Tag Archives: hábitos alimentares

Banana, a rainha da alimentação saudável

O Brasil lidera a lista quando o assunto é consumo de bananas. E não só: está também em segundo lugar na produção mundial da fruta. Não é para menos, a banana está entre as frutas “queridinhas” da população brasileira e com muitos benefícios para a saúde!

Quer saber as propriedades incríveis da banana e como ela pode te ajudar a combater doenças e viver mais saudável? Confira nesse artigo do Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

 

O quê que a banana tem?

Nessa fruta potente, tudo se aproveita: inclusive a casca! No Brasil, a variedade de espécies de banana disponíveis para consumo é de fazer inveja aos estrangeiros. Embora mudem algumas propriedades, os benefícios estão sempre presentes.

Por exemplo, os tipos de bananas mais comuns no Brasil são a nanica (conhecida como banana d’água em algumas regiões), a prata e a maçã. Elas são também as que têm menos calorias, boa quantidade de potássio e também de fibras. Embora pareçam muito similares nas propriedades, a banana-nanica tem algum potencial laxante, enquanto a banana-maçã é exatamente o oposto.

Já a banana-da-terra, a maior espécie de banana do país com quase 30cm de comprimento, é substancialmente mais calórica, mas além do potássio encontrada nas variedades acima, também é uma fonte muito rica de vitaminas A e C, essenciais para o fortalecimento do sistema imunológico.

images

Quais os benefícios da banana?

Com tanta variedade, os benefícios em consumir banana também são diversos e muito positivos. Independente do objetivo para incorporar a fruta na dieta nutricional – seja para emagrecimento ou ganho de peso, combater doenças ou fortalecer o organismo –, a banana tem todos os motivos para estar em todas as dietas. Veja só!

Em primeira mão, a banana é uma das frutas “queridinhas” entre os atletas e desportistas por ser uma fonte de energia praticamente instantânea. Como é rica em açúcar e hidratos de carbono, ela é uma boa pedida para quem treina regularmente e precisa de boa disposição para os exercícios físicos.

Por outro lado, como mostramos no tópico anterior, algumas espécies tem um valor calórico bem baixo por porção e, ao mesmo tempo, fornece muitas fibras, potássio, vitaminas e até alguma proteína, o que torna determinados tipos de banana especiais no cardápio de quem quer emagrecer.

Em resumo, bananas são ótima fonte de:

  • Vitamina A, B e C
  • Ferro
  • Potássio
  • Magnésio
  • Zinco
  • Manganês
  • Fluoreto
  • Fibras dietéticas

 

Combate e prevenção de doenças

A riqueza nutricional da banana faz dela uma aliada da alimentação saudável e é fortemente recomendada no combate a diversos problemas de saúde, dos mais comuns aos mais complexos. Veja alguns:

  • Controle de hipertensão
  • Prevenção de osteoporose
  • Doenças oftalmológicas (principalmente na retina)
  • Prevenção da depressão
  • Diminuição do estresse
  • Combate à anemia e náuseas
  • Prevenção de cãibra muscular
  • Redução de sintomas da TPM

 

Gostou? Então leia também nosso artigo Ótimas razões para comer banana com aveia e continue aprendendo mais sobre esse alimento poderoso!

Tags: alimentação, alimentação saudável, hábitos alimentares

Shakes Emagrecedores – Como e Porque Consumí-los ou Não?

Na tv, nas revistas e até na rua, somos infestados por uma enxurrada de anúncios sobre shakes e complementos nutricionais desse tipo. Quem começa a frequentar uma academia, logo se depara com colegas com suplementos, explicando os benefícios do consumo desse ou daquele produto. Mas nem tudo que ouvimos podemos ter como certeza absoluta.

shakes-para-tudo-fb

Para Marcelo Ferreira, Nutricionista Esportivo e Funcional, o consumo desse tipo de produto não deve ser feito como substituição de refeição, e sim como complemento nutricional. “Eu costumo orientar meus pacientes a usarem como um lanche de valor proteico alto, ou antes de praticar o exercício físico. Costumo também explicar para meus pacientes que tenham um estilo de vida corrido, e as vezes não têm tempo de fazer uma refeição corretamente. Ou seja: numa exceção, o uso de shakes para substituir a refeição pode ser interessante pela praticidade, mas não pode ser uma rotina.”

Já para Angélica Longo, Nutricionista especialista em Reeducação Alimentar, Nutrição Materno Infantil e Nutrição Celular, o uso de shakes nas dietas de controle de peso é eficaz pois proporciona uma dieta de menor valor calórico. Angélica alerta para a escolha certa da marca do produto. “Existem várias marcas no mercado, é preciso verificar a formulação, registro na ANVISA e correta forma de uso. Os shakes são auxiliares, não exclusivos em uma dieta.”

Bruna de Holanda Carnelosso, nutricionista com experiência em clínica médica e atendimento em hospital, ressalta que o uso prolongado desse subterfúgio pode ter o efeito contrário à dieta, já que nosso organismo é inteligente. E, entendendo que não há a ingestão de calorias abundante, “economiza” no gasto energético, tornando o processo de emagrecer mais difícil. “Quando a pessoa mantém por um tempo uma dieta de valor calórico muito menor do que o necessário para o organismo ocorre um mecanismo de defesa natural em que o corpo ‘economiza’ energia, evitando perda calórica. Então se obtém o efeito contrário do desejado. Para substituir uma refeição o shake deve ter (preparado como na instrução do rótulo) e apresentar pelo menos 200 calorias, o que já é pouco para uma refeição mas alguns não apresentam nem isso.”, explica a especialista.

chocolate and strawberry milkshake

Marcelo Ferreira também explica que o uso prolongado da dieta de substituição de refeição, pode causar um dano no organismo. “O uso por um tempo prolongado pode causar uma atrofia no estômago. Emagrecer não é apenas perder peso. É importante perder massa gorda mas manter ou até ganhar massa magra. O uso indiscriminado de shakes, sem o acompanhamento correto pode ter um efeito na balança, mas perdendo também massa magra, o que não é bom para ninguém”, explica o nutricionista funcional.

“A reeducação alimentar não passa pelo uso de shakes. A reeducação alimentar envolve primeiramente uma mudança na essência de como pensamos, através da prática da mudança de hábitos e quebra de paradigmas que muitas vezes não são facilmente entendidos e praticados. Se analisarmos as pessoas que fazem o uso de shakes para emagrecer, podemos notar que em geral, engordam novamente tudo o que perdeu ou até mais. Portanto, eles não funcionam”, avalia Bruna.

“Dieta é tudo que ingerimos todos os dias. Podemos ter períodos de dietas específicas, para diminuir peso, ganhar massa, na amamentação, pré competição etc. Mas uma dieta equilibrada deve conter todos os grupos de nutrientes em equilíbrio. Se o indivíduo fizer uso exclusivo de shakes de qualidade duvidosa por um longo período virá a ter prejuízo nutricional. Mas se utilizar os de boa qualidade, com um objetivo específico, o consumo diário pode ser de uma a duas substituições de refeição sem nenhum prejuízo a sua saúde.”, defende Angélica Longo.

Seu filho come mal?

Ofereça alimentos diferentes – como vegetais e hortaliças – com regularidade e deixe a criança se acostumar com o sabor

  seu filho come mal

Muitos pais se preocupam com a alimentação dos filho, achando que ele come mal. O ideal, como para os adultos, é que a refeição das crianças tenha carboidratos, proteínas, vegetais, hortaliças, cereais – e que o prato apresente, pelo menos, alimentos de cinco cores diferentes. Metade de tudo o que é consumido no dia deveria “vir do chão”: ou seja, brócolis, couve, cenoura, vagem, alface, maçã, banana, laranja, pera e todos os outros vegetais, horatliças e frutas devem fazer parte do cotidiano das crianças.
É preciso que os responsáveis saibam que oferecer os alimentos com regularidade é uma das formas de adaptar o paladar das crianças ao sabor desses alimentos. E que essa oferta será mais bem recebida se for feita antes dos dois anos de idade.

Como oferecer
Estudos de Universidades como a de Leeds, no Reino Unido, sugerem que cada alimento deve ser oferecido para as crianças de 5 a 10 vezes, antes que os pais aceitem, definitivamente, a recusa. E esse alimento deve ser apresentado de diversas formas, para que a criança possa identificar se, com uma outra forma de preparo, o alimento lhe parece apetitoso.

hortaliças e vegetais

A Nutricionista Gabriela Kapim, que apresenta o programa Socorro! Meu filho come mal, no GNT, dá como exemplo as cenouras: “o legume pode ser servido cru, cortado em rodelas, ralado, cozido… Se a criança não gosta da cenoura normal, você pode oferecer a baby. Da mesma maneira, os adultos podem inovar no preparo dos alimentos e das refeições. Que tal substituir a farinha de mandioca por couve flor na hora de preparar uma farofa? Já pensou em usar mandioquinha (batata baroa) para fazer chips assados, ao invés de fritos?”, sugere a especialista.

Pode esconder?
Kapim ressalta que inovar no preparo não quer dizer que você deva mascarar o alimento em meio a outro – como colocar legumes no feijão, por exemplo! – nem esconder os vegetais e hortaliças. Segundo ela, é muito mais produtivo mostrar para a criança o que ela está comendo. “Tente envolvê-la no processo. Vá ao mercado, apresente alimentos diferentes, desperte a sua curiosidade. Depois, vá para a cozinha e coloque a mão na massa”, explica.
“A criança sempre deve saber o que está comendo. Além do que, esconder é enganar a criança e ninguém gosta de ser enganado. O melhor é ser honesto e apresentar novos alimentos. É importante que a criança conheça novos sabores e o próprio paladar”, justifica a nutricionista, que comanda o programa toda terça-feira, às 21h30.

brocolis

Ao incluir os vegetais e hortaliças os pais e responsáveis asseguram uma dieta saudável e muito mais completa para as crianças. Vale lembrar que elas ficam mais relutantes em experimentar coisas novas após os dois anos de idade – mas isso não te impede de tentar! Uma alimentação desregrada, repleta de guloseimas, fast food, frituras e com ausência de vegetais, hortaliças e frutas pode levar a diversos problemas de saúde, como colesterol alto e sobrepeso – problemas cada vez mais comuns no universo infantil.

Tente outra vez!
Por isso, seja persistente! Ofereça ao(s) seu(s) filho(s) legumes, saladas, uma refeição variada e saudável. Se ele recusar, tente novamente! Mude a forma de preparo e, até mesmo, de apresentação do prato. Certamente você vai conseguir fazê-lo gostar da comida – e nunca mais terá que reclamar que o seu filho come mal!crianca comendo salada

Leite – Qual o mais adequado à sua dieta?

Dos vários tipos de leite existentes no mercado, entenda quais as vantagens e desvantagens de cada um e escolha o que melhor atender às necessidades da sua dieta:

 

Leite integral

Fuja desse tipo de leite, principalmente se você faz dieta para perda de peso. Isso porque ele é rico em gordura, principalmente saturada. Apesar disso, é o tipo de leite mais consumido no mundo. Pode ser encontrado nos tipos A, B ou C, e essas nomenclaturas referem-se à quantidade de gordura encontrada nele.

Tipo A – possui o menor teor de micro-organismo, recomenda-se o consumo em até 5 dias após embalado.

Tipo B – tem uma maior quantidade de micro-organismo, recomenda-se o consumo em até 3 dias.

Tipo C – É o que apresenta maior teor de bactérias após a pasteurização. Recomenda-se o consumo em no máximo dois dias após embalar.

*Esses prazos para consumo não são válidos para leite longa vida, onde se deve observar as instruções da embalagem.

leite homeopatia

 

Semidesnatado

É ideal para dietas de baixa caloria, pois mantêm a mesma quantidade de proteínas e cálcio, mas com apenas 50% de gordura. Indicado como uma opção saudável para adultos que necessitam perder peso.

 

Desnatado

Por ter 100% de redução de gordura em comparação ao leite integral é indicado para pessoas que sofrem com colesterol alto. Para dietas para perda de peso, vale lembrar que a ingestão desse tipo de leite pode deixar as pessoas com fome  e, assim, suscetível à ingestão de guloseimas sem necessidade.

 

Leite de Quinoa

Rico em aminoácidos, o leite de quinoa contém valores nutritivos semelhantes ao leite comum.

Entre todos os cereais, a quinoa apresenta o maior teor de proteínas, além de conter aminoácidos não produzidos pelo organismo e que precisam ser ingeridos.

 

Leite de Soja

Opção mais indicada para quem sofre de intolerância à lactose, o leite de soja apresenta elevado valor nutricional e é rico em proteínas. Também é a opção mais consumida por quem é adepto da dieta vegana.

Além de apresentar baixo teor de gordura saturada quando comparado ao leite comum integral, o extrato de soja pode ser benéfico para reduzir os riscos de câncer de mama, doenças cardiovasculares e osteoporose.

