Category Archives: Homeopatia

A homeopatia na saúde digestiva

O dia mundial da Saúde Digestiva é celebrado no dia 29/05, por isso o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, traz para vocês uma entrevista com o DR. Ariovaldo, onde ele fala da importância de termos bons hábitos alimentares, as principais causas das doenças digestivas, e como a homeopatia pode auxiliar no controle e combate dessas doenças.

O Dr. Ariovaldo uma das principais causas de doenças digestivas é uma alimentação desregulada. Ter uma alimentação de baixa qualidade é um problema de saúde dentro de nossa sociedade. Pois as pessoas que costumam fazer do fast food uma refeição, e por causa disso tendem a ter problemas de saúde. Sendo essa uma prática muito frequente nos hábitos alimentares da população.

Muitas vezes o paciente vem procurar tratamento médico quando na verdade o que ele precisa é de uma orientação de vida, aponta o Dr. Ariovaldo, sendo que, geralmente, a solução consiste numa correção dos hábitos alimentares, na inserção de atividades físicas em sua rotina, dentre outras atitudes que melhoram a saúde como um todo.

Apesar do bombardeio de informações sobre hábitos saudáveis as pessoas recebem da TV, revista e internet, elas ainda pecam muito quando o assunto é qualidade de vida. Isto é consequência de falta de disciplina que as pessoas têm com relação à manutenção de rotinas saudáveis. Elas até sabem, mas não têm consciência da importância de uma alimentação saudável em suas vidas.

Segundo o Dr. Ariovaldo as pessoas costumam empurrar com a barriga quando o assunto é vida saudável, deixar para depois se tornou uma prática comum entre a população. São pequenas atitudes que as pessoas não percebem o quanto são importantes, só que mais a frente chega a conta.

A homeopatia que já é conhecida como uma prática que reestabelece o equilíbrio do organismo também pode auxiliar no controle das doenças digestivas. Muitas pessoas recorrem a homeopatia para tratamento de doenças gástricas. Frequentemente, os problemas das doenças gástricas e digestivas não têm origem somente na má alimentação, também provêm de causas emocionais, como fatores de estresses, dentre outros inúmeros fatores que colaboram para que a pessoa adoeça.

Por isso, normalmente, a homeopatia associada a correções alimentares e orientações funciona muito bem, assim como a prática de esportes que tem como objetivo uma vida mais saudável.

Manter uma dieta equilibrada, com o consumo de alimentos de autovalor nutritivo e pouco calóricos, como frutas, legumes, cereais, proteínas, bem como a ingestão de no mínimo 6 copos de água por dia, também pode proporcionar o bom funcionamento do sistema digestivo.

O estresse, a ansiedade e a depressão também podem levar a problemas como a má-digestão, desconforto, diarreia, azia e constipação. Diante disso a prática de atividade física é tão benéfica para a saúde. Também é preciso evitar os alimentos processados industrialmente, pois eles possuem grandes quantidades de gorduras sal, açucares e aditivos.

A saúde e o bom funcionamento do sistema digestivo estão intimamente ligados aos bons hábitos alimentares.

 

 

TAGS: Alimentação, Homeopatia, Dr. Ariovaldo, Saúde, Digestivo

Alguns cuidados com o seu medicamento homeopático

Por se tratar de um tipo de medicamento no qual a ação está baseada em preparações dinamizadas, portanto, que envolvem campos energéticos, os medicamentos homeopáticos não devem ficar próximos à computadores, televisores, já que esses alteram os efeitos da medicação, por isso os homeopáticos exigem mais cuidados na hora do armazenamento.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia, Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, preparou para vocês uma lista com alguns cuidados com os seus medicamentos homeopáticos.

– evite manipular os medicamentos, coloque a quantidade necessária na tampa do frasco em seguida vire na boca sem encostar.

– se o medicamento for líquido nunca encoste o conta gotas na língua

– os medicamentos homeopáticos líquidos são feitos em solução alcoólica que varia de 30 a 40%, logo é recomendado sua diluição em água. Sugere-se também um copo somente para esse fim, ou o uso de um copo descartável.

– manter os medicamentos longe de odores fortes como essências, perfumes, produtos de limpeza, computador, celular, luz do sol, etc.

– Recomenda-se não ingerir qualquer tipo de alimento 15 minutos antes e depois de tomar o medicamento.

– o medicamento não deve ser misturado com chá, suco, leite, ou alimento, se necessário diluir somente em água.

– Os medicamentos homeopáticos são de uso individual, por isso não devem ser indicados para outras pessoas, nem automedicar-se.

– medicamentos receitados em alta potência (200-CH, 200FC, 1MFC e etc.) somente devem ser repetidos por recomendação médica.

– verifique os medicamentos homeopáticos com a receita, se alguma divergência for encontrada entre em contato com um de nossos farmacêuticos ou com o seu médico.

– se forem ingeridos próximo da escovação, isso deve ocorrer 10 minutos antes ou meia hora depois, porque a menta é cheiros fortes pode cortar os efeitos do medicamento.

– Medicamentos solicitados via telefone precisam ser conferidos com a receita antes de serem usados.

– entre uma medicação e outra fazer um intervalo de 15 a 30 minutos.

– Não mude a forma de utilização farmacêutica do seu medicamento sem indicação médica.

– manter o medicamento fora do alcance das crianças e animais domésticos.

– respeitar o prazo de validade da receita, que varia entre 30 e 60 dias, não repetir a receita sem orientação médica.

Estes são alguns cuidados com o uso e armazenamento do seu medicamento homeopático, porém, não são os únicos. Os cuidados começam na escolha de um bom profissional. Bem como em relação à farmácia que vai manipular esses medicamentos, os frascos também precisam ser de cor âmbar, estar hermeticamente fechados e com as datas de validade. Não esquecer que o sol e a radiação são inimigos dos homeopáticos. É sempre bom reforçar.

Dicas retiradas do site: https://goo.gl/ZqRPQd

 

TAGS: Saúde, Homeopatia, Medicamentos Homeopáticos

Depressão pode ser tratada com homeopatia

Em uma vida cercada cada vez mais por remédios e pessoas que mais parecem zumbis, as alternativas naturais têm sido muito buscadas como solução dos mais diversos problemas. Desde uma simples alergia, câncer ou depressão, todas são passíveis de tratamentos homeopáticos. Foi pensando em te informar melhor sobre este assunto que o blog Homeopatia e Saúde foi busca mais dados para seu conhecimento. O blog é vinculado à Clínica Similia, do Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

O assunto dessa postagem é “depressão”, doença que se manifesta nos mais diversos momentos da vida. Uma das formas mais comuns da doenças, a depressão pós-parto, acomete de 50 a 80% das mulheres que têm filhos, por exemplo.

Porém ainda há muito desinformação sobre o assunto. Se você tem dúvidas, busque o auxílio de um médico homeopata de sua confiança, e relembre os principais sintomas em outra publicação, aqui do blog.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão atinge aproximadamente 340 milhões de pessoas ao ano. Em nosso País, esse número é de 13 milhões. O pior desse dado é que até 5% desse número é formado por crianças que sofrem do transtorno. É perfeitamente possível adotar um estilo de vida mais saudável, com tratamento da causa e não somente do sintoma, através da homeopatia.  Esse é o princípio da abordagem, que analisa o histórico do paciente e combate a doença partindo da compreensão da vida de quem busca essa forma de tratamento.

Um tratamento homeopático é capaz de proporcionar estímulo suficiente ao organismo para que o organismo possa se equilibrar. Mas isso não é resolvido apenas em uma consulta, por ser muito vaga. O tratamento, em geral, é feito a longo prazo, tratando o que ocasionou a depressão e não a depressão propriamente dita. O acompanhamento é feito pouco a pouco. Porém, a eficácia desse tipo de tratamento surpreende tanto, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) classifica a homeopatia como o segundo método de terapia mais usado em todo o mundo.

