulta homeopática acontece uma minuciosa entrevista, na qual é possível detectar desequilíbrios emocionais existentes, promovendo tratamento para os desequilíbrios detectados.

Por ser um tratamento à base de elementos da natureza, os medicamentos homeopáticos podem ser utilizados com tranquilidade pela paciente, pois não interferem na qualidade da produção de leite e, por conta disso não prejudicam a amamentação – que pode até ser uma aliada na cura da doença, uma vez que fortalece o vinculo entre mãe e bebê.

tumblr_lvwjvngu2p1qi1hx1o1_1280__1_

Quanto mais rápido a paciente procurar ajuda, mais terá chances de curar a doença em curto período, recuperando seu equilíbrio e assumindo o seu novo papel como mãe.

Não sinta vergonha em falar com seus amigos e parentes caso desconfie que esteja passando por isso. Lembre-se que a depressão não é culpa de ninguém e que com apoio e carinho fica mais fácil vencê-la.

Rosa pela vida

O mês de outubro começa com as jornadas de conscientização e prevenção contra o câncer de mama, com os eventos do Outubro Rosa. A cada ano surgem cerca de 57 mil* novos casos de câncer de mama, a maior parte deles entre mulheres acima dos 35 anos. Você faz ideia de o que é, como prevenir ou tratar? 

canceeeeeeeeer 56987458

Segundo câncer que mais mata no mundo e o primeiro entre mulheres, o câncer de mama quando detectado e tratado precocemente apresenta grandes chances de cura.

No Brasil, as taxas de mortalidade relacionadas ao câncer de mama ainda são altas e isto se deve, provavelmente, pelo diagnóstico tardio: muitos pacientes costumam descobrir a doença quando a mesma encontra-se já em estado avançado.

Considerado relativamente raro antes dos 35 anos, após esta idade a incidência cresce rápida e progressivamente. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) a estimativa é de 57.120 novos casos com 13.345 mortes só no ano de 2014. Embora homens também possam desenvolver a doença ela é esmagadoramente mais comum em mulheres e, muitas vezes, é confundida com uma doença exclusivamente feminina.

O Outubro Rosa, surgiu com a necessidade de conscientizar, prevenir e apoiar a luta contra o câncer da mama e durante todo o mês de outubro prédios públicos e privados ‘vestem o rosa’ como forma de lembrar a população sobre a importância do diagnóstico precoce para vencer a doença. Este mês, em todo o Brasil, acontecem diversas atividades voltadas ao tema que vão de caminhadas solidárias a mutirões para realização de exames preventivos.

Já que a detecção precoce é determinante no sucesso do tratamento, veja nos parágrafos a seguir as quantas andam seus conhecimentos sobre o assunto.

 

 

Quem pode ter?

O câncer de mama acomete homens e mulheres, sendo maior incidente entre elas, principalmente após os 35 anos de idade.

É sabido que fatores como: Obesidade, sedentarismo, idade avançada, ingestão de bebidas alcoólicas, primeira menstruação antes dos 12 anos, menopausa após os 50 anos, ausência de filhos ou maternidade após os 35 anos, não amamentação, exposição prolongada a hormônios femininos (anticoncepcionais e reposição hormonal a base de estrogênio e progesterona), o uso de anticoncepcionais orais antes da primeira gestação, além de histórico familiar e pré disposição genética (portadores do gene BRCA1 e BRCA2 correm mais riscos), são considerados fatores de risco no desenvolvimento do câncer de mama.

No entanto, alguns pacientes desenvolvem a doença sem apresentar algum dos fatores de risco descritos.

Sintomas

O sintoma palpável do câncer de mama costuma ser um nódulo único, endurecido acompanhado de dor ou não no seio ou nas axilas.

Além da presença de um nódulo, podem surgir alterações na pele que recobre a mama, como a deformidade e/ou aumento da mama, inclusive no mamilo, ou aspecto semelhante à casca de laranja. Vermelhidão, edema, dor e secreção no mamilo também são sinais de alerta.

Exemplo-de-12-sintomas-do-Cãncer-de-Mama

 

Prevenção e Diagnóstico

A melhor forma de prevenção contra o câncer de mama é evitar os fatores de risco descritos acima e a partir dos 20 anos de idade, submeter-se a exames que possam diagnosticar precocemente a doença.

A prática de esportes aliada a uma alimentação saudável e o controle do peso saudável são os maiores aliados não só contra qualquer tipo câncer, mas para a manutenção da boa saúde no geral.

A mamografia – que é um exame de raios-X das mamas – é a mais indicada para a prevenção e/ou diagnostico precoce. Deve ser feita a cada dois ou três anos se você tem entre 20 e 40 anos e anualmente após os 40 anos de idade.

Apesar da maioria dos nódulos serem benignos, caso a mamografia detecte algum, será solicitada uma biópsia para determinar se a lesão é maligna ou não e seu estadiamento (análise das características e da extensão do tumor).

O auto-exame

O auto-exame deve ser feito a partir dos 20 anos todos os meses, de preferência no 7º ou 8º dias após o início da menstruação, se você é mulher.

Apesar de cerca de 90% dos tumores serem descobertos pelas próprias pacientes em casa, o INCA não recomenda o auto-exame como método isolado de prevenção contra o câncer de mama. Isto por que o auto-exame não é eficaz para a detecção precoce de tumores, não contribuindo para a redução da mortalidade por câncer de mama.

Deve ser feito, sim, como forma de consciência corporal e como exame complementar, nunca como substituto do exame físico realizado pelo profissional de saúde.

mulheres-com-cancer-de-mama-60-202

Auto exame ajuda a detectar nódulos, mas não deve ser a forma exclusiva de diagnóstico

Tratamento

O tratamento varia conforme o tipo e o estadiamento do câncer. Os mais indicados são: quimioterapia (uso de medicamentos para matar as células malignas), radioterapia (radiação), hormonoterapia (medicação que bloqueia a ação dos hormônios femininos) e cirurgia, que pode incluir a remoção do tumor ou mastectomia (retirada completa da mama); isolados ou combinados.

Procure as atividades que envolvem prevenção e diagnóstico contra o câncer de mama do Outubro Rosa no Posto de Saúde mais próximo para juntos vencermos esta batalha!

outubrorosa2

*Dados do INCA em 2014