 

Leite de Arroz

Rico em carboidratos, possui até 17g num copo, mas com baixo teor de gorduras, o leite de arroz não possui proteínas, tornando-se uma opção saudável de bebida para veganos e intolerantes à lactose. Convém ficar atento ao consumo, pois a versão de leite de arroz possui menor teor de vitaminas e maior índice glicêmico.

leite

Leite de Amêndoas

Este leite, feito através da mistura de amêndoas moídas com água, tem sabor mais agradável que o leite normal, não possui lactose e tem taxas muito baixas de calorias, carboidratos e gordura.

Como as amêndoas são naturalmente muito nutritivas, o leite de amêndoa não precisa ser fortificado.

 

Leite de Aveia

Aveia é uma fibra solúvel, e por isso ajuda a diminuir a absorção de açúcar e gordura no nosso intestino. Uma ótima pedida para dietas hipocalóricas pois ajuda na perda de peso, e também uma opção vegana.

Receita de leite de aveia:

1. Durante uma hora, deixe a aveia de molho em um recipiente com água.

2. Adicione uma colher de chá de extrato de baunilha e açúcar, se necessário.

3. Bata a mistura no liquidificador, coe com um pano fino e leve a geladeira.

O prazo de validade em refrigeração é de aproximadamente três dias.

Tabela Nutricional

 

Glúten: vilão da alimentação?

5 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE O GLÚTEN

intolerancia ao gluten

Você já viu essa história antes: ovo, carne vermelha, açúcar, café… diversos alimentos já assumiram o posto execrável na alimentação. O “elemento” da vez é o Glúten, uma proteína presente no trigo, no centeio e na cevada ser apontada como “vilão da saúde”.

1 – O que é Glúten?

A proteína é composta pela mistura de duas outras: a gliadina e a glutenina, ambas encontradas nas sementes de cereais amplamente utilizados no preparo de refeições.  Ele está presente, principalmente, nas farinhas, que se valem da propriedade de absorção da água e viscosidade, que deixam as massas aptas à panificação.

2 – O que pode causar?

Quando há excesso na ingestão do Glúten, pode ocorrer a diminuição na produção de serotonina – a falta dessa substância no organismo pode causar depressão.  O consumo frequente da proteína também propicia o aparecimento de psoríase e de artrite psoriática. Esses problemas podem acometer todas as pessoas que consomem o Glúten.

Mas há dois grupos específicos que sofrem ainda mais com a proteína: os intolerantes e os portadores de doença celíaca

Bread group

3 – Intolerância

O glúten é uma proteína de difícil digestão, o que torna comum os casos de intolerância. Eles podem ser detectados por sintomas específicos – diarréia e gases são os mais comuns – por isso, é necessário estar sempre atento às reações do seu organismo após o consumo de produtos e alimentos que contenham a proteína. Vale lembrar que esses sintomas não danificam o intestino de forma grave e que os intolerantes não sofrem de uma doença crônica.

O quadro de intolerância ao glúten pode aparecer em qualquer pessoa e em qualquer fase da vida, mas ainda não está claro o motivo pelo qual isso acontece.

4 – Doença celíaca

A doença celíaca afeta uma em cada 200 pessoas no mundo, segundo a Organização Mundial de Gastroenterologia. Quando um celíaco consome glúten, seu sistema imunológico reconhece a proteína como um inimigo e reage contra ela. Esse ataque atinge o intestino delgado e prejudica a absorção de nutrientes.

A doença causa atrofia das vilosidades da mucosa do intestino delgado, causando prejuízo na absorção dos nutrientes, vitaminas, sais minerais e água. Diarreia e fadiga são os principais sintomas da doença celíaca em adultos e a única maneira de controlar esse mal é com uma dieta totalmente restritiva à proteína, por toda a vida.

Os especialistas lembram que a Doença Celíaca pode ser detectada a partir dos dois anos de idade, quando as crianças passam a consumir cereais. Fique atento.

gluten_1

5 – Obesidade

            Muitas dietas de emagrecimento alardeiam a restrição aos alimentos com glúten como forma de se obter o peso ideal. A associação faz algum sentido. O glúten, em si, não é calórico, mas, como ele faz parte da composição de uma série de alimentos calóricos – como macarrão, pão, pizza, bolacha e molhos –, é possível que, ao cortar a proteína da dieta, uma pessoa consiga emagrecer. Não fará diferença na balança, é claro, se a substituição for feita por alimentos calóricos.

Do ponto de vista nutricional não há restrição quanto à retirada desses alimentos do cardápio, desde que sejam substituídos por opções mais saudáveis, como frutas e legumes. Também é necessário que a pessoa mantenha uma alimentação balanceada, considerando todos os grupos alimentares necessários à boa manutenção da saúde. Entretanto, se você não é intolerante ao glúten nem portador de doença celíaca não é necessário excluí-lo da sua alimentação.

Chocolate – Vilão ou mocinho?

A Páscoa está chegando e nesse momento o que todos esperam, além do feriado, é o chocolate. Odiado por nutricionistas e adorado por mulheres na TPM, conheça alguns bons motivos para apreciar “com moderação” essa deliciosa iguaria.

Derivado do cacau, o chocolate que comemos hoje leva açúcar e outros ingredientes não tão “favoráveis” à saúde. Portanto prefira os com maior concentração de cacau e menos açúcar (amargo ou meio amargo, normalmente mais escuros).

A Favor

homeopatia e saude

1 – Causa bem estar – O que as mulheres que “precisam” de um chocolate quando estão na TPM sentem quando comem é a produção da endorfina e da dopamina. Alguns cientistas afirmam que além de gostoso, o chocolate aumenta a produção dessas substancias no organismo.

2 – Coração em dia – Cientista da univerisdade de Linkoping, na Suécia, descobriram que o chocolate amargo, com mais cacau, inibi uma enzima no organismo conhecida por elevar a pressão arterial. O efeito é atribuído  aos antioxidantes catequinas e procianidinas, que são encontrados no chocolate.

Além disso, devido à alta concentração de antioxidante, que protege as células do envelhecimento causado pelos radicais livres, o chocolate reduz o risco de pessoas que já sofreram de ataques cardíacos morrer de problemas do coração. Segundo a mesma pesquisa, consumindo uma vez por semana, o risco cai quase pela metade, se consumido duas vezes por semana, o risco cai para 66%.

3 – Para futuras mamães – A universidade de Yale, nos Estados Unidos, descobriu em um estudo que as mulheres que saboreiam chocolate pelo menos 5 vezes por semana estão 40% menos propensas a desenvolver pré-eclâmpsia (hipertensão). O composto teobromina, rico na versão amarga do chocolate, pode ser o responsável pelo benefício.

4 – Beleza – Aliado da beleza, o chocolate tem alto poder de hidratação. Além disso, combate os radicais livres, evitando a oxidação das células. Por isso está presente em banhos de ofurô, massagens, máscaras e outros cosméticos.

5 – Cérebro – Um estudo em andamento da Universidade de Johns Hopkins, nos Estados Unidos está prestes a provar que o chocolate amargo pode reduzir os danos cerebrais após um acidente vascular cerebral (AVC). O responsável é um composto chamado epicatequina que protege as células nervosas.

6 – Câncer de intestino – Uma molécula presente no cacau, chamada procianidinas, possui propriedade antioxidante e serve para proteger as células das degenerações do tumor e combater o câncer de intestino também está presente no chocolate. A descoberta é dos pesquisadores da Universidade de Geogertown, nos Estados Unidos.

7 – Recuperação de desgaste físico – Leite com chocolate é a melhor opção para se recuperar de atividade física. Isso porque a quantidade de carboidratos e proteínas presentes na mistura causam o benefício necessário para a melhora do organismo. Essa descoberta foi de cientistas da Universidade do Texas, nos Estados Unidos.

8 – Alívio das dores – Um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos descobriu que chocolate pode aliviar dores. O analgésico natural provocado por comer ou beber por prazer é o responsável pelo benefício.

9 – Melhora do Fluxo Arterial – O chocolate meio amargo pode melhorar o fluxo arterial além de fazer bem à saúde cardiovascular. Isso porque diminui a tendência de coagulação das plaquetas e de obstrução dos vasos sanguíneos, além de ajudar a diminuir os níveis de LDL (colesterol ruim).

Contra

homeopatia

Mas se o consumo for exagerado, mais de 50 g por dia, pode ser prejudicial à saúde:

Aumenta o colesterol ruim e o nível de gordura no sangue

Irrita o estômago e a mucosa do intestino

Causa a sensação de estômago cheio, mas não tem os nutrientes necessários para boa alimentação

Causa irritação na pele

Causa enxaqueca

 Chocolate-Branco

E para concluir, não se engane, apesar do nome, chocolate branco não tem cacau, então nenhum dos benefícios apontados se apresenta nessa versão.

Alimentos Funcionais

São aqueles que além das funções nutricionais básicas produz efeitos metabólicos, fisiológicos e benéficos ao funcionamento do corpo. Saiba quais são os alimentos que compõem este grupo e turbine sua saúde.

Alimentos funcionais caracterizam-se por oferecer vários benefícios à saúde, além do valor nutritivo inerente à sua composição química, e desempenham papel importantíssimo no combate aos radicais livres e na redução do risco de doenças crônicas degenerativas, como câncer e diabetes, dentre outras.

Os principais alimentos classificados como funcionais são: soja e derivados, cereais integrais (aveia, centeio, cevada, farelo de trigo), tomate, uva, couve-flor e brócolis, linhaça, hortaliças com talo, leite fermentado, entre muitos outros. Incluí-los em sua alimentação é garantia de boa saúde.

Abaixo listamos, os principais benefícios dos alimentos funcionais para o organismo.

Casca de uva, vinho tinto e maçãs – Redução de doenças cardiovasculares e formação de coágulos e inflamações

Soja e derivados – Redução do risco de doenças cardiovasculares, alívio das ondas de calor em mulheres na menopausa

Brócolis, repolho, couve-flor e rabanete – Aumento da atividade de enzimas que combatem a formação de células cancerígenas

Tomate, goiaba e melancia – Atividade antioxidante, redução do risco de doenças cardiovasculares e proteção contra o câncer (especialmente de próstata)

Folhas Verdes – Proteção contra degeneração macular, manutenção de uma boa visão

Linhaça – Inibição de tumores, prevenção de doenças cardiovasculares e controle de doenças  auto-imunes e inflamatórias

Grãos integrais, frutas e vegetais em geral – Melhora na saúde intestinal, redução do risco de câncer de cólon e controle do colesterol e glicemia

Leites fermentados e iogurtes – Melhora da saúde intestinal e redução do risco de câncer de cólon

alimentos-funcionais

Este post é de caráter informativo e educativo. Visite sempre um médico para obter melhores orientações. 

Socorro, meu filho não quer comer!

Pesadelo de todos os pais, a má alimentação das crianças é reflexo dos maus hábitos alimentares dos pais. 

O seu filho comia de tudo, dava gosto de ver, até que aos 2…3 anos: boom! Rejeita todos os alimentos que você oferece, faz intermináveis ‘greves de fome’, literalmente tranca a boca. Saiba que todos os pais passam por esta fase – a fase de inapetência –  e que é até natural que por volta desta idade seu filho perca o interesse pela hora da refeição. Isso acontece, principalmente, por que nesta idade a criança está muito mais interessada em explorar o mundo do que em comer.

Porém, como a alimentação é uma questão de hábito, é fundamental que os pais e familiares estabeleçam uma rotina alimentar e ofereçam alimentos nutritivos e saudáveis para que a criança não sofra com a má alimentação nesta fase, carregando os maus hábitos para a vida. Mudanças simples fazem toda a diferença.meu filho não quer comer

Desligue a TV

A hora da refeição é sagrada. Estabelecer uma rotina com horários, sentar-se a mesa e fazer da refeição um momento tranquilo livre de interferências – desligue a TV, rádio, telefones e celulares ou quaisquer outro eletrônico que possa atrapalhar – podem ajudar nessa batalha na busca por bons hábitos para os pequenos e também para os pais.

Você é o que você come

Não adianta querer que seu filho coma de tudo se você mesmo não o faz! O que vemos são crianças se adaptando aos maus hábitos alimentares dos pais. Afinal de contas, a criança não tem autonomia para escolher suas refeições, esta é uma tarefa dos pais. Olhe para o seu prato: o que você come?
Segundo a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria) apenas 4% das crianças comem 5 porções (a quantidade recomendada) de frutas, verduras e legumes por dia. Isso por que, apenas 3,5% dos pais possuem esse hábito também.

Como vencer?

Segundo a Pediatra Homeopata Dra. Ana Lucia Dias Paulo, o prato bonito  (no sentido de lúdico), colorido, bem elaborado, torna a refeição convidativa. Opte por vegetais diferentes, folhas e proteínas magras. Lembre-se que uma criança come pequenas quantidades, portanto não force seu filho a comer. Se você ver que a fase está se prolongando, procure um especialista.