Remédios Homeopáticos e Fitoterápicos

O poder da água e das plantas medicinais na cura  

fitoterapicos

Você está se sentindo abatido, depressivo ou cansado? Aquela alergia insiste em dar as caras – e justo na sua pele? A ansiedade está gritando com você, querendo dar as ordens no seu dia a dia? Talvez seja a hora de recorrer aos medicamentos para encontrar equilíbrio e harmonia. Mas nada de substâncias sintéticas: o fator de cura dos medicamentos homeopáticos e fitoterápicos está, respectivamente, na água e nas plantas medicinais.

TFGP.

Diferenças…

Mesmo com o acompanhamento de um médico responsável – sempre necessária – a ingestão da alopatia (os remédios comuns, produzidos basicamente com substâncias sintéticas), pode trazer efeitos colaterais tão perigosos e desagradáveis quanto os que pretende combater. Isso porque a alopatia – sistema de medicação utilizado pela medicina tradicional para combater as doenças – provoca no organismo o oposto dos “sintomas”. Assim, a depressão é tratada com antidepressivo e inflamações com anti-inflamatórios.

O fato de usar elementos sintéticos, criados artificialmente, leva a alopatia a tratar determinado problema mas, simultaneamente, provocar um novo problema de saúde. É por esse motivo, por exemplo, que doentes crônicos precisam ingerir, diariamente, medicamentos para proteger ou tratar o estômago.

Para evitar esse tipo de situação, há duas opções bem viáveis: substituir os “sintéticos” por água ou por plantas medicinais.

fitoterápicoshomeopatia-medicamento-01 (1)

… e Semelhanças

Os remédios homeopáticos fazem uso de substâncias naturais, extraídas dos reinos vegetal, mineral e animal, diluídos em água. Essa diluição é, inclusive, uma das principais características do medicamento homeopático, e foi cunhada pelo  alemão Samuel Hahnemann, no século 18.

A proporção utilizada é uma parte do princípio ativo diluída em 99 partes de água. Esse processo de diluição pode ser repetido até 30 vezes, extraindo-se uma parte da solução inicial, diluída em outras 99 partes de água. Note que, ao diluir o princípio ativo em água, a homeopatia consegue neutralizar possíveis efeitos tóxicos que a substância poderia carregar, naturalmente.

Outra diferença do medicamento homeopático em relação à alopatia é o princípio de semelhança. Ou seja: o organismo é tratado com substâncias que provocam os mesmos efeitos que a doença. Esse conceito dá ao organismo uma doença “artificial”, que é usada para tratar a doença real. Um tipo de estágio, no qual o corpo aprende a como trabalhar efetivamente.

saudável

O poder da natureza

Tradição milenar, a terapia vegetal é amplamente difundida entre a população brasileira. São comuns os chás e infusões que prometem – e, muitas vezes, cumprem – curar determinados males, de dor de estômago a problemas de ereção. E as plantas medicinais são a origem da fitoterapia, a única entre as terapias alternativas a contar com uma indústria de medicamentos. Mas essa ‘indústria’ não modifica as substâncias, apenas relaciona as partes da planta mais adequadas ao uso (raízes, folhas, caules, depende da espécie) e as fraciona em porções adequadas.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou uma lista com 66 plantas de comprovado efeito medicinal. Uma consulta à essa publicação pode ajudar na hora de decidir pelo uso do medicamento fitoterápico – mas esse conhecimento não é suficiente para assegurar que o consumo de determinada planta ou erva é seguro. Não custa lembrar: sempre que for necessária a ingestão de um remédio, a indicação deve vir de um médico.

Agora que você já conhece as principais diferenças entre medicamentos alopáticos, homeopáticos e fitoterápicos, já pode exercer o seu poder de escolha.

8 Responses to Remédios Homeopáticos e Fitoterápicos

  1. Cézar Forte disse:

    Excelente explicação e que deveria ser difundida para as pessoas comuns, ou seja, sem formação científica. Att. Cézar Forte

    • Similia Homeopátia disse:

      Obrigado Cézar
      Nosso blog é escrito para todos, não apenas para quem tem formação na área. Ajude a divulga-lo.
      Um abraço

  2. Omar Bueno Ribeiro disse:

    Gostei da explicação de fácil compreensão e entendimento.

  3. Edvaldo da Silva Sena disse:

    Infelizmente, a homeopatia e a fitoterapia não tem medicações para tratar as doenças do sistema nervoso. Tenho um amigo com o mal de Parkison e ele não gostaria de tomar essas medicações alopatas, por causa dos efeitos colaterais.
    Assim que, nesse ramo da medicina, passar a existir medicação para essa enfermidade, deixe-me informado.
    abraços.

    • Similia Homeopátia disse:

      Olá Edvaldo,

      Mesmo sem uma medicação específica para o mal de Parkinson, a homeopatia e a fitoterapia podem contribuir para o estado geral da saúde do seu amigo. Assim, o ideal seria que ele procurasse um médico que pudesse ajudá-lo a equilibrar todo o organismo, de forma a minimizar os males e sintomas do Parkinson. E fique sempre ligado no nosso Blog: sempre que surgem novidades nós informamos.

      Obrigada!

  4. BOM DIA. GOSTARIA DE SABER SE EXISTE REMEDIOS HOMEOPATICOS OU FITOTERAPICOS PARA ARTROSE, OSTEOPOROSE E CONDROMÁLACIA PATELAR NOS JOELHOS, E ARTROSE NA CERVICAL.

    OBRIGADA.

  5. Sant de Almeida disse:

    BOA TARDE!GOSTARIA DE SABER SE EXISTE REMÉDIOS HOMEOPATICOS OU FITOTERAPICOS PARA CONDROMÁLACIA PATELAR.

    OBRIGADA.

    • Similia Homeopatia disse:

      Olá
      Toda enfermidade pode ser tratada com homeopatia. Os remédios homeopáticos buscam sempre restabelecer o equilíbrio no organismo do individuo. Por isso, procure um médico homeopata de sua confiança e agende uma consulta. Além do diagnóstico que você já tem, o médico vai procurar saber inúmeras outras questões sobre seus hábitos, sua vida e suas emoções, pois isso tudo afeta sua saúde.
      Um abraço
      Equipe Homeopatia e Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *