Tag Archives: Dieta

Obesidade Infantil

De acordo com entidades líderes em estudos da obesidade infantil, o Brasil é vice-líder da epidemia entre crianças de nove e onze anos, atrás somente da China e dos EUA, que dividem o primeiro lugar. Tomando ambos os sexos como parâmetro, nosso país lidera o ranking da obesidade infantil mundial na faixa etária.

Na média mundial, as crianças dessa idade costumam ficar sete horas sentadas e três em frente a algum tipo de tela: celular, tablet, televisão, etc. Isso comprova que quanto menor a faixa etária, mais propenso a obesidade a pessoa está. As gerações passadas tem em suas memórias o prazer das brincadeiras ao ar livre, o contato direto com outras crianças e com parques, coisas que as crianças da atualidade não tem com frequências em suas vidas.

<<Leia também: A verdade sobre as bebidas açucaradas e o consumo para crianças.>>

A grande parcela de tempo gasta com eletrônicos juntamente a alimentação desregulada pode acarretar outras doenças. Problemas cardiovasculares, hipertensão e diabetes são doenças que podem acometer crianças que sofrem com a epidemia.

Veja em quais as mudanças você pode apostar para combater a obesidade infantil

Já sabemos que a raiz do problema está na falta de exercício físico e na alimentação inadequada. Sendo assim, o tratamento deve ser multifuncional pois envolve diversos aspectos da saúde da criança: nutrição, condicionamento físico e até mesmo consultas com psicólogos. É necessário ressaltar a importância da família e de politicas públicas (como a necessidade de mais áreas verdes para incentivar exercício entre os pequenos) nesse processo de tratamento da obesidade infantil.

<<Veja na integra: Brasil lidera o ranking de obesidade infantil mundial, entre meninos e meninas de 9 a 11 anos.>>

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Entenda as vantagens e desvantagens do consumo de adoçante

O adoçante é um produto muito utilizado por pessoas que desejam perder peso, apesar de ser uma substância que foi desenvolvida para pessoas que não podem ingerir açúcar. Alguns estudos mostraram que essa alternativa de edulcorantes com zero calorias pode não ser tão doce como todos acreditavam. Por isso antes de adicionar os adoçantes artificiais à sua dieta regular é preciso considerar os prós e os contras.

Adoçantes artificiais são utilizados como substitutos dos açúcares naturais como melaço e açúcar refinado por causa da ausência de calorias. Segundo um estudo a frutose um açúcar natural utilizado para adoçar bebidas em fast foods contribuiu para um aumento da obesidade. Pessoas que já sofriam de excesso de gordura tiveram um grande ganho de peso ao redor do estômago após ingerir grandes quantidades de frutose.

Os açúcares artificiais são substâncias que possuem zero açúcar, entretanto os açúcar natural tem poucas calorias, o açúcar refinado, por exemplo, tem 15 calorias por cada colher de chá.

<<Leia também: Mito ou verdade? – Adoçantes>>

Adoçante não provocam cáries

Os adoçantes não prejudicam a saúde bucal, isso porque as substâncias utilizadas nos adoçantes não favorecem o crescimento de bactérias.

Nem todos os adoçantes são indicados para diabéticos, é o caso dos adoçantes para alimentos e bebidas que são feitos de uma mistura de açúcares e edulcorantes. Por isso é importante verificar a indicação da embalagem antes de adquirir o adoçante.

Adoçante pode engordar!

Alimentos feitos com adoçantes podem sim engordar. Principalmente porque as pessoas tendem a comer mais quando acreditam que a comida é menos calórica, o que acaba criando um efeito colateral.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo. Apesar das opiniões divergentes sobre o uso de adoçantes, esses produtos vão continuar sendo uma opção viável e estarão disponíveis para compra. Encontre mais informações sobre o assunto no link: https://goo.gl/uPKztF

Conheça as frutas que são as maiores aliadas e as maiores vilãs da dieta

Quando pensamos em perder peso, logo achamos que substituir grande parte de nossa alimentação por frutas seja a saída. Ricas em vitaminas, minerais e fibras, o consumo é recomendado diariamente entre três a cinco porções. Ao ingerirmos com regularidade nos sentimos dispostos e satisfeitos com maior frequênciaPorém isso não significa que todas as frutas auxiliem na perda de peso.  

<<Leia também: Aproveite as frutas da Estação!>>

As maiores aliadas

Quando o assunto é perda de peso as mais recomendadas são morango, maça e kiwi, por terem a menor quantidade de calorias a cada 100g. A maçã é solúvel e traz sensação de saciedade, além de ser pouco calórica. O melão e a melancia por possuírem muita água ajudam na desintoxicação do organismo, complementando a quantidade de vitaminas e minerais, além de terem poucas calorias. A pêra aumenta a sensação de saciedade e ajuda na regulação do intestino, assim como a laranja. A uva combate os radicais livres e é antioxidante, além de estimular o emagrecimento. Uma outra dica é apostar nas frutas entre intervalos de refeiçoes, lanches da tarde e sobremesas. 

Vilãs na dieta

Todas as frutas são necessárias e devemos consumir até mesmo as calóricas. Porém é necessário o equilíbrio entre a ingestão eliminação das calorias. 

Algumas futas ão ricas em lipídios e se consumidas em grandes quantidades levam ao ganho de peso. Entre elas a maior vilã é o abacate, por possuir mais gordura. No Brasil, o abacate é consumido com açúcar e complementos como granola, cereais, etc. Na maioria de outros países ele é consumido na salada, sem adição de açucares. Juntamente com o abacate, coco, açaí, manga, frutas secas e oleaginosas são as mais perigosas na dieta.

Vale ressaltar a importância de consultar um especialista. Cada organismo reage de uma forma e necessita de determinadas quantidades de alimentos na dieta.

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Consumir açúcar em excesso compromete saúde mental

Homens que consomem mais açúcar têm mais probabilidade de desenvolverem problemas de saúde mental como depressão e ansiedade comparado com os que consomem menos açúcar, de acordo com pesquisa da University College London. O estudo mostrou também que ter algum tipo de transtorno de humor não torna a pessoa mais inclinada a consumir alimentos com alto teor de açúcar.

A pesquisa da (UCL) foi realizada durante 22 anos, entre 1983 e 2013, e analisou a ingestão de açúcar de alimentos e bebidas, com a ocorrência de transtornos de saúde mental em mais de 5 mil homens e mais de 2 mil mulheres.

