Tag Archives: reeducação alimentar

Emagrecer é uma questão de atitude

Se você é uma das pessoas que pensam que emagrecer é uma finalidade, está na hora de mudar os conceitos. O emagrecimento é um processo e não um fim. Não é apenas uma questão de fazer dieta e restringir a ingestão de calorias, mas principalmente de atitudes e estilo de vida.

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, selecionou um artigo com as atitudes essenciais que vão te ajudar a emagrecer. Confira a lista feita pela nutricionista especialista Roberta Stella!

 

  1. Não pense a curto prazo

Sempre projete e idealize para longo prazo. Perder peso é uma mudança de hábitos e estilo de vida, por isso deve ser sempre pensado de forma gradual. Trabalhe com metas como um quilo por semana ou mesmo meio quilo.

 

  1. Seja otimista

Pensamento positivo também é um estilo de vida. Boas atitudes atraem boas energias, então nada de pensar que tudo e todos estão contra você.

 

  1. Foco na meta

Seu foco não deve ser na restrição de alimentos, mas sim no objetivo de peso. A boa alimentação será uma escolha consequente.

 

  1. Não dê chance para a ansiedade e estresse

Quando perceber a aproximação desses pensamentos negativos, faça algo que goste para descontrair antes de pensar em descontar na comida.

 

  1. Nada de desculpas

Se quer realmente emagrecer, não se dê desculpas para comer aquilo que está na meta para ser evitado. Não deixe os doces tão acessíveis ou estará se boicotando.

 

Leia na íntegra: https://goo.gl/YpfAOy

Tags: emagrecer, reeducação alimentar, hábitos saudáveis

 

Reeducação alimentar – dicas para não falhar sua dieta

Campeã entre os assuntos mais pedidos nos consultórios médicos, as dietas emagrecedoras ainda geram muitas dúvidas. Nem só de “pode isso, não pode aquilo” vive uma reeducação alimentar. Pensando nisso, elaboramos um guia prático com dicas para ajudar a emagrecer e não voltar a engordar.

Leia com atenção e depois nos conte o resultado. Boa sorte.

dieta e homeopatia

Planejamento – Antecipe o que vai comer. Monte um cardápio balanceado com saladas, sopas, variações de pratos com carnes magras, legumes, verduras e frutas. Aumente o consumo de fibras. Lembre-se de usar os alimentos de sua preferência. Se puder, utilize o apoio de um nutricionista.

Vá às compras – Baseado no seu cardápio, prepare sua lista de compras. Além de ajudá-lo a evitar “guloseimas”, a lista ajuda a manter seu bolso saudável, evitando gastos desnecessários. Lembre-se de não ir ao mercado com fome ou no horário das refeições. Não compre ou não tenha à vista ou à mão guloseimas que possam te fazer sair do foco. Mantenha à vista frutas e alimentos saudáveis. Quando bater a fome, você pensará neles primeiro.

Mantenha a rotina – Tente comer a cada 3 horas ou com regularidade (café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia). Longos períodos sem comer fazem com que exagere na próxima refeição. Nessa regra também está o jejum: não saia de casa em jejum. Comer pequenas porções regularmente acelera o metabolismo e melhora a forma como o seu organismo lida com o alimento.

Foque na refeição – Desligue a TV, o computador, o whatsapp, o Facebook e preste atenção no que está comendo. Faça as refeições em um lugar apropriado. Mastigue bem e coma com calma, sem pressa. Abaixe os talheres no prato entre uma garfada e outra. O estômago leva um tempo para avisar o cérebro que está cheio e, assim, você se sentir saciado. Se você comer muito rápido já estará satisfeito mas ainda não saberá. Por isso, comece a refeição com a entrada (saladas, sopas ou variações), pois elas fazem volume no estômago e proporcionam uma sensação de saciedade, matando a fome.

desligue o celular homeopatia

Caia fora – Evite beliscar entre as refeições ou durante atividades que peçam um petisco: a pipoca enquanto assiste o filme, o quitute enquanto joga cartas, etc. Outra atitude que deve ser evitada é “ajudar” as crianças pequenas a limpar o prato.

Acalme-se – Estresse e ansiedade aumentam a fome de muitas pessoas. Se você é uma delas, procure atividades relaxantes antes das refeições. Vale ouvir uma música, ler um livro, ficar em silêncio meditando ou buscar algo que te dê prazer. Relaxe e não leve à mesa a ansiedade.

Líquidos – Evite líquidos durante as refeições. Fora desses horários, (mais que 40 minutos antes ou depois), beba bastante água. O ideal é mais que dois litros por dia. Diminua o consumo de álcool. Bebidas alcoólicas possuem muito açúcar em sua composição.

A hora de parar – Estar satisfeito não é estar “cheio”, “estufado”. Essa sensação de “não cabe mais nada” não é agradável e deve ser evitada. Coma o suficiente, não exagere.

Não disfarce – Evite mascarar o sabor dos alimentos com condimentos fortes ou acrescentando molhos como catchup, mostarda, maionese ou até açúcar em tudo. Não use temperos prontos – nem em pó, nem em cubos. Eles contêm gorduras e excesso de sódio.

Light x Diet – Diet ou dietético é o produto sem adição nenhuma de açúcar. Essa linha é recomendada para diabéticos já que, por não possuírem sacarose, não provocam uma elevação rápida da taxa de açúcar circulante (glicemia). Porém, mesmo não contendo açúcar, alguns alimentos diets podem apresentar um elevado teor calórico, devido às gorduras, sem contar uma alta dose de sódio. Já light é a denominação reservada aos alimentos com teor reduzido de calorias. Prefira alimentos lights ao diet.

Anote tudo – Mantenha um diário de tudo que ingere. Até mesmo a bala ou o cafezinho de depois do almoço. É comum não prestarmos atenção a eles. Observe seus padrões alimentares e mude os errados. Nesse diário anote, também, fatos importantes que aconteceram no seu dia. Identifique que fatores o levam a comer em excesso.

anote tudo homeopatia

Movimente-se. Entre na academia, comece a andar de bicicleta ou vá atrás da sua aula de dança. O importante é buscar uma atividade física que te dê prazer e não seja um sacrifício para ser realizada. A atividade física regular durante o emagrecimento evita a flacidez, tonificando a musculatura. Procure praticar exercícios dentro de sua faixa ideal de trabalho, controlando o ritmo dos batimentos cardíacos. Anote no diário qual o exercício que fez aquele dia, a duração e a intensidade.

Acompanhe o resultado – Pese-se com intervalos regulares e acompanhe a evolução. Se possível também tire suas medidas de cintura, barriga, quadril, braços e pernas. É comum em quem está emagrecendo e fazendo musculação, por exemplo, perder gordura e ganhar massa magra, não percebendo a diferença na balança, mas perdendo muitos centímetros. O resultado positivo estimula a continuar.

Ajuda – Explique aos seus amigos e familiares o que aprendeu e peça ajuda para colocar em prática. Muitas vezes a mudança acontece com todos ao mesmo tempo – e um dá força para o outro.

Mude sua rotina social – Evite compromissos que você sabe que o levarão a sair do eixo. Ao invés da cerveja após o trabalho, chame o amigo para uma partida de tênis. Desenvolva técnicas próprias para evitar exageros fora de casa. Por exemplo, se não conseguir fugir daquele churrasco, coma bastante salada e pouca carne. Troque a cerveja pelo refrigerante light. Prepare-se para eventos especiais como festas e viagens. Tente planejar sua alimentação.

Prepare seus alimentos – Mas foque nas receitas saudáveis. Evite aprender receitas de pratos novos ricos em calorias. Torne apetitosa a sua alimentação, mesmo com poucas calorias. Deixe de levar travessas à mesa, se você vir a comida em abundância pode não resistir a um pouquinho mais. Levante-se da mesa após terminar a alimentação.

Tropeços acontecem – Reeducação alimentar não precisa ser um tratamento religioso. Quando você exagerar nas calorias, não desanime! Recupere o controle da situação. Não confunda tropeço com fracasso.

Mantenha o foco – Metas realistas e não impossíveis auxiliam no programa de emagrecimento. Mais difícil do que emagrecer é manter o novo peso. Mude seus hábitos um por vez, sem se forçar. Evite a pressa. Emagrecendo lentamente e adquirindo novos hábitos a chance de voltar a engordar diminui. O peso ideal é aquele que você consegue atingir e manter, de forma saudável.

Atenção ao psicológico – Lembre-se sempre que o objetivo é a mudança de hábitos. Tente manter o equilíbrio psicológico, por mais que você tenha motivos para sentir-se ansioso. Dê mais importância ao seu comportamento do que ao peso. Isso fará você diferenciar a fome da gula.

Não faça dieta homeopatia

Além do peso

ATUANDO COM PRINCÍPIOS SEMELHANTES AOS DA HOMEOPATIA, A NUTRIÇÃO FUNCIONAL AGE MUITO ALÉM DA PERDA  E MANUTENÇÃO DE PESO

nutricao funcional 2

Uma refeição baseada na combinação de arroz com feijão, bife e salada é apontada como “a preferida” dos brasileiros e bastante saudável. De maneira geral essa afirmação está correta, mas… Algumas pessoas podem produzir gases em excesso ao consumir feijão; outras sofrem com a indigestão ao consumir carne vermelha. Assim, o que serve para determinada pessoa pode afetar negativamente a pessoa ao lado. Mas como saber a combinação mais indicada para a manutenção da sua saúde? Com o auxílio de um nutricionista funcional.

Dieta básica

“Não existe uma dieta básica que possa ser recomendada a todas as pessoas”, assegura a especialista Dafne Oliveira, do Instituto de Prevenção Personalizada. Ela explica que a nutrição funcional é uma área que analisa os sintomas, sinais e características de cada paciente e os relaciona com a carência ou excesso dos nutrientes, corrigindo os desequilíbrios nutricionais que geram sobrecarga ao corpo com a restrição de alimentos ou com a entrada de novos ingredientes e combinações no cardápio.

“Em alguns casos, a perda de peso é consequência desse processo, mas não é o objetivo da nossa atuação”, esclarece. Dafne conta que a meta é “atingir o equilíbrio” e, para isso, a nutrição funcional age de maneira semelhante à homeopatia, considerando os sintomas e agindo com eles, e não contra eles. Assim, a ingestão correta de alimentos (e a melhor combinação entre eles), nutrientes específicos e, em alguns casos, medicamentos fitoterápicos, é possível restaurar as deficiências orgânicas que originam dores de cabeça, retenção de líquidos, problemas de digestão, dores de estômago, dermatites e outras doenças.

nutricao-funcional 4

Para usuários de medicamentos homeopáticos, a nutricionista lembra que não há prejuízos para o tratamento, mesmo quando existe a necessidade do consumo dos fitoterápicos: “um não corta o efeito do outro, eles trabalham em conjunto”, lembra ela, ressaltando que o estresse e ansiedade são o maiores fatores de desequilíbrio para o organismo. “Muitas vezes, as pessoas com estresse e ansiedade demoram mais para responder à homeopatia e à dieta funcional. Nesses casos, é necessário usar os fitoterápicos, pois eles são semelhantes aos medicamentos homeopáticos mas com um dose mais alta dos princípios ativos”, pontua.

Alimentos recomendados

“A nutrição funcional se baseia nas necessidades de cada indivíduo”, ressalta Dafne, dizendo que não há alimentos totalmente recomendados ou desaconselhados. O suco verde é um exemplo. “Apesar de recomendar a ingestão para 95% das pessoas que atendo o suco verde não é bom para quem tem problemas de tireóide”, garante.

Glúten e lactose são dois elementos apresentados como vilões que nem sempre são retirados da dieta. “Apesar de causarem sobrecarga no corpo da maioria das pessoas, há aqueles que os digerem bem, então não precisam excluir da alimentação”, alerta.

nutricao funcional

Mas alguns alimentos são, realmente, mais favoráveis ao equilíbrio do organismo humano: sardinha, castanhas, lentilha e batata doce, entre eles. Dafne lembra que é necessário prestar atenção à forma de preparo: o ideal é consumi-los cozidos ou assados – pois a forma “grelhada” pode conter substâncias cancerígenas. “Os grelhados e, até mesmo, o churrasco não são recomendados, pois são assados ‘a seco’, o que faz os alimentos perderem muitos nutrientes”, informa a nutricionista. “No caso do churrasco é ainda pior, pois além do alimento estar em contato com a grelha há o carvão, que pode liberar outras substâncias cancerígenas”, pontua.

Assim, é sempre bom estar atento aos sinais que o corpo emite. E, em caso de necessidade, buscar o auxílio de um profissional que possa auxiliá-lo a retomar o equilíbrio. Uma alimentação saudável garante, além do peso ideal, muito mais vitalidade e saúde! Afinal, o alimento é o melhor remédio.

Chocolate – Vilão ou mocinho?

A Páscoa está chegando e nesse momento o que todos esperam, além do feriado, é o chocolate. Odiado por nutricionistas e adorado por mulheres na TPM, conheça alguns bons motivos para apreciar “com moderação” essa deliciosa iguaria.

Derivado do cacau, o chocolate que comemos hoje leva açúcar e outros ingredientes não tão “favoráveis” à saúde. Portanto prefira os com maior concentração de cacau e menos açúcar (amargo ou meio amargo, normalmente mais escuros).

A Favor

homeopatia e saude

1 – Causa bem estar – O que as mulheres que “precisam” de um chocolate quando estão na TPM sentem quando comem é a produção da endorfina e da dopamina. Alguns cientistas afirmam que além de gostoso, o chocolate aumenta a produção dessas substancias no organismo.

2 – Coração em dia – Cientista da univerisdade de Linkoping, na Suécia, descobriram que o chocolate amargo, com mais cacau, inibi uma enzima no organismo conhecida por elevar a pressão arterial. O efeito é atribuído  aos antioxidantes catequinas e procianidinas, que são encontrados no chocolate.

Além disso, devido à alta concentração de antioxidante, que protege as células do envelhecimento causado pelos radicais livres, o chocolate reduz o risco de pessoas que já sofreram de ataques cardíacos morrer de problemas do coração. Segundo a mesma pesquisa, consumindo uma vez por semana, o risco cai quase pela metade, se consumido duas vezes por semana, o risco cai para 66%.

3 – Para futuras mamães – A universidade de Yale, nos Estados Unidos, descobriu em um estudo que as mulheres que saboreiam chocolate pelo menos 5 vezes por semana estão 40% menos propensas a desenvolver pré-eclâmpsia (hipertensão). O composto teobromina, rico na versão amarga do chocolate, pode ser o responsável pelo benefício.

4 – Beleza – Aliado da beleza, o chocolate tem alto poder de hidratação. Além disso, combate os radicais livres, evitando a oxidação das células. Por isso está presente em banhos de ofurô, massagens, máscaras e outros cosméticos.

5 – Cérebro – Um estudo em andamento da Universidade de Johns Hopkins, nos Estados Unidos está prestes a provar que o chocolate amargo pode reduzir os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral (AVC). O responsável é um composto chamado epicatequina que protege as células nervosas.

6 – Câncer de intestino – Uma molécula presente no cacau, chamada procianidinas, possui propriedade antioxidante e serve para proteger as células das degenerações do tumor e combater o câncer de intestino também está presente no chocolate. A descoberta é dos pesquisadores da Universidade de Geogertown, nos Estados Unidos.

7 – Recuperação de desgaste físico – Leite com chocolate é a melhor opção para se recuperar de atividade física. Isso porque a quantidade de carboidratos e proteínas presentes na mistura causam o benefício necessário para a melhora do organismo. Essa descoberta foi de cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

8 – Alívio das dores – Um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos descobriu que chocolate pode aliviar dores. O analgésico natural provocado por comer ou beber por prazer é o responsável pelo benefício.

9 – Melhora do Fluxo Arterial – O chocolate meio amargo pode melhorar o fluxo arterial além de fazer bem à saúde cardiovascular. Isso porque diminui a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos, além de ajudar a diminuir os níveis de LDL (colesterol ruim).

Contra

homeopatia

Mas se o consumo for exagerado, mais de 50 g por dia, pode ser prejudicial à saúde:

Aumenta o colesterol ruim e o nível de gordura no sangue

Irrita o estômago e a mucosa do intestino

Causa a sensação de estômago cheio, mas não tem os nutrientes necessários para boa alimentação

Causa irritação na pele

Causa enxaqueca

 Chocolate-Branco

E para concluir, não se engane, apesar do nome, chocolate branco não tem cacau, então nenhum dos benefícios apontados se apresenta nessa versão.

Obesidade – o mal do século XXI

obesidade

Responsável por mais mortes que a fome, a obesidade mata 2,8 milhões de pessoas por ano. 

Segundo dados da OMS 12% da população mundial é obesa. A obesidade é o acumulo de gordura corporal quase sempre causada pelo consumo excessivo de alimentos sem gasto energético correspondente. Suas causas estão principalmente na má alimentação, sedentarismo, ingestão abusiva de sódio, açucares e gorduras, além de fatores metabólicos, entre outros.

Ocupando o ranking de segunda maior causa de mortes evitáveis na America Latina, a obesidade é responsável pelo aparecimento de doenças como: hipertensão, diabetes, doenças cardíacas, problemas nas articulações, dificuldades respiratórias, gota, pedras na vesícula e até algumas formas de câncer.

 

O mundo é obeso?

Para ser considerada obesa, a pessoa precisa ter o IMC (Índice de Massa Corporal) igual ou maior que 30.

Ao redor do mundo todo, principalmente em países emergentes, existem casos de obesidade. No continente americano – região com maior incidência do problema –  26% dos adultos são obesos, e, aqui no Brasil, estima-se que 40% das pessoas está acima do peso, sendo que destas 10 milhões são obesas.

 

Como tratar? 

O tratamento da obesidade envolve necessariamente a reeducação alimentar, o aumento da prática de atividades físicas e, eventualmente, o uso de algumas medicações auxiliares. Dependendo da situação de cada paciente, pode estar indicado o tratamento comportamental envolvendo o psiquiatra e também o psicólogo.

Nos casos de obesidade mórbida e doenças relacionadas como diabetes e hipertensão, a cirurgia bariátrica (redução de estômago) é indicada para controle do peso.

 

Como prevenir?

Mais importante e eficaz que o tratamento é a prevenção. Opte por hábitos saudáveis e alimentação leve e fracionada. Não trate distúrbios como a ansiedade com comida. Procure sempre ajuda médica.

A prática de atividades físicas regulares e a opção por uma alimentação mais sadia livre de frituras e alimentos industrializados é a melhor forma de combate à obesidade e manutenção da saúde.