Embora estudos anteriores tenham encontrado uma relação entre o consumo de alimentos ricos em açúcar e a depressão, nenhum deles tinha feito, ainda, o estudo inverso. Descobrir se as pessoas que sofrem de ansiedade e depressão tendem a consumir mais alimentos e bebidas ricos em açúcar. Esse poderia ser a principal razão pela qual existe a crença na relação entre a ingestão de açúcar e saúde mental fragilizada. Embora o estudo tenha procurado essa relação não encontrou nada que provasse tal crença. Pois homens e mulheres com transtornos mentais não se mostraram mais propensos a consumir açúcar em excesso.

Como resultado o estudo provou que a saúde mental é prejudicada por causa da alta ingestão de açúcar.

No decorrer do estudo foi observado que homens e mulheres com distúrbios de humor que consumiam muito açúcar também se mostravam mais propensos a ficarem deprimidos depois de 5 anos, em comparação com aqueles que consumiam menos açúcar. Entretanto esse resultado também teve influência de outros fatores como social, dieta, saúde e demográfico.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, recomenda uma dieta equilibrada e a prática de atividade física para garantir uma vida mais saudável. Saiba mais sobre o assunto em: https://goo.gl/Gpt8Vx

Boa notícia – Refrigerantes decidem diminuir os açúcares

Uma vida mais saudável depende de uma boa alimentação e prática de exercícios físicos. Na busca por uma vida com mais saúde e bem-estar as pessoas estão mudando os seus hábitos alimentares eliminando de suas rotinas alimentos prejudiciais à saúde, por isso o consumo de refrigerantes está em caindo em todo o mundo.

Por causa disso grandes empresas como a Coca-Cola estão investindo pesado em novos produtos e embalagens. Aliás 30% de seus produtos já tiveram redução de açúcar e 80% de seu catalogo de produtos tem opções com baixa ou sem calorias.

O Brasil é o quarto mercado da Coca-Cola em nível mundial, em razão disso o nosso país é um importante termômetro da empresa no que diz respeito ao público consumidor da marca e das transformações no estilo de vida da população mundial.

Como o brasileiro ama açúcar, afinal fomos educados pela cultura dos doces um característica do nosso DNA português. É preciso muito cuidado na hora de lançar novos produtos no mercado nacional, já que o mais doce é sempre o preferido dos brasileiros.

O trabalho de educação alimentar precisa ser um esforço conjunto entre sociedade, Governo e empresas.

Assim como foi feito no caso da redução de sódio dos alimentos o Ministério da Saúde está elaborando um plano para reduzir a quantidade de açúcar dos alimentos.

Na tentativa de reduzir a ingestão de bebidas açucaradas o Ministro Barros Apresentou em junho um projeto de lei que pretende acabar com as opções de refil dos refrigerantes, uma vez que essa prática aumenta em 30% a ingestão de refrigerante.

Esse é um artigo que o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe até você para destacar a importância de reduzir a ingestão de açúcar para melhorar a sua saúde e bem-estar. Se quiser saber mais sobre o assunto acesse: https://goo.gl/7P3pMc

 

 

 

TAGS: Refrigerante, Açúcar, Dieta, Saúde, Baixa caloria

Bactérias que vivem no seu intestino afetam suas emoções

Um estudo científico comprovou a conexão entre as bactérias encontradas no intestino e o nosso estado de humor. Essas bactérias além de auxiliar na digestão também interferem no nosso emocional.

Para que o estudo fosse possível as fezes de 40 voluntárias, com idades entre 18 e 55 anos, foram analisadas.

Depois da análise as mulheres foram divididas em dois grupos: no primeiro grupo ficaram as voluntárias com mais bactérias do tipo bacteroides, no segundo grupo as voluntárias com mais bactérias do tipo Prevotella.

As bactérias do tipo bacteroides são comuns em dietas com mais oferta de proteína animal, já as prevotella são encontradas em dietas baseadas em pães, massas e alimentos preparados com farinha. Isso significa que é possível controlar os níveis dessas bactérias através dos alimentos consumidos.

No grupo onde os bacteroides são mais presentes o córtex frontal e a insulina são mais espessos. Essas são regiões responsáveis pela memória de longo prazo, a introspecção e outras habilidades complexas.

O hipocampo é mais ativo neste grupo também, ele é responsável pela memória de curto prazo. Assim em 66,7% das voluntárias desse grupo as imagens negativas não causaram uma reação intensa.

Já no grupo onde a presença de prevotella é maior as reações após o experimento foram mais marcantes. Esta reação emocional intensa pode ter relação com as amígdalas e regiões basais.

Para os pesquisadores que conduziram o estudo o hipocampo também ajuda a regular as emoções, uma vez que pessoas com o hipocampo mais gordinho suportam mais as variações de humor.

Essa pesquisa também comprovou que somos o que comemos, pois a alimentação interfere no nosso estado de humor. Assim como nossa cultura alimentar pode influenciar o funcionamento do cérebro e como reagimos ao mundo.

Essa é mais uma matéria do Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, que mostra como a nossa dieta pode interferir em nosso humor. Para saber mais acesse:

TAGS: Intestino, Dieta, Alimentação, Bom humor, Emocional

 

Qual o seu tipo de metabolismo?

A nutrigenômica, ciência que estuda como a constituição genética de uma pessoa interfere no resultado da dieta, pode ser uma opção saudável no combate ao excesso de peso.

Pois nutrigenômica considera que cada pessoa possui um metabolismo diferente, e para isso ela separou os indivíduos em 3 grupos diferentes: os tipo carbo, tipo proteína e tipo misto, considerando os genes de cada sujeito. Assim que o tipo é identificado a pessoa pode comer a vontade, desde que respeite as indicações.

Para determinar o perfil bioquímico-metabólico e descobrir as necessidades de seu organismo variáveis como: condições físicas, estilo de vida, aspectos psicológicos e mentais, idade, e até o clima do lugar onde a pessoa vive são considerados. Exames clínicos e de laboratório também são realizados para determinar o tipo metabólico.

Para descobrir qual o seu tipo metabólico é só responder as perguntas abaixo com sim ou não:

Meu apetite no café da manhã é forte?

No almoço meu apetite é forte?

E no jantar meu apetite é forte?

Ficar mais de 4 horas sem comer é difícil?

Sinto-me faminto e necessito de lanches entre as refeições regularmente?

Vivo para comer e não como para viver?

Carne ou peixe nas refeições me deixa com mais energia?

Refeição vegetariana não satisfaz a minha fome?

Ingerir carne ou alimento gorduroso restaura minha energia?

Gosto mais de alimento salgado e gorduroso que os doces?

Consumir somente frutas não me satisfaz?

É muito difícil ficar de jejum?

Comer antes de dormir melhora o sono?

Beber suco de laranja pela manhã não me faz bem?

Café me deixa acelerado, nervoso e com tremores?

Meus olhos e nariz costumam ficar úmidos?

Durante o dia preciso urinar muitas vezes?

Frequentemente tenho que tossir e limpar a garganta?

Prefiro dormir pela manhã?

Quando me corto a ferida cicatriza rapidamente?

 

Resultado:

Se marcou 18 ou mais vezes “não” você é do tipo Carbo: invista nas proteínas leves como as vegetais ou derivadas do leite, reduza os laticínios e procure alimentos com baixo teor de gordura. Verduras, frutas, legumes e grãos são excelentes opções, mas o excesso de gordura e proteína absorvem suas energias causando irritação e ansiedade.

Se marcou 18 ou mais vezes “sim” o seu tipo é Proteína: prefira as proteínas, de preferências as de origem animal, consuma vegetais pobres em amido como alface, repolho, grãos, porém evite farinhas refinadas. Evite frutas em grandes quantidades, margarina e óleos hidrogenados.

Mas se marcou menos 18 respostas “sim” e “não” o seu tipo é Misto: inclua proteína nos lanches, a vontade de comer doces após as refeições pode indicar ingestão em excesso de grãos, bem como a vontade de comer doces após o consumo de frutas indica excesso de carboidratos e pouca proteína, diminuir o consumo de qualquer tipo de açúcar.

O Blog Homeopatia e Saúde, é um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, para matéria completa visite: https://goo.gl/pbJS5L

 

 

TAGS: Metabolismo, Dieta, Carboidratos, Proteínas

Frutas, legumes e verduras típicas do inverno

Chegou o inverno e o tempinho frio pede aquela sopa e caldo quentinho. Nesta época do ano percebemos um aumento do nosso apetite. Também temos mais vontade de comer alimentos gordurosos e calóricos.

Mas isso tem uma explicação, no inverno gastamos mais energia para manter a temperatura corporal, e para equilibrar essa perda temos que ingerir mais calorias. Por isso é preciso ter cuidado redobrado nessa época do ano, pois, senão fizermos um controle de nossa alimentação corremos o risco de entrar na primavera com excesso de peso e com o colesterol alterado.

Uma coisa que pode ajudar a manter a dieta no inverno é optar pelo consumo das frutas, legumes e verduras da estação.

Frutas

Dentre as frutas típicas da estação temos: a laranja lima, laranja pera, mexerica e morango, que são ricas em vitaminas C. O mamão formosa, a carambola e o kiwi também são ótimas opções de consumo.

Legumes

Temos batata-doce, cará, abóbora, ervilha comum, ervilha torta, cogumelo, inhame, mandioca, mandioquinha e pimentão vermelho. Não podemos esquecer o pinhão que é rico em gorduras insaturadas, que são ótimas para a saúde do nosso coração, e também é típico das festas juninas.

Verduras

As verduras típicas do inverno são: o brócolis, a couve, couve-flor, espinafre, palmito, agrião, chicória, mostarda e rúcula.

Aproveite os alimentos da estação na preparação de alimentos que são a cara do inverno como os caldos e sopas.

Os chás também são uma boa alternativa para se aquecer o inverno, eles possuem vários benefícios como proteção das artérias e ajudam na digestão, além de ter efeito antioxidante e anti-inflamatório.

A canela que tem ação estimulante, também pode ser usada em diversas receitas, ela ajuda na digestão, diminuiu o colesterol LDL, controla a glicose, também possui propriedades termogênicas e antidiarreicas.

Artigo do Blog Homeopatia e Saúde, que é um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, para mais informações sobre o assunto acesse: https://goo.gl/ao9jIj

TAGS: Inverno, Alimentos, Frutas, Legumes, Dieta

Considerações sobre o consumo de leite

A maioria de nós já deve ter ouvido falar que o homem é o único mamífero que toma leito durante a vida toda, entretanto esta afirmativa não está totalmente correta, pois o homem é o único mamífero que tem acesso ao leite no decorrer da vida, enquanto os outros animais não.

Algumas pesquisas comprovaram que a cerca de 10 mil anos atrás o leite da vaca era uma espécie de veneno para o ser humano, porque os mais velhos eram incapazes de produzir lactase, enzima que quebra a lactose.

Um dos principais componentes do leite de vaca é o cálcio, assim recomenda-se que um adulto consuma diariamente 1000 miligramas desse mineral, que é muito importante para a saúde dos ossos. Sendo que um copo de leite já atinge um quarto dessa necessidade.

Segundo a nutricionista Ligia Martini, professora na faculdade de Saúde Pública da USP, apesar do cálcio também ser encontrado em outros tipos de alimentos como nos vegetais verde-escuros, é no leite que encontramos mais desse mineral disponível, já que após a ingestão do leite a absorção de cálcio chega a 30%, com relação aos vegetais esse percentual cai para 5%.

São muitos os estudos sobre a contribuição do leite para osteoporose. A Universidade de Uppsala na Suécia, em 2014 causou comoção ao divulgar uma pesquisa realizada com 61433 mulheres e 45339 homens, onde comprovaram que o alto consumo de leite não só deixou a desejar em relação a proteção dos ossos, como também aumentou o risco de fraturas. Porém os próprios pesquisadores pedem ponderação na interpretação dos dados, pois mais pesquisas se fazem necessárias.

No Brasil o leite integral corresponde a 70% do mercado. Alguns estudos como o da Universidade Tufts, nos EUA, comprovaram os benefícios do leite integral na eliminação dos males ligados ao excesso de peso, o estudo mostrou que pessoas que consumem este tipo de leite é menos propensa a desenvolver o diabetes tipo 2.

A quantidade de gordura é só um dos aspectos ligados ao leite, hoje temos disponíveis diversos tipos de leite, tais como: com quantidade extra de proteínas, com vitamina D, ferro, fibras dentre outras opções. O importante é encontrar o leite certo para as suas necessidades.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe este assunto polêmico, pois acredita que pode ser de utilidade, matéria completa no link: https://goo.gl/VazRA6

TAGS: Leite, Saúde, Dieta, Cálcio

Dicas para secar aqueles últimos 7 quilos

Quando o assunto é perder peso são tantas as opções existentes que torna-se difícil decidir qual é a melhor dieta a ser seguida, qual vai ser a melhor alternativa para suprir as inúmeras necessidades e anseios, qual vai proporcionar uma maior perda de peso, dentre outras dúvidas que surgem pelo caminho e que sofrem a influência do nosso biótipo.

E mesmo depois de seguir a risca todas as recomendações da dieta escolhida os últimos quilos ainda são um desafio para o sucesso da dieta, por isso o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, entendendo as necessidades de quem faz dieta vai compartilhar as dicas da nutricionista Rovenia M. Broock para quem precisa perder aqueles últimos quilinhos extras.

  1. Tome o café da manha até 1 hora após acordar, isso vai acelerar o metabolismo e auxiliar na queima de calorias.
  2. Beba até 2 litros de água diariamente para combater o acumulo de toxinas, já que o corpo, muitas vezes, confunde sede com fome.
  3. Evitar longos períodos sem se alimentar, faça lanchinhos entre as refeições, mas opte sempre por alimentos saudáveis.
  4. Dormir no mínimo por 7 horas para melhorar o humor e a memória, isso também ajuda a afastar o estresse e ansiedade do dia.
  5. Com relação aos lanchinhos, o recomendável é comer porções que cabem dentro do seu punho fechado.
  6. Elimine os refrigerantes e bebidas doces do seu cardápio, até mesmo as bebidas diet e zero não são opções seguras.
  7. Tente não consumir alimentos até 3 horas antes de dormir.
  8. Tenha um diário alimentar para administrar o que come e bebe, também anote os momentos em que sente mais fome, essas anotações podem ajudar a entender o porquê ainda não conseguiu eliminar os quilos que faltam.
  9. Sempre que sair para fazer compras leve uma lista do que precisa, isso ajuda a evitar a compra daqueles alimentos calóricos.  

As dicas completas estão disponíveis no link: https://goo.gl/KDttyb

Ovos brancos x ovos vermelhos

Uns falam “prefiro ovo branco”, outros falam “prefira ovo vermelho”, mas você sabe a diferença entre os dois? Hoje, aqui no Blog Homeopatia e Saúde, vamos explicar qual é a real diferença entre os tipos de ovos de galinha.

Será que um tem mais nutriente que o outro? Será que um tem um sabor mais forte que o outro? Porque? PORQUE? Eis a questão!

É verdade que o ovo marrom contém mais nutriente que o ovo branco?

Isso é mito! Apesar de obter a aparência completamente diferente, os ovos possuem os mesmo nutrientes, nem mais, nem menos. A única coisa diferente eles os ovos é o valor no supermercado.

Mas, por que os ovos possuem cores diferentes?

Simples! O segredo está na alimentação que a galinha recebe. Por exemplo, um bebê que está sendo gerada no ventre da mãe, ela (mãe) terá que se alimentar da maneira correta para que a criança venha ao mundo com toda a saúde. Correto? Com a galinha as possibilidades são as mesmas, única coisa que muda que a ave irá nos proporcionar o alimento saudável, ou seja, conforme a sua alimentação saudável, o ovo ganhará o sabor natural.

Em relação a cor não podemos mais se preocupar com esse fator, pois os dois possuem os mesmos nutrientes. Se os dois possuem os mesmo nutrientes, por quer possuem ovos marrons e ovos brancos e nunca em uma cor única?

Simples, tem a ver com o tipo de galinha. As galinhas possuem cores diferente. Há aquelas mais pretas vermelhadas e as brancas. Sendo assim, as galinhas mais escuras a vermelhadas produzirão ovos marrons, enquanto as brancas produzirão as cascas mais claras. Não poderíamos deixar de mencionar que se as duas mantiveram uma dieta saudável, sem margens, de dúvidas os ovos terão o mesmo sabor.

Esperamos que sua dúvida em relação aos ovos fosse todas resolvidas. Caso você possua alguma galinha, já sabe a maneira adequada de alimentar a ave para que venha produzir alimentos ricos em nutrientes para nutrir o corpo.

O Blog Homeopatia e Saúde é uma publicação vinculada à Clínica Similia e aos doutores Ariovaldo Ribeiro Filho e Ana Lucia Dias Paulo.

Por que dançar faz bem?

Que dançar é uma delicia isso não podemos negar. Dia 29 de abril é comemorado o dia Internacional da Dança. Por isso resolvemos trazer esse assunto.

Para pessoas que não se adaptam bem com dietas a dança pode ser uma ótima aliada, pois durante esta atividade tão prazerosa queimamos calorias. Além de ajudar a manter a forma a dança faz bem a saúde, eleva a autoestima, e ajuda a proteger o corpo de problemas cardíacos e respiratórios.

Para Carlinhos de Jesus, dançarino e coreografo “a dança de salão é uma ótima terapia, pois acaba com o stress, auxilia no desenvolvimento do raciocínio e parceria, e ainda ajuda a desinibir até aquela pessoa mais tímida”.

E porque dançar é tão bom:

  • Queima calorias sem você perceber
  • É uma ótima oportunidade de fazer amigos
  • Controla a ansiedade, já que a dança acalma e tranquiliza.
  • Levanta a autoestima
  • Aumenta a flexibilidade e postura ao caminhar
  • Apura o equilíbrio e coordenação motora, com a dança o corpo se move com mais ritmo e agilidade.
  • Fortalece a musculatura enquanto você prática os passos de dança
  • Contribui com o fortalecimento do amor e cumplicidade do casal, durante a dança o casal tem a oportunidade de curtir a companhia um do outro.
  • Aumenta a frequência cardíaca, a circulação e amplia a capacidade respiratória.

A dança é uma parceira da saúde e bem-estar, a equipe do Blog Homeopatia e Saúde, espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, separou esta matéria para festejar o dia Internacional da Dança. Vamos dançar?

Matéria completa aqui: https://goo.gl/mMzrNx

TAGS: Dança, Saúde, Autoestima, Calorias, Dieta

Alimentos saudáveis que causam problemas na saúde

Não é porque o alimento é considerado saudável que está liberada a sua ingestão em demasia, pois todo excesso trás consequências e os alimentos que listaremos abaixo são a prova dessa máxima.

Vale salientar que os alimentos saudáveis podem ajudar na dieta, entretanto, também podem causar problemas para a nossa saúde.

Bolacha de arroz: apesar da baixa quantidade de gordura e calorias, elas são puro carboidrato, o que causa problemas no LDL (conhecido como colesterol ruim).

Chá verde: acelera o metabolismo e funciona como um termogênico, porém, tem muita cafeína. Se tomado em excesso causa problemas vasculares e aumento da pressão arterial.

Linhaça: utilizado como substituto da farofa pelos seguidores de uma dieta saudável, mas contém fitohormônios, que em abundância altera o sistema endócrino e hormonal do corpo.

Isotônicos: usados após exercícios físicos para repor rapidamente os líquidos perdidos durante a atividade, contudo possui muitos sais minerais, que em demasia podem virar cristal e causar pedras no rim ou em outros locais do canal urinário.

Frango: a carne mais sugerida para o consumo, mas a carne do frango precisa ter uma boa procedência, pois os hormônios injetados nela podem ser transmitidos para o organismo.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, encontrou este artigo interessante no seguinte link: https://goo.gl/Sj87XB

 

TAGS: Saúde, Alimentos, Dieta, Hormônios

Chás gelados garantem bem-estar e perda de peso

O calor não vem dando trégua no Brasil. Já pensou em aliar deliciosas receitas de chás gelados e, de quebra, garantir a perda de peso? Bom, se você é o tipo de pessoa que não se adaptou os sucos detox, o blog Homeopatia e Saúde trouxe o conteúdo que você estava buscando para potencializar sua dieta. E mais: o fato de a bebida estar gelada auxilia muito no seu objetivo final, garantindo um metabolismo acelerado.

Isso porque quando ingerimos algo gelado, nosso corpo vai ter que trabalhar mais para normalizar a temperatura da bebida. Todo esse processo faz com que o organismo queime mais calorias. Os coringas dessa proposta são muitos, como o chá de hibisco, de cavalinha, chá branco, de gengibre, carqueja e também o popular chá verde. Cada uma dessas opções requer um preparo diferente.

Por exemplo: se você quer o chá de hibisco, primeiro leve ao fogo 1 litro de água e deixe ferver. Depois disso, acrescente duas colheres de hibisco desidratado, abafe a infusão e deixa lá por até 10 minutos. Após isso, coe o chá e deixe na geladeira para chegar na temperatura ideal. Consuma todos esses frios.

Se quiser ver qual o procedimento adequado para cada erva e a receita certa para preparar o chá, o blog Homeopatia e Saúde, da Clínica Similia, selecionou o material ideal para você. Clique aqui e continue lendo.

No verão, aposte em alimentos mais leves

Na estação mais quente do ano, é importante manter uma alimentação balanceada e leve para enfrentar o calor e, de quebra, aprender a ter uma alimentação equilibrada. Investir em hábitos saudáveis é um importante mecanismo para manter a qualidade de vida e o bem-estar, e foi pensando nisso que o blog Homeopatia e Saúde buscou mais informações sobre o que comer em dias quentes.

Vale lembrar que além de consumir alimentos leves, é importante lembrar sempre de se manter hidratado e ingerir muita água. Até porque é nesse período do ano em que nosso corpo transpira em excesso. Portanto, a dica número um é andar sempre com uma garrafa de água por perto e não esperar o corpo pedir hidratação – se chegarmos a este ponto, é sinal de que o organismo já está desidratando.

O que consumir?

A dica do blog Homeopatia e Saúde, da Clínica Similia, é apostar em sucos, por exemplo o suco verde para iniciar o dia com mais energia é uma boa pedida, pois além de desintoxicar o organismo, ajudam o intestino a funcionar melhor. A combinação de frutas e vegetais garante a limpeza do organismo, além de serem diuréticos, ajudando a desinchar.

Não esqueça de consumir carboidratos bons, como é o caso dos integrais, batata doce e a tapioca. Carnes magras devem acompanhar os pratos, que também devem ser recheados com muita salada. As folhas e os vegetais garantem saciedade e caem muito bem em um cardápio de verão. Aproveitando a deixa de uma vida mais leve, lembre-se de fracionar as refeições para garantir que o metabolismo continue trabalhando em um ritmo mais acelerado.

A dica para consumir mais água se você é uma daquelas pessoas que não conseguem manter o ritmo de ingestão de líquido é apostar nas águas saborizadas com frutas e ervas. Além do sabor especial, esse toque a mais transfere as propriedades desses alimentos para o seu organismo.

Evite

Alimentos muito gordurosos, queijo amarelo, carne vermelha, fritura, comida a base de leite, maionese e doces muito pesados devem passar longe, uma vez que podem prejudicar a sua saúde. Pratos com muito condimento não são recomendados também, pelo mesmo motivo. Mesmo que seja refrescante para alguns, o excesso de consumo de bebidas alcoólicas em períodos de muito calor não é recomendado, em especial se o drink foi muito doce ou tiver cafeína – o efeito nesse caso é o contrário, em vez de se hidratar, essa ingestão vai fazer com que o seu corpo perca água.

Essas recomendações são reforçadas pelo blog Homeopatia e Saúde a fim de priorizar uma vida mais leve e saudável. O blog é vinculado a Clínica Similia, comandada pelo Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo

Comer gordura para emagrecer!

gorduras-boasUm pensamento que vai de encontro ao censo comum é que evitando a ingestão de gordura consegue-se melhores resultados para emagrecer.

Afinal, se gordura engorda, que papo é esse que comer gordura ajuda a emagrecer?

O Blog Homeopatia e Saúde, vinculado à Clínica Similia, e ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, foi buscar a informação para desmitificar essa informação. Saiba mais no texto.

Comer gordura pode sim ajudar a controlar a obesidade e os protocolos atuais de recomendação de consumo de gordura podem estar sendo usados de forma errada. Isso é o que afirma um recente relatório divulgado na Inglaterra. Segundo esse estudo a recomendação atual de baixo consumo de gordura nas dietas, foi baseada na “ciência imperfeita” e resultou em um aumento de ingestão de junk foods e de carboidratos.

A pesquisa afirma que é essencial uma revisão em torno da recomendação de ingestão de alimentos gordurosos, principalmente de alimentos naturais, como carnes, peixes e produtos lácteos integrais, além de frutas como abacate. O texto que foi publicado pelo National Obesity Forum (NOF) e pela Public Health Collaboration, argumenta que a gordura saturada não causa doença cardíaca, enquanto produtos lácteos integrais como leite, iogurte e queijo podem realmente proteger o coração.

Outro estudo, esse da Universidade Hebraica de Jerusalém, afirma que uma dieta rica em gordura em horários controlados pode ajudar a emagrecer. Segundo essa pesquisa a prática também pode fazer com que o metabolismo não acumule a gordura ingerida e, sim, utilize-a para produzir energia. Os pesquisadores de Jerusalém afirmam que deve-se aperfeiçoar o metabolismo pelo agendamento cuidadoso das refeições, sem limitar o conteúdo do cardápio diário. Dessa forma pode-se prevenir a obesidade nos humanos.

Nunca se viu tantos obesos

A pesquisa dos ingleses afirma que a principal prova de que as atuais recomendações estão erradas é que nunca se viu níveis de obesidade e diabetes mellitus tão altos. Eles associam isso com o consumo de alimentos processados rotulados como “baixo teor de gordura”, “light” ou “baixo colesterol”. O estudo também recomenda que as pessoas com diabetes tipo 2 devem comer uma dieta rica em gordura, ao invés de uma dieta baseada em hidratos de carbono.

gordurasOutras revelações importantes:

O estudo dos ingleses afirma que atualmente a recomendação de médicos e nutricionistas é de que alimentação em pequenas porções, e comer de 3 em três horas ajuda no processo de emagrecimento, pois aumenta o metabolismo, mas a pesquisa inglesa afirma que esses lanches entre as refeições pode ser a principal causa de obesidade atualmente.

Outro ponto destacado é que a contagem de calorias também é ineficiente, para não dizer prejudicial. Isso porque as calorias provenientes de diferentes alimentos têm “efeitos metabólicos” completamente diferentes sobre o corpo humano, tornando essa definição inútil.

E que é “incorreto” afirmar que solução para a obesidade é queimar mais calorias do que as que são consumidas, pois a obesidade é um distúrbio hormonal que leva à compartimentalização anormal de energia e que não pode ser resolvida apenas aumentando-se a quantidade de exercício realizada.

O Blog Homeopatia e Saúde recomenda que, apesar das pesquisas afirmarem que a ausência da ingestão de gordura pode estar associada ao peso, ao iniciar uma dieta, deve-se sempre procurar um nutricionista de confiança. E no caso de sintomas de diabetes, procure um médico homeopata.

O Blog Homeopatia e Saúde é uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Reduza o consumo de açúcar em 5 passos

Difícil resistir ao hábito de comer um docinho após o almoço, não é mesmo? Quando a TPM está próxima também, é complicado resistir a um chocolate. No entanto, você sabia que o consumo excessivo do açúcar pode causar dependência? Recentemente o Ministério da Saúde divulgou um estudo que mostra que um a cada cinco brasileiros ingere algum tipo de doce por cinco ou mais vezes diariamente. Quando verificamos a faixa etária dos 18 aos 24 anos, 30% deles comem doces todos os dias.

Esse estudo foi realizado com o objetivo de alertar sobre os malefícios desse hábito e, pensando em difundir essas informações, o blog Homeopatia e Saúde, da Clínica Similia, foi buscar mais dados sobre o assunto. O consumo exagerado está ligado à obesidade e é necessário se controlar. Para contornar esse desejo de ingerir açúcar diariamente, é possível adotar algumas estratégias para reduzir essa vontade.

Cinco passos
Pensando na sua saúde, confira cinco dicas escolhidas para te ajudar a diminuir o consumo. Uma dessas sugestões é distribuir bem as calorias ingeridas ao longo do dia, comendo de três em três horas, sem pular as principais refeições que são: café da manhã, almoço e janta. Isso porque quando esse equilíbrio não é alcançado, o organismo tende a compensar, fazendo com que a vontade de comer doces ou carboidratos aumente, em especial durante a noite.

Saiba mais
Quer conferir as outras quatro dicas? Veja a reportagem selecionada pelo blog Homeopatia e Saúde sobre este conteúdo clicando aqui.

Alimentação Vegana: Entenda os prós e contras

Uma moda ou alimentação realmente saudável? O Blog Homeopatia e Saúde foi buscar as vantagens e desvantagens para quem deixa de ingerir proteína animal.

Alimentação-Vegetariana

Entendendo melhor o Veganismo

Uma alternativa para quem se preocupa com o meio ambiente e tem forte apego aos animais, o veganismo não é só uma dieta alimentar, é também uma filosofia ética, religiosa, social e moral que modifica hábitos alimentares e sociais, mudando o olhar sobre a vida e consequentemente, mudando também o paladar sobre a própria alimentação.

A alimentação vegana exclui todo alimento de origem animal, e isso inclui além de carnes de aves, boi, peixe, porco, ou outros animais, seus derivados tais como leite, ovos, etc..

Como explicado acima, o veganismo é uma filosofia vegana, porém ela vem sendo usada para quem deseja perder peso através de uma alimentação com baixas calorias, já que a exclusão da gordura animal contribui significativamente para equilibrar os níveis de colesterol e gorduras no sangue.

Os adeptos da dieta vegana tem uma alimentação que consiste estritamente no consumo de alimentos de origem vegetal, como as frutas, os legumes e as verduras, além de leguminosas, cereais, nozes e sementes. É uma dieta simples de seguir, porém como toda alteração alimentar, apresenta seus prós e contras. Vejamos:

Vantagens apresentadas:

A Associação Dietética Americana lançou um estudo onde se propõe que a dieta vegana seja obrigatoriamente indicada na prevenção de doenças crônicas como diabetes, obesidade, câncer e hipertensão, sem restrição de idades, de crianças a adultos.

A justificativa baseia-se nos resultados apresentados em que os níveis de gorduras sanguíneas são baixos, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares, assim como o alto consumo de fibras estimula o bom funcionamento intestinal, além de promover a saciedade por mais tempo quando comparado com outras formas de alimentação.

Embora nada oficial tenha sido publicado, estima-se que os adeptos da alimentação natural sejam em número muito menor de pacientes portadores de doenças graves do que os que se alimentam de forma mais tradicional, onde o consumo de carne e embutidos é cotidiano. Os resultados obtidos relatam que algumas doenças tiveram seus sintomas amenizados e os riscos de gravidade diminuídos significativamente, após pouco tempo da dieta vegana introduzida ao paciente.

No entanto, deve-se levar em conta que ao retirar a carne animal, outros alimentos são introduzidos em acréscimo, o que pode significar que novos minerais e vitaminas alteraram positivamente no resultado da saúde dos pacientes enfermos.

Por reduzir alimentos considerados habituais da dieta, em especial a cozinha dos brasileiros acostumados ao consumo exagerado de carnes, o adepto do veganismo acaba conhecendo novos sabores e consumindo diversas outras fontes de vitaminas e minerais que antes eram ignoradas. É praticamente uma reeducação alimentar.

Alimentos industrializados acabam sumindo da mesa dos veganos, o que é positivamente saudável, dando lugar à alimentos mais frescos e sem aditivos.

Favorece perda de peso, não só pela modificação alimentar, mas também pela diminuição de gorduras ingeridas através das carnes.

Desvantagens:

Excluindo alimentos de origem animal da alimentação, perdemos quantidade significativa de nutrientes como B12, cálcio, ferro e zinco, minerais importantes para manter a saúde dos ossos, sangue e dentes,exigindo constante e atenta monitoração para controlar os níveis adequados de ferro e demais vitaminas, e caso seja necessário,completar com suplementação química receitada por médicos e nutrólogos, através de vitaminas  específicas.

Muito restritiva, exige uma mudança drástica nos hábitos alimentares, podendo trazer emoções conflitantes e alguns transtornos e passa a exigir adaptações sociais, uma vez que quase todas festividades e comércios onde servem alimentos não priorizam os seguidores do veganismo, deixando as festividades sociais com poucas alternativas para comer e beber sem que interfira na dieta. Para um vegano, sair de casa para se divertir requer também uma logística que envolve conhecer o local e a alimentação oferecia ou levar a sua própria marmita de casa.

Se mal feita, a dieta vegana certamente será fonte de transtornos à saúde, pois exige uma monitoração constante junto ao seu médico de confiança, para isso, é importante uma comunicação presente entre ambos.

Por se tratar de uma dieta drástica, não é recomendável que seja introduzida por conta própria, uma vez que sintomas como depressão, cansaço extremo e apatia podem se desenvolver se introduzida sem cuidado ou atenção necessária. A adaptação ao veganismo deve ser feita aos poucos, com paciência e acompanhamento de perto com profissionais da saúde, a fim de se evitar um choque no organismo e prejuízos à saúde.

veganismo-dieta-veganaPara o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho, a dieta vegana traz muitas vantagens para o organismo, mas deve-se ser sempre acompanhado por um profissional. “Como os veganos deixam de consumir qualquer tipo de proteínas de origem animal, é importante que quem escolha a alimentação vegana faça sempre um acompanhamento com seu médico de confiança. A importante que se façam sempre exames para detectar a deficiência de algum nutriente ou vitamina”, explica o médico homeopata.

Emagrecer: O que funciona e o que não funciona?

Dietas milagrosas, que prometem ser definitivas, e receitas que promovem a eliminação dos tais quilinhos extras são divulgadas aos montes nas redes sociais, nos sites e nas revistas populares. Mas será que elas funcionam de verdade? O Blog Homeopatia e Saúde foi descobrir o que há por trás dessas promessas para ter o corpo perfeito. Leia, compartilhe e mude seus hábitos.

Antes de falarmos sobre o que dá certou ou não em uma dieta, é preciso entender que emagrecer e perder peso são coisas diferentes. Emagrecer é resultado da eliminação de gordura corporal. E perder peso significa diminuir quilos na balança (no geral). Acontece que uma pessoa pode perder peso, sem emagrecer. Viu como é diferente?

download (1)“Dependendo de como acontece essa perda de peso, a pessoa pode, na verdade, tornar-se mais gorda em termos percentuais. Por exemplo, o individuo eliminou peso às custas de perda de massa magra, de músculo, e a gordura dela se manteve. Então, do ponto de vista percentual ela está mais gorda”, explica Guilherme Artioli, professor doutor especialista do laboratório de Nutrição e Metabolismo da Escola de Educação Física e Esporte, e docente da Escola de Educação Física, ambos da Universidade de São Paulo, USP.

É importante saber que é possível, e até bem provável, emagrecer sem perder peso, uma vez que o músculo ocupa menos espaço do que a gordura. “É uma coisa que acontece frequentemente quando você faz exercício físico. Perde gordura, mas, ao mesmo tempo, aumenta a massa magra muscular. Então, o peso na balança praticamente não muda. Mas a pessoa emagrece e esse é um resultado muito importante do ponto de vista da saúde e, inclusive, da estética”, explica o especialista.

Para verificar se uma pessoa está mesmo emagrecendo, mais do que ficar atento ao número da balança, outros pontos têm que ser observados, como medidas e a porcentagem de massa muscular que ela tem. Esse valor de massa magra é obtido através de um exame simples, chamado “biopedância” ou em balanças especiais, que a pessoa deve subir sem os sapatos, para que seja medida a porcentagem do corpo de músculos, gordura, ossos, etc.

download

Dietas funcionam?

A maioria das dietas propõe retirar itens da alimentação, ou seja, restringir o que se consome. Do ponto de vista do peso, essas dietas podem ser eficazes, pois realmente a pessoa pode eliminar quilos. Porém, uma pessoa pode até conseguir restringir sua alimentação por um tempo, mas a aderência (permanência) em longo prazo dessas dietas restritivas é extremamente baixa.

“Existem estudos que analisam a quantidade de pessoas que se mantêm na dieta ao longo do tempo. Mas depois de um ou dois anos é praticamente zero o número de pessoas que se mantém firmes na restrição. As pessoas vão abandonando essas dietas e até aqueles que possuem muita força de vontade não conseguem transformar essas dietas muito restritivas em hábitos para o resto da vida”, comente Guilherme Artioli.

Quando a pessoa que conseguiu perder peso (não necessariamente emagrecer) abandona a restrição alimentar, voltando aos hábitos alimentares anteriores, a tendência é recuperar o peso, junto com os antigos hábitos. É aí que mora o “efeito sanfona”, ou os ciclos de perder e ganhar peso. “Isso causa efeitos prejudiciais à saúde e já está bem descrito na literatura cientifica. Na verdade, a existência desses ciclos de perde e ganha peso é pior do ponto de vista da saúde, do que manter um peso elevado constantemente”, descreve o professor.

imagesO especialista apontou como prejudicial alguns métodos para emagrecer mais divulgados e praticadas atualmente: “Eu diria que a principal estratégia que as pessoas usam são as dietas restritivas e por dietas restritivas entende-se que as pessoas cortam algum nutriente. Por exemplo, cortam carboidrato ou diminuem muito a ingestão dele. Dieta restritiva também é cortar coisas especificas da alimentação. Ou ainda do ponto de vista calórico, diminuem muito o consumo alimentar geral.  São aquelas pessoas que ‘pulam’ o jantar ou diminuem muito a quantidade de alimentos em todas as refeições. Isso inclui a maioria das dietas da moda do tipo emagreça três quilos em cinco dias, cada um inventa a sua, mas são todas dietas restritivas”, relata Guilherme Artiolli.

Outro ponto a se observar quando se restringe a alimentação que normalmente será de algo que a pessoa gosta, e tem o hábito de consumir, e isso pode desenvolver um caso de compulsão. “Quanto mais a pessoa se priva mais ela pensa naquilo que ela não pode comer. Cedo ou tarde, ela vai ceder à tentação e na hora que ela se permitir, ela terá um episódio compulsivo é muito grande”, expõe o doutor.

 

Qual a solução?

images (1)A alimentação é importante para se manter saudável e para ter qualidade de vida, mas é também uma fonte de prazer. Por isso, o especialista recomenda que ter uma relação saudável com a comida é muito mais importante do que pensar no que pode ou não comer. Aprender a ter prazer com a alimentação não é consumir um único alimento compulsivamente, até não aguentar mais. Pois isso não é uma relação equilibrada.

Resumir a alimentação no pensamento “devo ou não comer isso?” é muito superficial. A questão é “eu sinto desejo de comer esse alimento e o quanto eu desejo comê-lo?”. Algumas vezes, as pessoas comem quantidades absurdas de um tipo de alimento e nem se dão conta de que estão comendo tanto. É a velha história de abrir um pacote de salgadinho ou pegar uma barra de chocolate, ligar a televisão e começar a comer. No começo você até sente o sabor, aquilo te agrada, te dá prazer. Mas, de repente, você está prestando atenção no filme ou em outra coisa e o ato de comer continua. Nem se dá mais conta que está ali num ato mecânico, mas, quando dá conta, já foi uma quantidade exagerada. Então, vem o sentimento de culpa e a experimentação de sensações negativas do ponto de vista psicológico.

Em nutrição existe um conceito chamado mindfull eating, que significa comer consciente. Quando for comer, pense: “Eu vou escolher meus alimentos com base no que mandaram eu comer, no que eu gosto ou no que eu quero naquele momento?”. Por exemplo, digamos que já tenha almoçado, quer uma sobremesa e gosta muito de chocolate, mas escolhe comer uma maçã e passa o resto do dia pensando no chocolate que não comeu. Na hora em que for comer esse chocolate, a chance de consumir uma barra inteira é enorme. Mas se você tiver consciência de que quer comer chocolate agora, vai comer chocolate agora, e não precisará de uma barra inteira, será apenas suficiente para se sentir satisfeito.“Essa é a relação que devemos ter com o alimento, muito mais do que ficar buscando um único jeito certo de se alimentar. Os alimentos que fazem bem, ou o bonzinho ou o vilão. Esse modo de pensar a alimentação que eu creio ser errado”, explica Guilherme.

Para o professor doutor, a melhor, mais saudável e duradoura forma de emagrecer é por meio de uma reeducação alimentar, que faz você ter um relacionamento saudável com a comida e pela prática constante de atividade física:

“Então o ideal é que consiga fazer mudanças nos seus hábitos, que aprenda a se relacionar com a alimentação de tal forma que possa obter o prazer de se alimentar e ao mesmo tempo fazer isso de uma forma saudável e equilibrada. Isso poderia levar a uma perda de peso ou emagrecimento significativo e sustentável em médio e longo prazo. Se tudo isso for combinado com prática regular de exercícios físicos o resultado será ainda melhor”, concluí o especialista.

 

Dica Alimentação: Carboidrato à noite engorda?

Vivemos em uma época cheia de regras e neuras, principalmente em relação à alimentação. Muitas vezes, essas regras são contraditórias e ficamos perdidos, sem saber a quem ouvir. Uma das dúvidas mais comuns sobre alimentação está relacionada à ingestão de carboidratos. O Blog Similia Homeopatia e Saúde apresenta um texto de reflexão sobre sua alimentação e sobre a ingestão de carboidrato.

Diante de tantas manchetes (muitas vezes contraditórias) sobre o que podemos e o que não podemos comer, ficamos muitas vezes perdidos. Para a nutricionista Desire Coelho vivemos em uma era de terrorismo nutricional. “Hoje, comer macarrão, batata ou pão é praticamente pecado… Comer isso após as 18 horas, então, é um crime!” diz. Ela explica que essas regrinhas de alimentação só geram insegurança, frustração e muitas vezes, quilos extras.

carboidratos-2A retirada de nutriente no período da noite pode funcionar desde que a pessoa não compense caloricamente em outros períodos da alimentação. Por exemplo: se você tinha o hábito de jantar arroz, salada e carne, e deixa de incluir o arroz no seu jantar está ingerindo menos calorias; portanto, a chance de emagrecer aumenta.

A Nutricionista Funcional e Esportiva Giórgia Suhelen Pfeifer alerta que uma dieta não deve ser composta de apenas uma atitude: “Dieta significa manter uma alimentação equilibrada em calorias, nutrientes e nos horários corretos. Não existe fórmula mágica, a única receita que funciona é colocar seu corpo em movimento. Junte a isso uma boa alimentação e vá adicionando, generosamente, doses de paciência, determinação e foco em seus objetivos”, afirma a especialista.

Antes de decidir parar de comer carboidrato a noite é necessário analisar se você costuma “treinar”, ou praticar atividade física no período noturno (antes do jantar). “O consumo de carboidratos após a prática de exercício físico é importante. Por isso, não precisa ficar se privando, seja durante o dia ou à noite. Até mesmo porque restrição gera compulsão e, quanto mais você tenta evitar algo, mais obcecado por aquilo tende a ficar”, pondera Desire. Para ela, “a melhor solução [para a perda de peso] é consumir os alimentos de modo equilibrado, mantendo uma alimentação simples e o mais natural possível na maior parte do tempo. Isso sim irá lhe trazer ótimos resultados”.

importancia-dos-carboidratosA nutricionista Marcela Frias explica que existem dois tipos de carboidrato: os simples, encontrado nas farinhas brancas e no açúcar refinado. Quando ingeridos, entram no organismo e rapidamente são quebrados em moléculas de glicose. “Se você não gasta essa energia, não se exercita, esse acúmulo levará a um aumento dos estoques de gordura, ou seja, aqueles pneuzinhos que tanto incomodam. Isso, independentemente do horário”, conta a nutricionista. No caso de se alimentar deste tipo de carboidrato à noite, o que ocorre é que ele, provavelmente, não irá desempenhar muitas funções naquele horário. O que significa que o corpo irá estocar aquela energia.

Já o outro tipo de carboidrato, o complexo, não passa por processo de refino e, portanto, tem as fibras  preservadas. “Dessa forma, ao ser consumido, seu processo digestivo é mais lento e a liberação de insulina não é tão requisitada, não tendo, também, a necessidade de estoque no organismo”, complementa Marcela. lista carboidratosO carboidrato complexo pode ser encontrado em uma série de vegetais como espinafre, nabo, alface, em algumas frutas como maçãs, pêras, ameixas, e em cereais como trigo, cevada, arroz integral, etc. [Abaixo colocamos a lista na íntegra para você.]

Por outro lado, ressalta a nutricionista Camilla Coelho, do Rio de Janeiro, ingerindo quantidades de carboidratos pela manhã, você terá mais chances de utilizar a glicose do café da manhã, por completo ou parcialmente, logo após a alimentação. Assim, é justificado o receio que muitas pessoas têm em consumir esse nutriente à noite.

O segredo é balancear, saber consumir a quantidade certa, a fim de evitar excessos, além de fazer as opções mais saudáveis como, por exemplo, arroz ou massas integrais, quinoa, aveia, batata doce ou baroa, entre outras.

Lista de Carboidratos Complexos

tabela