O blog Homeopatia e Saúde reforça a necessidade de sempre ter o acompanhamento de um profissional para qualquer sintoma que você apresente. Pense sempre positivamente e com otimismo para manter o bem-estar e a saúde, e aproveite com mais qualidade de vida.

 

Psoríase: não tem cura, mas tem tratamento

A psoríase é uma doença que atinge mais de 3 milhões de pessoas no Brasil, e é caracterizada pela presença de placas com escamas esbranquiçadas e regiões avermelhadas no corpo. Normalmente aparecem nas mãos, pés, unhas, couro cabeludo, joelhos e também nos cotovelos. Se trata de uma doença crônica, que não tem cura, porém, tem tratamento e pode ser controlada.

O blog Homeopatia e Saúde, da Clínica Similia, do Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, levantou quais são os tipos existentes de psoríase:

– Em placas: como o nome já sugere, é caracterizada pela aparição de placas esbranquiçadas, secas, e que descamam. Pode ocasionar coceira e dor. É a mais comum;

– Invertida: formada por manchas inflamadas e avermelhadas, costumeiramente atinge os locais mais úmidos do corpo, em que há dobras. Mais grave em pessoas acima do peso;

– Gutata: recorrente em crianças e adolescentes, decorrente de infecções de origem bacteriana, formam feridas que descamam. Mais comum na região do tronco, braços, pernas e na cabeça;

– Ungueal: essa doença atinge as unhas, prejudicando o crescimento. Caracterizada por unhas onduladas, sem cor, grossas ou escamosas, com manchas de cor amarela;

– Pustulosa: aparição mais rara, é identificada pela aparição de bolhas cheias de pus, gerando coceira, incômodo, febre e calafrios;

– Eritrodérmica: ocasionada por lesões que alcançam até 75% do corpo, atingindo com manchas avermelhadas que coçam e ardem;

– Artropática: além da costumeira inflamação da derme, vem acompanhada de dores intensas nas articulações;

– Palmo-plantar: aparições das manchas e escamações na mão e nos pés;

Causas

Além da crença de que a psoríase é uma doença genética, uma vez que se estima que até 10% das pessoas herdem os genes responsáveis por desencadear a doença, é possível também que esta seja desenvolvida a partir de fatores externos em 3% dos casos, como lesões na pele, estresse, fumo, infecções de garganta, mudanças climáticas, uso excessivo de bebida alcoólica, utilização de determinados medicamentos, entre outros.

Cuidados

O blog Homeopatia e Saúde reforça que é imprescindível uma consulta a um especialista para averiguar a doença e o nível em que se encontra para a indicação de um tratamento adequado. O diagnóstico da psoríase é feito clinicamente, podendo ainda ser solicitada uma biópsia do local afetado para confirmação. O tratamento se feito da forma adequada pode amenizar e normalizar a aparência da pele, diminuindo a inflamação e os sintomas incômodos.

“A ansiedade afeta a qualidade de vida e saúde das pessoas”, afirma Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe esse artigo para conta como a ansiedade pode afetar sua saúde e qualidade de vida, com informações cedidas em entrevista pelo Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho.

Considerada “o mal do século XXI”, a ansiedade não é apenas um transtorno mental e comportamental. De fato, a ansiedade desencadeia uma série de problemas que interferem de forma direta na vida daqueles que sofrem com o transtorno.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um levantamento que apontou um dado assustador: em quadro mundial, 33% da população sofre de ansiedade. E o Brasil está entre os primeiros da lista. São Paulo se destaca entre as cidades do mundo todo, com 29,6% dos paulistanos sofrendo com transtorno de ansiedade. Aliás, o relatório de pesquisa da São Paulo Megacity Mental Health Survey, de 2014, apontou a região metropolitana como aquela que possui a maior incidência deste tipo de perturbação mental no mundo.

Sintomas e Consequências da Ansiedade

Apesar do número altíssimo de incidências no Brasil, a resistência em procurar acompanhamento profissional é tão grande quanto e, por vezes, os pacientes só buscam ajuda quando o transtorno se desdobra em situações graves. E sendo um mal tão comum, é importante conseguir identificar os sintomas para prevenir e iniciar o tratamento o mais cedo possível.

Na entrevista, o Dr. Ariovaldo Ribeiro contou quais são os sintomas apresentados com mais frequência: “A ansiedade pode prejudicar o sono, causando agitação e insônia, por exemplo; a pessoa percebe também que está comendo demais, principalmente à noite. E passa a apresentar sintomas como vertigens e tonturas, que costumam chamar erroneamente de ‘labirintite’, mas não é. Trata-se apenas de tontura e vertigem, fruto do cansaço e da ansiedade.”, afirma.

Além disso, o homeopata também revelou as consequências, ou seja, como isto afeta a vida das pessoas: “A ansiedade excessiva começa a prejudicar o rendimento no trabalho, a vida e os relacionamentos pessoais. A pessoa nota cada vez mais que as coisas passam a fugir do controle alertando para a necessidade de tratamento especializado.”, comenta Dr. Ariovaldo.

 imagesAnsiedade e Homeopatia

Diante de uma tendência crescente de medicalização da vida e da consequente resistência dos pacientes em aceitar as inúmeras prescrições químicas para a ansiedade, a homeopatia se destacou como alternativa para quem sofre com o transtorno.

A abordagem holística que contempla não só a análise fisiológica, mas também emocional, psicológica e social, entendendo o ser humano como ser multifacetado e plural que é, pode ajudar no tratamento da ansiedade de modo menos agressivo que o tratamento tradicional.

“Na realidade, a homeopatia considera a ansiedade como um desequilíbrio da saúde que precisa de tratamento que leve em conta a visão integral do ser humano, ou seja, todas as causalidades e peculiaridades no surgimento e evolução do processo da enfermidade. Com o medicamento homeopático a pessoa ansiosa passa a sentir maior equilíbrio nas situações cotidianas”, explica o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho, que é Presidente da Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB) e vice-presidente da Associação Paulista de Homeopatia (APH).


dr-ariovaldoDr. Ariovaldo Ribeiro Filho

Graduação em Medicina em 1983 pela UNIFESP – CRM/SP 47385 – RQE 11125.

Exercício profissional da medicina em clínica médica e pediátrica desde 1984.

Especialista em Homeopatia e Acupuntura pela Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB) em convênio com a AMB e CFM.

Presidente da Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB).

Presidente da Associação Paulista de Homeopatia (APH – 2002/2005 e 2005/2008).

Diretor científico do Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Homeopatia da Alpha-APH (www.especializacaohomeopatia.com.br).

Presidente do XXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE HOMEOPATIA (Hotel Maksoud Plaza – São Paulo/SP – 09/2008).

Professor convidado de diversas associações e instituições nacionais e internacionais de ensino da Homeopatia, bem como, conferencista em inúmeros eventos relacionados (congressos, jornadas, cursos, seminários etc.).

Autor dos livros Repertório de Homeopatia, Repertório de Homeopatia Pediátrica, Repertório de Sintomas Homeopáticos (6ª ed.), Repertório Homeopático Digital (publicação eletrônica, 4ª ed.), Repertório de Sintomas-chave em Pediatria Homeopática e Conhecendo o Repertório e a Semiologia Homeopática. Possui também inúmeros artigos e colaborações em livros e publicações científicas.

Dor de cabeça

Não existe no mundo nenhuma pessoa que nunca tenha tido sequer uma dor de cabeça. A dor mais comum, tem também inúmeros motivos para aparecer. E quase tudo que fazemos pode proporcionar dor de cabeça. Estresse, fome ou excesso de alimentação, sede, ressaca, falta de sono, excesso de sol, e mais uma infinidade de motivos podem causar uma dor esporádica de cabeça. O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, pesquisou sobre o tema e conversou com o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho para contar para vocês o que fazer quando essa dor aparecer.

A dor de cabeça pode ser crônica, e aparecer sistematicamente, constantemente. Nesse caso, conforme explica Dr. Ariovaldo, é importante a intervenção médica, para investigar o motivo. “Enxaqueca, uma dor constante deve ser investigada. O paciente vai contar ao médico sempre o que estava fazendo, ou os acontecimentos cotidianos em torno da dor. O médico vai buscar descobrir ai a causa, para, somente ai, buscar um medicamento que possa auxiliar”, explica o médico homeopata e presidente da AMHB – Associação Médica Homeopática Brasileira.

Porém, como explicar, a dor de cabeça esporádica. Este tipo de dor pode aparecer por uma série de razões, e normalmente nós mesmos conseguimos essas razões, bastando para isso, observar em nossas atitudes e no que passamos no dia a dia o que desencadeia os sintomas. Nesses casos, segundo Dr. Ariovaldo, a homeopatia não recomenda o uso de medicamentos de imediato. “Se o paciente sofre com dores de cabeça esporádicas, ao conversar com o médico, uma recomendação de dieta especial, algum chá ou até mesmo repouso pode resolver o problema”, explica o médico.

Vale lembrar que ao sentir uma leve dor de cabeça, procure avaliar alguns pontos, antes de recorrer ao uso de medicamento:

  • Você está hidratado? Qual foi a quantidade de água que ingeriu no dia?
  • Você está com fome? Veja se a alimentação que você consumiu foi suficiente, ou correta.
  • Você está com sono? Dormiu o suficiente ou se cansou demais ao longo do dia?
  • Você está estressado? O dia foi puxado ou algo aconteceu que te tirou do seu prumo?
  • E por último, apenas para mulheres, você está próxima de menstruar? Um dos sintomas da TPM é dor de cabeça

O Blog Homeopatia e Saúde recomenda sempre que se procure um médico homeopata de confiança e o visite regularmente para que seu tratamento possa ter bons resultados.


dr-ariovaldo

Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho

Graduação em Medicina em 1983 pela UNIFESP – CRM/SP 47385 – RQE 11125.

Exercício profissional da medicina em clínica médica e pediátrica desde 1984.

Especialista em Homeopatia e Acupuntura pela Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB) em convênio com a AMB e CFM.

Presidente da Associação Médica Homeopática Brasileira (AMHB).

Presidente da Associação Paulista de Homeopatia (APH – 2002/2005 e 2005/2008).

Diretor científico do Curso de Pós-Graduação Lato-Sensu em Homeopatia da Alpha-APH (www.especializacaohomeopatia.com.br).

Presidente do XXIX CONGRESSO BRASILEIRO DE HOMEOPATIA (Hotel Maksoud Plaza – São Paulo/SP – 09/2008).

Professor convidado de diversas associações e instituições nacionais e internacionais de ensino da Homeopatia, bem como, conferencista em inúmeros eventos relacionados (congressos, jornadas, cursos, seminários etc.).

Autor dos livros Repertório de Homeopatia, Repertório de Homeopatia Pediátrica, Repertório de Sintomas Homeopáticos (6ª ed.), Repertório Homeopático Digital (publicação eletrônica, 4ª ed.), Repertório de Sintomas-chave em Pediatria Homeopática e Conhecendo o Repertório e a Semiologia Homeopática. Possui também inúmeros artigos e colaborações em livros e publicações científicas.

Remédio é associado a surto em crianças

Uma notícia assustadora foi divulgada pelas autoridades australianas em relação ao princípio ativo de um medicamento para asma. Segundo o texto, garimpado pela equipe do Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, publicado pelo portal da revista Veja, o risco é baixo, mas existe.

A matéria afirma que uma classe de medicamentos para asma estaria associada a episódios de depressão e até pensamentos suicidas em crianças. Tratam-se de medicamentos alopáticos de uso comum para tratamento de rinite, asma e dermatite atópica, principalmente em crianças e adolescentes.

O Blog Homeopatia e Saúde recomenda a leitura na íntegra do texto e a consulta de um especialista homeopático, pois os medicamentos que a homeopatia utiliza não possuem contra indicação.

Leia o texto: https://goo.gl/jwmLrC

Câncer infantil – Precisamos falar sobre isso!

No começo do mês de setembro Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, participaram do XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia. Um dos assuntos discutidos pela Dra Ana foi o Câncer Infantil. O Blog Homeopatia e Saúde bateu um papo com ela e vem explicar o que ela aprendeu no congresso.

Descobrir um câncer na família nunca é fácil, mas descobrir um câncer em uma criança é sempre devastador. Porém a recomendação principal da pediatra Dr. Ana Lucia Dias Paulo é investigar. “Um diagnóstico de câncer é difícil em qualquer idade. Pior ainda em se tratando de crianças. Mas é importante um diagnóstico preciso. Fazer os exames necessários, investigar profundamente para saber a dimensão da doença. Importante também é seguir à risca as orientações do médico”, recomenda Dra. Ana.

Relembre o que é câncer “Câncer é um nome genérico para um grupo de mais de 200 doenças

dest3Uma das orientações médicas atuais é ser o mais verdadeiro possível com o paciente. Mas cuidado ao dar a notícia para a criança, principalmente entre 2 e 6 anos de idade. Dra. Ana recomenda utilizar uma linguagem lúdica. “A criança deverá saber, pois precisará colaborar com exames e procedimentos que são desgastantes, mas é importante essa comunicação ser de forma lúdica, como jogos, figuras, estórias, etc.. Assim teremos a criança participativa do processo de cura e não depressiva achando que vai morrer”, aconselha a médica.

Outro ponto importante que o Blog Homeopatia e Saúde destacou da conversa com a médica pediatra e homeopata Dra. Ana Lucia Dias Paulo é sobre o aumento do número de casos de câncer infantil. Ela cita o pensamento do filósofo Alex Carrel que afirmava, já no século passado, que a humanidade conviverá com mais doenças degenerativas que infecciosas, em virtude do ritmo adotado de vida, principalmente nas grandes cidades. “Um dos aspectos principais, no meu ponto de vista, é que criança leva vida de adulto atualmente, com compromissos e pouco tempo para ser criança. Criança deve brincar, e muito. Além disso os hábitos alimentares são nocivos a qualquer idade, incluindo crianças”, explica a médica.

Homeopatia no apoio ao tratamento

A homeopatia ajuda o organismo a encontrar seu equilíbrio. Por isso pode ser utilizada no tratamento de qualquer doença. Mas vale lembrar que o acompanhamento de um médico especialista é necessário. “A homeopatia pode auxiliar em tratamento de diversas patologias, mas o êxito dependerá muito da vitalidade do paciente e da profundidade do acometimento patológico. Desta forma a homeopatia, de maneira conjunta aos tratamentos clássicos, pode auxiliar na melhor reação do organismo frente à patologia e, até mesmo, auxiliar o organismo infantil a reagir melhor aos diferentes tratamentos propostos”, ensina Dra. Ana Lucia.

Diagnóstico

Como explicamos no começo do texto, o diagnóstico de um câncer deve ser feito após exames, mas os responsáveis pela criança devem sempre observar o comportamento da criança. “Observar a criança, do ponto de vista físico e emocional e atentar a qualquer situação fora da normalidade. Uma criança que está caminhando em zig-zag, ou segurando a cabeça com sinal de dor por exemplo, são sinais de que há algo errado e deve-se procurar um médico para investigar”, salienta Dra. Ana.

A comunidade médica tem estado bem preocupada com a prematuridade e agressividade de patologias tidas como de adultos quando aparecem em crianças. É o caso do câncer, mas também transtornos metabólicos e vasculares. “A mensagem que eu gostaria de passar para os pais é amar profundamente as crianças, dar mais atenção e menos presentes. Brincar com seus filhos e dar uma infância livre de pressão e consumismo” termina Dra. Ana Lucia.

O Blog Homeopatia e Saúde é uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.


Dra. Ana Lúcia Dias Paulo se graduou em Medicina em 1983 na Universidade São Francisco – CRM 47937. Atua profissionalmente na área de clínica médica e pediátrica desde 1984. É Especialista em Homeopatia pela Associação Médica Homeopática Brasileira em convênio com AMB e CFM, realizou o curso de Especialização em Acupuntura pelo Center AO, em convênio com a UNIFESP. Além disso, é membro do Corpo Docente da Alpha-APH em convênio com a Associação Paulista de Homeopatia (APH), professora convidada de diversas associações e instituições de ensino da Homeopatia, bem como, conferencista em inúmeros eventos relacionados (congressos, cursos etc.) e autora dos livros Os Miúdos. Pequenos Medicamentos em Pediatria Homeopática e O que você precisa saber sobre o Medicamento Homeopático, ambos da Editora Organon.

XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia

whatsapp-image-2016-09-08-at-19-39-52-1Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, médicos da Clínica SimiliaHomeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, estiveram em Mato Grosso do Sul para se aperfeiçoarem e discutirem as descobertas da medicina homeopática, no XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia. O Blog Homeopatia e Saúde conta o que eles viram por lá!

Durante os três dias de evento, organizado pela AMHB – Associação Médica Homeopática Brasileira,  Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo tiveram a oportunidade de participar de uma série de palestras e discussões importantes para a medicina homeopática atual. Entre os palestrantes que prestigiaram o evento, que acontece bienalmente, estava o conhecido Dr. Bandish Ambani, médico homeopata indiano, que apresentou um mini curso com o título “Como chegar facilmente ao Similimum”. Para que possamos entender perfeitamente a importância desse tema, destacamos o trecho a seguir, retirado do site da Clínica Similialeia na íntegra

“Durante o tratamento homeopático, o médico homeopata busca individualizar ao máximo seu paciente a fim de encontrar o medicamento que mais se adapte às suas queixas e que seja o mais semelhante possível ao indivíduo, ao que chamamos medicamento SIMILLIMUM.

O XXXIII Congresso Brasileiro de Homeopatia apresentou vários temas importantes como “a Homeopatia em Odontologia – Uma Especialidade ao alcance do Cirurgião Dentista”,  “A Genética do Homem São”, “O olhar clínico na atualidade”, “Imunologia e Homeopatia”, entre outros assuntos atuais.

Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho atuou no congresso como coordenador do mini curso – Protocolos de clínica homeopática, com o palestrante francês Yves Lévèque e também como coordenador da palestra do médico Argentino Juan Schaffer, com o tema: Matéria Médica Homeopática. “O evento é uma grande oportunidade de estar com palestrantes de qualidade, de outros lugares, aprendo mais e se qualificando”, declarou Dr. Ariovaldo.

Além de coordenador das duas importantes palestras, Dr. Ariovaldo também atuou como palestrante com o tema Enfoque repertorial homeopático em emergências médicas, onde apresentou vários casos de uso comprovado da homeopatia nas emergências. ” No trabalho eu apresento vários casos comprovados, onde o tratamento homeopático foi determinante na melhora do paciente na emergência”, esclarece o médico.

Dra. Ana Lucia Dias Paulo coordenou uma conferência também com o médico francês Yves Lévèque. Esse prestigiado profissional é professor e coordenador de estudos avançados em homeopatia pelo CEDH, entidade francesa de estudos em homeopatia com bases em várias cidades francesas e em varias outras cidades em diferentes países nos cinco continentes. A conferência coordenada pela Dra. Ana apresentou o tema “Pediatria e oncologia em homeopatia”. Super atual e importante, Dra. Ana explica que sua participação foi como coordenadora. “Pude perceber a importância desse assunto em diferentes áreas. Os centros de estudo onde Dr. Yves atual mantém diferentes protocolos para o acompanhamento complementar com a homeopatia para os diferentes tratamentos”, conta a médica pediatra e homeopata da Clínica Similia.

Além disso, Dra. Ana participou da mesa redonda, com as colegas Denise Espiúca Monteiro do Rio de Janeiro e Maria Filomena Leme de Resende de São Paulo sob a coordenação do Dr Luiz Darcy G. Siqueira do Mato Grosso do Sul.

Essa mesa redonda teve o tema “Homeopatia, do Gestar ao Vir ao Ser, influindo no Porvir”, e a ideia foi abranger as diferentes fases da vida, desde a gestação até a adolescência. “Primeiro falamos do GESTAR AO VIR, sobre o trabalho com gestantes, orientando casais, antes mesmo da gestação e durante todo gestar, acompanhando até o parto. Depois foi a minha apresentação sobre VIR AO SER, quando falei da homeopatia no tratamento das crianças, desde a mais tenra idade – do recém nascido até adolescência. E, por fim, o tema INFLUINDO NO PORVIR, um trabalho muito interessante da homeopatia com adolescentes nos diversos temas – do uso dos eletrônicos à descoberta do sexo”, salienta Dra. Ana Lucia.

Nos próximos textos, o Blog Homeopatia e Saúde vai trazer especiais sobre o que o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo acharam de mais importante neste congresso. Acompanhe o Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica Similia – Homeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Leia também algumas matérias publicadas sobre o congresso:

  • Jornal Correio do Estado – AQUI
  • Portal G1 – AQUI
  • Diário Digital – AQUI

 

Quando a dor emocional vira dor física

dor-emocional-696x466Chamada síndrome da conversão, a dor emocional pode ser transferida e se tornar dor física. Algumas pessoas têm dificuldade de entender que dores emocionais podem sim serem sentidas na pele. A Homeopatia é o ramo da medicina que trata o indivíduo, incluindo ai suas dores emocionais, buscando sempre reestabelecer o equilíbrio no organismo, o que provoca doenças.

O Blog Homeopatia e Saúde, uma publicação da Clínica SimiliaHomeopatia de qualidade em São Paulo – Região da Av. Paulista, vinculada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo selecionou um texto do fãs da psicanálise que explica como a dor emocional pode se tornar dor física. Segundo afirma a reportagem a síndrome da conversão é capaz de levar uma pessoa a emergência de um hospital, por conta de uma dor emocional.

Os sintomas mais comuns dessa síndrome são típicos de pacientes com problemas neurológicos ou cardíacos, como crises epiléticas, dificuldades respiratórias, bloqueios de visão, audição e fala. O que leva, num primeiro momento, o médico de Pronto Socorro a acreditar se tratar de sintomas de AVC ou que o paciente ingeriu drogas.

Um dos temas que mais abordamos no Blog Homeopatia e Saúde, é “cuide da sua saúde, e não da sua doença”, por isso é muito importante um médico homeopata de confiança, pois ele saberá reconhecer os sintomas.

Leia o texto na íntegra no site:  http://goo.gl/t2zttZ

6 mudanças na saúde que a mulher não deve ignorar

menopausa-calorMulheres, atenção, depois dos 40 anos você terá mudanças no corpo que podem indicar a aproximação da menopausa. Por mais conhecidos que esses sintomas possam parecer, procure um médico homeopata de sua confiança para tirar todas as suas dúvidas. Lembre-se, a homeopatia é eficaz para controlar os sintomas da monopausa.

O Blog Homeopatia e Saúde, vinculado à Clínica Similia – Homeopatia em São Paulo, na região da avenida Paulista, e aos doutores Ana Lucia Dias Paulo e Ariovaldo Ribeiro Filho, selecionou um texto que aponta 6 sintomas que a mulher não deve ignorar.

1 – Alterações no ciclo menstrual: as mudanças de fato são comuns na menopausa, mas vale lembrar que atrasos e irregularidades também podem indicar desequilíbrio hormonal, doenças da tireoide, miomas uterinos, pólipos uterinos ou mesmo câncer cervical ou uterino. Exames clínicos indicados por um médico vão ajudar a entender melhor o problema.

2 – Ondas de calor:suor noturno e sentimento de aquecimento exagerado do corpo não devem ser ignorados, pois podem ser sinais de hipertireoidismo, cujos sintomas são rubor, sudorese, intolerância ao calor, palpitações cardíacas e insônia.

3 – Queda de cabelo:é normal que um adulto perca cerca de 100 fios de cabelo por dia, mas quando a queda parece exagerada, vale consultar um médico e procurar fazer exames, já que pode ser um dos sintomas de hipotireoidismo que, se não for tratada, pode aumentar o colesterol e o risco de doença cardíaca.

Leia na íntegra: http://goo.gl/snMDRv

20 dores físicas que refletem a emoções

Sofrimento-670x300Quem acompanha o Blog Homeopatia e Saúde sabe que a saúde é03 reflexo de um organismo equilibrado. Por isso repetimos sempre que a homeopatia não trata a doença, e sim o indivíduo, que ao equilibrar o organismo tem sua saúde restabelecida.

Hoje nossa equipe e a equipe da Clínica Similia, especializada em Homeopatia e localizada na região da Avenida Paulista, em São Paulo, e os doutores Ariovaldo Ribeiro Filho e Ana Lucia Dias Paulo, selecionaram um texto que explica a relação de dores físicas com dores emocionais.

A dor física pode ser um alarde para algum sintoma emocional. Se você está sofrendo com alguma dessas dores, preste atenção e tente encontrar a causa emocional para essa dor. Aprenda a decodificar a mensagem do seu corpo e seja mais feliz.

Lei o texto na íntegra: https://goo.gl/Djm88k

Gastrite

Segundo a OMS (Organização mundial da Saúde) mais de 2 milhões de pessoas sofrem de gastrite no mundo. Por isso no Blog Homeopatia e Saúde, o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, da Clínica Similia, foram buscar informações para você evitar e, se preciso for, tratar esse mal.

 

homeopatiaSintomas

Azia, queimação, dor na parede do estômago, procure um médico, de preferência um homeopata, pois você pode estar com gastrite. Os principais sintomas são:

  • Indigestão
  • Queimação e azia
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Perda de apetite
  • Dores abdominais.

 

Causas

Segundo a OMS (Organização mundial da Saúde) mais de 2 milhões de pessoas sofrem de gastrite no mundo, mas quais os principais fatores para um número tão elevado?

O Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho, médico homeopata da Clínica Similia, presidente da AMHB (Associação Medica Homeopata Brasileira) e vice presidente da APH (Associação Paulista de Homeopatia), explica que um dos principais fatores para um número tão alto de pessoas que sofrem com gastrite é a alimentação que temos hoje em dia:

“O principal fator é a alimentação não saudável, que chamamos de junk food. Principalmente se a pessoa se alimenta por muito tempo de forma errada”, descreve Dr. Ariovaldo Ribbeiro Filho.

Outro fator apresentado pelo médico homeopata é a questão da hereditariedade. “Outro agente é a hereditariedade, seja em ter casos na família, ou pertencer a determinadas etnias, como negros e japoneses, que tem mais chances de desenvolver doenças no aparelho digestivo. Além disso, o consumo de álcool e cigarro, e uso indiscriminado de medicamentos também são nocivos e contribuem para o aparecimento da gastrite ou outras doenças do aparelho digestivo” exemplifica o médico.

O Dr. Ariovaldo levanta também que hábitos tóxicos para a saúde no geral, como stress e ficar longos períodos sem se alimentar também contribuem para o surgimento da gastrite.

homeopatia e saude

Prevenção

Para o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho, a prevenção da gastrite consiste em ter uma vida saudável. “Alimentar-se de forma saudável, não ficando muito tempo sem comer, buscar atividades físicas, que contribuem para a diminuição do hormônio do stress no organismo, não beber, não fumar”, recomenda o médico.

 

Tratamento

Como sempre ressaltamos no Blog Homeopatia e Saúde, a Homeopatia é um ramo da medicina, que trata o indivíduo, e não a doença. Normalmente o tratamento da gastrite passa por uma mudança significativa de atitudes diante dos hábitos alimentares e de vida. E a homeopatia pode ajudar nesse processo.

Se você identificou alguns dos sintomas, procure um médico homeopata de sua confiança e agende uma consulta.

 

Alimentos permitidos x proibidos

Se você já está sentindo os sintomas da gastrite, evite esses alimentos:

  • Alho
  • Doces
  • Limão
  • Queijos
  • Frituras
  • Abacaxi, laranja e outras frutas cítricas
  • Pimenta
  • Adoçante
  • Catchup e mostarda
  • Chocolate
  • Embutidos, temperos fortes e molho de tomate
  • Bebidas como café, álcool, refrigerante, guaraná em cápsulas ou em pó, energéticos em lata e também as muito quentes

Esses alimentos ajudam a proteger o estômago

  • Ovo
  • Mamão
  • Batata
  • Brócolis
  • Gelatina
  • Pão integral
  • Iogurte
  • Água de coco e sucos naturais diluídos em água

Rainha da Inglaterra usa Homeopatia

homeopatia e saúdeAos 90 anos de idade, a Rainha Elizabeth II é conhecida por sua saúde de ferro. Apesar da idade a monarca quase não vai á médicos. Segundo afirma o jornal “O Globo” sua resistência na saúde é devido ao uso, desde muito jovem, da medicina homeopática.

O Blog Homeopatia e Saúde localizou a matéria que o jornal publicou em sua página na web. Trata-se de um resumo médico das raras vezes que a monarca do reio unido precisou recorrer a um hospital, e o motivo.

Nota-se que o uso constante da medicina homeopática deixa a saúde mais forte, e evita o uso desnecessário de remédios e idas intermináveis à médicos.

Leia o texto na integra na página do jornal http://goo.gl/bSd8te

Dr. Massimo Mangiolavori

No último mês de abril, o médico homeopata italiano, mundialmente conhecido por sua abordagem da Teoria da Complexidade Dr. Massimo Mangialavori, esteve no Brasil para um congresso promovido pela APH – Associação Paulista de Homeopatia. O Blog Homeopatia e Saúde esteve lá e conversou com o Dr. Mangialavori. Leia o resumo e assista a entrevista na integra no vídeo.

Blog. Homeopatia e Saúde – Como explicar para o paciente, ou o público leigo em geral, o que é a teoria da complexidade?

Dr. Massimo Mangialavori – Acredito que a medicina homeopática sempre esteve mais perto da teoria da complexidade. Simplesmente porque a relação entre a causa e efeito não é assim tão direta como na medicina convencional. Por exemplo, mesmo que sabemos que certos distúrbios possam ser causados por certos vírus e certas bactérias, por certos problemas no nosso sistema imunológico, a abordagem homeopática será sempre contextualizada no resultado do paciente. Considerando o que acontece do ponto de vista do corpo, há muitos sintomas possíveis, e não tanto uma única coisa específica, no contexto da vida de uma pessoa, o que sonha, como vive, como se relaciona e quais são suas emoções mais profundas.

Colocando todos esses elementos juntos, sem utilizar o pensamento reducionista, na minha opinião, baseado em grandíssimas intuições, nas teorias antigas.

Por isso, estudar hoje a teoria da complexidade é ver claramente como Hahnemann entendeu e aplicou esse conceito 200 anos atrás, me parece algo muito bonito. Muito bonito e muito importante para deixar claro para nossos colegas alopatas.

A rigor, em poucas palavras, a teoria da complexidade não é uma coisa fácil. O que é interessante e que na homeopatia procuramos fazer é dar valor às mensagens do corpo.

 

Blog Homeopatia e Saúde – Quais descobertas o senhor fez que o levaram a desenvolver um sistema próprio de catalogação de medicamentos?

Dr. Massimo Mangialavori – No início, me aconteceu de prescrever remédios pequenos e pouco conhecidos e que davam resultado e então falava com meus colegas sobre e recomendava.

Então, me dei conta de que existiam remédios de série A e remédios de série B, remédios bonitos e remédios feios, mas eram todos remédios, uns mais conhecidos e outros menos conhecidos. Mas ninguém levantou o problema de como estudar melhor.

Quando se estuda um remédio inédito, geralmente se faz experimentações ótimas, mas para mim, nas experimentações há sempre sintomas, temas, conceitos, que fazem parte de algo maior.

A classificação nasceu da necessidade de fazer um diagnóstico diferenciado, na minha visão, mais sensato, racional. Se eu pensei que o remédio era Lachesis e não funcionou, talvez uma cobra parecida, uma outra substância parecida com Lachesis, não uma cobra, mas conveniente.

Do ponto de vista sistêmico e complexo, as coisas importantes estão nos remédios que foram pensados primeiro. Isso me parece importante como elemento de estudo. Ao longo desses 20 anos que venho buscado sistematizar a minha abordagem, comecei a deixar os remédios mais organizados.

 

Blog Homeopatia e Saúde – Como o senhor vê a homeopatia praticada na Itália?

Dr. Massimo Mangialavori – Como tantas coisas na Itália! Meu país, acho que é um país maravilhoso para passar férias. Para trabalhar, muito menos…

…O motivo pelo qual ainda em nível oficial a homeopatia não é reconhecida é por tantos erros intrínsecos à homeopatia. Um pouco porque pelo ponto de vista metodológico e científico o modo de apresentar-se da maioria dos homeopatas é ainda um pouco partidário. Não e fácil enfrentar um discurso científico com outros saberes. Esses colegas falam de coisas muito enfumaçadas, coisas pouco críveis, coisas difíceis de poder confrontar no ambiente universitário. E por isso esse é um problema.

Um outro problema gigantesco é que a saúde, como vocês sabem melhor que eu, é um âmbito em que se pode fazer muito dinheiro. E isso acontece também com a homeopatia. É interessante observar que em países onde a renda não é muito alta, a homeopatia é considerada uma medicina interessante porque custa pouco, é fácil reproduzi-la e se obtêm grandes resultados. Nos países mais ocidentais, como a Itália, tornou-se um grande marketing, há um marketing gigantesco sobre a medicina homeopática. Se chamam de homeopáticas muitas coisas que não tem nada de homeopatia, como os fitoterápicos, os florais de Bach, os suplementos alimentares e muitas outras coisas chamadas de homeopáticas, mas não o são.

Segundo os dados de nossas pesquisas, resulta que na Itália há alguns milhares de médicos homeopatas, mas não é verdade. Há milhares de médicos que prescrevem medicamentos homeopáticos. Mas ser um homeopata é uma coisa diferente, trabalhar vendo pacientes homeopáticos todos os dias por toda a vida é algo bem diferente do que prescrever remédios homeopáticos algumas vezes por semana.

 

Blog Homeopatia e Saúde – Há homeopatia no sistema público de saúde?

Dr. Massimo Mangialavori – Está começando agora. Mas, veja, o problema não é só esse. É uma boa coisa que em alguns hospitais haja um ambulatório homeopático. Com certeza, muito bom. Mas paga-se pouco a esses médicos, são forçados a trabalhar mal. Nos ambulatórios homeopáticos que existem na Itália, nos poucos ambulatórios homeopáticos que existem na Itália, se pode fazer uma consulta de 15, 20 minutos. Em 20 minutos não dá nem para saber como a pessoa se chama. Em 20 minutos só começa a conversa, ainda tem que se tomar o caso. Como é possível trabalhar em 20 minutos?

Acontece constantemente isso, querer incluir no sistema público uma medicina de valor, mas sem dar instrumentos para se trabalhar. É um grande risco. É melhor trabalhar no privado, e trabalhar bem no privado, que trabalhar mal no público. Sou absolutamente a favor disso, mas é preciso pensar em ambulatórios sérios, médicos pagos de maneira justa. Porque um oculista pode apreender tudo em 20 minutos, o homeopata não, não é justo.

É um sistema que tem que mudar e ser organizado melhor, mas ainda estamos longe. Se você se coloca metas pequenas, é fato que existe essa forma de reconhecimento. Não quero ser uma pessoa pessimista, mas estou preocupado com isso. Porque a homeopatia desapareceu em poucos anos quando descobriram os antibióticos, precisamente por essa razão, porque era de baixíssimo nível, feita mal, feita pouco, e foi demonstrado que a eficácia não era comparável à do antibiótico, 70 anos atrás. Hoje poderíamos correr o mesmo risco. Vamos propor ao nível público que a homeopatia não pode ser praticada assim, nem praticada cometendo grandes erros.

 

Blog Homeopatia e Saúde – Sobre a polêmica mundial a respeito da eficácia da homeopatia, o que o senhor tem a dizer?

Dr. Massimo Mangialavori – Penso que é um problema gigantesco. Creio que mais uma vez nós, homeopatas, devemos fazer um grande esforço, sobre o que estamos fazendo. Explico melhor: fico muito chateado, já se passaram 200 anos e estamos ainda discutindo sobre a eficácia dos remédios homeopáticos. Basta! Não é preciso mais fazer esse discurso, mesmo porque já está demonstradíssimo que os remédios homeopáticos funcionam.

Cada vez que encontro esse discurso, cada vez que estou até na Itália e faço conferências com colegas, o único argumento é a diluição dos remédios, que não funciona. E nós fazemos muito mais do que isso.

Mas o que fazemos na nossa epistemologia é algo muito mais vasto, como o discurso da complexidade. Em uma experiência direta, recente, com um paciente cardiológico, fico muito impressionado que talvez possa acontecer, no hospital, que o cardiologista não esteja de acordo com o hepatologista, com o nefrologista, com o especialista em medicina interna, e tenham discussões sobre os tipos de terapia a fazer. Igualmente, dentro da própria cardiologia, se falar com o especialista em arritmias, o especialista em hemodinâmica ou com aquele que se interessa pelo músculo cardíaco, há terapias diversas para se fazer. Isso permite mostrar como é fragmentada a leitura do paciente, mesmo dentro de uma abordagem especializada. Você pode falar com três cardiologistas e vão falar coisas diferentes. Nós, sem ser onipotentes, somos clínicos bons, porque perguntamos tudo sobre o paciente, vemos a totalidade dos sintomas e temos a complexidade da nossa abordagem. É isso que devemos ressaltar, é disso que devemos falar.

 

Blog Homeopatia e Saúde – O paciente que não acredita na homeopatia também pode se beneficiar? O senhor consegue extrair alguma coisa para prescrever um medicamento homeopático?

Dr. Massimo Mangialavori – Certamente, é o paciente que prefiro. Porque quando suspeitam, ou não acreditam, e obtemos nos resultados, são os pacientes que te conquistam, que te chamam mais a atenção. Isso não é um problema.

Nesse sentido, tem algo muito interessante. Vocês devem ter ouvido falar do queijo parmesão. Na produção de parmesão, não se pode usar antibióticos nunca, porque senão o leite não fermenta mais como deve. Há 15 anos, comecei a propor aos produtores de parmesão usar remédios homeopáticos. Nenhum deles estava interessado na ideologia da medicina alternativa, e sim os resultados. Com homeopatia, os custos eram cem vezes mais baixos e os resultados eram cinco, seis vezes melhores do que com fármacos convencionais.

É possível curar as vacas com a medicina homeopática. Você acha que a vaca acredita na medicina homeopática? Não sei! Geralmente colocamos na comida e funciona muito bem, não há nenhum problema.

Há pacientes obviamente com quem é difícil estabelecer uma relação terapêutica e que são difíceis de tratar, mas são difíceis de tratar por um psiquiatra, por um clínico geral, por um homeopata. Se você consegue construir uma boa relação com o paciente que não acredita naquilo que você faz, é difícil tratar bem dele, mas não é uma característica da medicina homeopática, é uma característica da relação humana, da relação terapêutica.

 

Blog Homeopatia e Saúde – Como vê a relação entre a medicina homeopática e a medicina convencional?

Dr. Massimo Mangialavori – Para mim, o que espero, o que sonho, e é isto o que devo falar, a medicina é uma só, na minha opinião. É óbvio que não se pode desconhecer os enormes resultados que se pode obter com muitas técnicas usadas hoje na medicina convencional.

É óbvio que se o caso é uma perna fraturada ou diabetes grave não posso deixar de usar a medicina convencional. No caso desses problemas é necessário avaliar o que é do interesse do paciente.

Nosso tipo de intervenção é outra coisa. É uma coisa que, na minha opinião, se pode muito bem associar, respeitando o nosso paradigma. O que eu quero dizer? O problema não é dar ao paciente cortisona e terapia homeopática juntas. É óbvio que é melhor não fazer, mas em alguns casos se pode fazer. Se é um paciente sem tireoide, se é um paciente diabético, deve-se dar o hormônio tireoidiano, deve-se dar insulina, e ao mesmo tempo tratamento homeopático, para poder usar as doses mais baixas possíveis, para que melhore como um todo. Não há problema. Quando falamos de complexidade é a isso que nos referimos.

 

Assista a entrevista na íntegra.

 

Homeopatia auxilia na cura da próstata

Embora haja uma campanha em massa no mês de novembro para conscientizar da importância da prevenção do câncer de próstata, esse é um cuidado que deve perdurar durante todo o ano. Essa preocupação não é à toa: no Brasil, esse tipo de câncer fica em segundo lugar entre os mais comuns entre pessoas do sexo masculino, perdendo o posto somente para o câncer de pele não-melanoma. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva é de que 61.200 novos casos sejam diagnosticados este ano.

Sobre este assunto o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lúcia Dias Paulo, da Clínica Similia, destacaram para o blog Homeopatia e Saúde o uso da homeopatia no tratamento do câncer de próstata. É importante ressaltar que o tratamento homeopático pode se tornar um bom aliado no combate à doença se aliado ao tratamento primordial. “No caso do câncer, a homeopatia pode aliviar os sintomas da quimioterapia, mas é importante procurar um urologista para o tratamento principal e um homeopata para o tratamento paralelo”, destaca o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho.

homeopatia e saudeSomente sob orientação profissional é possível acordar os dois tratamentos para esse tipo de doença. A parte positiva é que quando o câncer de próstata é diagnosticado nos primeiros estágios, as chances de cura são altas. A próstata nada mais é que uma glândula do tamanho aproximado de uma noz que somente pessoas do sexo masculino possuem – têm pequenas glândulas responsáveis por produzir parte do sêmen, líquido que protege os espermatozoides. Fica localizada abaixo da bexiga e em frente ao reto e a uretra, que é por onde passa a urina.

Grupo de risco

Esta é uma doença geralmente recorrente em homens na terceira idade – cerca de 75% dos casos são em pessoas que têm mais de 65 anos, e pode ser fruto de um histórico genético, o que aumenta a probabilidade de desenvolver a doença. Homens negros também têm uma possibilidade maior de terem a doença e, independente se o homem é branco ou negro, o estilo de vida pode influenciar na ocorrência da doença.

Alimentação e exercícios

Estudos apontam que pessoas que consomem muita gordura, carne vermelha e cálcio em excesso se expõe à possibilidade de aparição do câncer de próstata. Os que não têm o hábito de consumir frutas e verduras também se incluem nesse grupo de risco. A ingestão de tomate não é fruto de conhecimento popular: este item pode auxiliar na prevenção. Os hábitos de vida saudáveis não excluem a prática regular de atividade física.

Dificuldade

A principal barreira em especial no diagnóstico e continuidade no tratamento está ainda ligado ao preconceito dos homens, que não têm o hábito de se consultar com o objetivo de prevenir – muitos buscam atendimento quando os sintomas já são aparentes e a doença está instalada. “Os homens têm mais dificuldade de se tratar no geral, pois demoram mais a ir ao médico”, pontua o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho.

Muitas estratégias adotadas pelas Secretarias de Saúde Municipais, por exemplo, é estabelecer esse contato com homens e trabalhar o processo de convencimento através das mulheres – esposas, mães ou filhas, que historicamente têm o hábito de se consultar com maior regularidade. As campanhas desenvolvidas em larga escala todos os anos também reforçam a importância desse cuidado com a saúde masculina, o que tem surtido efeito a longo prazo, fazendo com que os homens se atentem a esse cuidado.

Dados referentes à doença nos Estados Unidos, por exemplo, mostram que um a cada seis homens será diagnosticado com a doença em 2016, mas, no entanto, somente um a cada 34 vão a óbito por causa do câncer de próstata. Em decorrência do diagnóstico precoce a taxa de mortalidade vem caindo consideravelmente.

Sintomas

O câncer de próstata geralmente dá indícios quando a doença já está instalada. No estágio inicial só é possível constatar o tumor a partir de exames, como o PSA (antígeno específico da próstata) ou o toque retal. Alguns pacientes podem apresentar dificuldade na hora de urinar, ter a sensação de que a bexiga não esvaziou por completo e a frequência urinária também pode aumentar. É importante ressaltar que nem sempre os sintomas são aparentes e que essas situações acima citadas podem não representar a doença, no entanto não descarta a investigação médica imediata.

Osteoporose – A doença do osso quebradiço

10 milhões de brasileiros sofrem de osteoporose, mesmo assim 75% dos diagnósticos só são feitos após a primeira fratura. O Blog Homeopatia e Saúde e os doutores Ariovaldo Ribeiro Filho e Ana Lucia Dias Paulo trazem um raio x sobre esse tema.

Definição

O livro Osteoporose: Guia Para Prevenção e Tratamento (em inglês), do Dr. John F. Aloia, diz:

Na osteoporose, a quantidade de tecido ósseo é tão pequena que os ossos se quebram facilmente com o menor choque. Uma pessoa com osteoporose pode fraturar o pulso ou o quadril ao escorregar no gelo ou quebrar uma costela num abraço mais caloroso. . . . De fato, a quantidade de tecido ósseo pode ser tão pequena que a pessoa frature a espinha simplesmente sustentando o peso do próprio corpo.”

Esse mal que enfraquece os ossos é comum entre as mulheres que passaram pela menopausa. Uma a cada três mulheres com mais de 50 anos tem a doença. Mas também pode manifestar-se em mulheres mais jovens e também em homens. Segundo os Institutos Nacionais de Saúde (EUA), todos os anos, nos Estados Unidos, a osteoporose é causa cerca de 1,3 milhão de fraturas em pessoas com 45 anos ou mais. Isso gera um prejuízo de mais US$ 3,8 bilhões por ano.

038osteoporoseCausas

A publicação “Dicas Para a Saúde”, da Fundação Para Educação e Pesquisa Médica da Califórnia, explica: “Embora os sintomas da osteoporose, em geral, manifestem-se numa idade mais avançada, o processo de enfraquecimento dos ossos começa 30 a 40 anos antes da primeira fratura. Depois dos 35 anos, tanto os homens como as mulheres começam a perder massa óssea. Conforme os ossos vão ficando mais leves e mais frágeis, as fraturas podem ocorrer com mais facilidade e demorar mais para sarar, porque o corpo não consegue formar tecido ósseo novo com a mesma rapidez de antes. A causa exata da osteoporose é desconhecida, mas a falta de cálcio e de vitamina D na alimentação, a redução dos níveis de estrogênio nas mulheres e o sedentarismo podem contribuir para o seu desenvolvimento”, afirma a publicação.

No caso das mulheres, um dos sintomas comuns da menopausa é a perda de resistência óssea. A osteoporose, que vem da expressão “ossos porosos”, é um problema sério de saúde comum às mulheres depois da menopausa.

Tratamento

As pesquisas mostram que a osteoporose pode ser prevenida e tratada. Uma medida preventiva é ingerir uma quantidade adequada de cálcio e de vitamina D, essencial para a assimilação do cálcio. Outra medida preventiva é a prática de exercícios.

A Dra. Carol E. Goodman disse: “Devem-se receitar exercícios para correção da postura e fortalecimento — e temos de ser tão específicos ao receitá-los como somos com os medicamentos. Um programa de exercícios ideal para um paciente com osteoporose, de mais idade, pode ser fácil de entender, simples de executar e seguro”, explica a especialista.

Embora a osteoporose não tenha cura, medicamentos alopáticos novos estão cada vez mais se tornando disponíveis. Ela pode também ser prevenida com uma alimentação correta, exercícios adequados e, para alguns, com a terapia de reposição hormonal. Para maior eficácia, essas medidas devem ser tomadas antes de a perda óssea começar e devem continuar por toda a vida.

Observe agora, algumas curiosidades relacionadas à osteoporose:

Osteoporose

Proteção

  • Cálcio
  • Vitamina D
  • Luz solar
  • Boa postura
  • Cuidados com as costas
  • Exercícios
  • Não fumar

Fatores de Risco

1 – Hereditários

  • Ser mulher
  • Não ser negro
  • Ter antepassados do norte da Europa
  • Pele clara
  • Baixo peso
  • Baixa estatura (1,57 metro ou menos)

2 – Modo de vida

  • Tomar pouco sol, menos de três horas por semana
  • Baixa ingestão de cálcio
  • Alta ingestão de cafeína e/ou de fosfatos

Nada será melhor do que informar sobre os males que nos afetam. Portanto, busque cada vez mais esclarecimento, e poderá ter uma vida ativa e gratificante!

Labirintite

De repente o chão oscila, um enjoo terrível nos acomete e parece que estamos dentro de um navio balançando em plena tempestade tropical! Isso é o que acontece quando uma pessoa tem uma crise de labirintite. O blog Homeopatia e Saúde vem explicar tudo sobre a labirintite.

A labirintite é uma doença do ouvido, podendo ser de origem bacteriana ou viral, que ataca o labirinto e afeta, entre outras coisas, as estruturas responsáveis pelo equilíbrio corporal, daí a sensação de desequilíbrio seguido de tonturas fortes e oscilação constante.

labirintite similia

Funciona assim, quando inflamadas as áreas do ouvido interno fazem os nervos do vestíbulo acabarem enviando sinais errados e confusos ao cérebro, como se o corpo estivesse se movimentando – vestíbulo é um conjunto de órgãos do ouvido interno responsáveis por comandar o equilíbrio corporal.

No entanto, os demais órgãos como pernas, braços e olhos não recebem essa mesma informação, causando confusão entre os estímulos emitidos pelo cérebro e o que de fato nosso corpo age, fazendo acontecer o desequilíbrio e a tontura intensa.

Muito comum entre mulheres e idosos, por serem mais suscetíveis aos principais sintomas de tontura e náuseas de modo geral, a doença também pode atacar os mais jovens por hábitos nocivos como stress e consumo excessivo de cigarro e álcool. Outro fator que os especialistas apontam entre os mais jovens é o uso exagerado de fones de ouvido, uma vez que o som muito alto aliado à exposição freqüente de ruídos costumam lesionar as células sensoriais de órgãos internos do ouvido que ficam em contato íntimo com o labirinto.

Além do mais, a sujeira acumulada nos fones de ouvido costuma levar bactérias às paredes internas do ouvido e podem causar algumas infecções e diversas inflamações, muitas vezes levando á ocorrência de labirintite.

Para o Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho, o maior perigo dessa doença é o surgimento de crises que levam a eventuais quedas acidentes. “Normalmente a pessoa que está em crise tem tendência a cair para um dos lados, e isso, essa vertigem, pode provocar acidentes. As náuseas e vómitos costumas acompanhar as crises também”, explica o médico homeopata.

Alguns fatores de risco contribuem para o surgimento da labirintite ou mesmo um agravamento quando a pessoa já tem o diagnóstico clínico confirmado:

  • Hipoglicemia
  • Colesterol alto
  • Hipertensão
  • Diabetes
  • Consumo exagerado de álcool
  • Otite
  • Tabagismo
  • Cafeína em excesso
  • Ácido úrico desequilibrado
  • Alimentação deficiente
  • Alguns medicamentos usados no controle da depressão, uso antibióticos e de antiinflamatórios
  • Excesso de açúcar
  • Bebidas que contém quinino, como as gaseificadas
  • Depressão, estados de angústia como síndrome do pânico

Os principais sintomas relatados, que podem perdurar por dias, dependendo do grau de intensidade da crise, são:

  • Vertigem
  • Náuseas acompanhadas de vômito, na maior parte das vezes
  • Suor excessivo
  • Zumbidos no ouvido
  • Alterações gástricas e intestinais
  • Audição comprometida
  • Desequilíbrio
  • Febre
  • Infecções em diversas partes do corpo
  • Descontrole no movimento dos olhos, conhecido cientificamente como nistagmo
  • Fraqueza
  • Em casos raros, convulsões
  • Desmaios

Ao perceber esses sintomas, isolados ou em conjunto de outros, o paciente deve procurar um médico, a fim de realizar exames indicados por ele, que costumam ser eletroencefalograma, exames de audição específicos, ressonância magnética da cabeça, entre outros exames, para definir o diagnóstico exato e iniciar o tratamento correto.

Atualmente, novos tratamentos são usados com muita eficiência para amenizar as crises de labirintite, inclusive fisioterapia, que embora não seja uma doença perigosa, causa muitos transtornos e incômodos ao paciente.

O tratamento, além de medicamentos e fisioterapias específicas, inclui uma mudança de vida significativa, como evitar bebidas alcoólicas e fumo, adotar uma dieta saudável, atividades físicas, que além de equilibrar a saúde de uma forma geral, ajudam no controle do stress e da ansiedade, que são um dos fatores desencadeantes de crises de labirintite.

Durante a crise, o paciente deve tomar algumas medidas a fim de diminuir o desconforto e apressar a cura, tais como:

  • Se manter quieto e descansar o máximo possível
  • Evitar stress ou aborrecimento, pois a doença é intimamente ligada aos estados de espírito alterados, como ansiedade, depressão e nervosismo.
  • Evitar movimentos bruscos
  • Evitar esforço físico e sobre carga muscular
  • Procure ambientes de pouca claridade, evitando leitura e estímulos visuais
  • Dirigir carro ou moto, operar eletrônicos cortantes são atividades que só podem ser realizadas apenas 15 dias após o sumiço dos sintomas.
  • Subir escadas se torna uma ação de risco até uma semana depois da crise aguda.

Após o tratamento, em poucos dias os sintomas mais agressivos desaparecem, como a instabilidade e a angustiante sensação de pisar no espaço vazio, mas deve-se lembrar sempre que mesmo desaparecendo os sintomas agressivos, a doença ainda não foi estabilizada completamente e seu controle é lento e exige constante atenção, principalmente quanto aos hábitos e estilo de vida, tanto alimentar quanto emocional.

“A homeopatia pode ajudar, com medicamentos e no controle dessa doença, evitando que a pessoa entre em crise”, completa Dr. Ariovaldo.

Procure sempre um médico se sua confiança.

Ser Mulher – Pólipos Uterinos

Algumas alterações no organismo da mulher são silenciosas. É o caso da formação dos pólipos uterinos. Por isso consultas e exames de rotina são importantes para saúde da mulher. Saiba mais sobre esse assunto no texto da série SER MULHER do Blog Homeopatia e Saúde.

Pólipo uterino, também conhecido como pólipo endometrial, é um crescimento anormal (neoplasia) de células endometriais que se unem à mucosa do útero (ou camada glandular).

Ainda não se sabe ao certo o motivo exato da formação desse tecido, mas foi reconhecido que mulheres fazem reposição hormonal na menopausa possuem uma maior tendência em desenvolver pólipos uterinos, porém mulheres mais novas, que ainda estão longe da menopausa também podem desenvolver essa anomalia.

homeopatia e saúdeA alteração hormonal é a principal causa do desenvolvimento de pólipo uterino, e por isso normalmente, as mulheres com distúrbios hormonais como as que apresentam menstruação irregular, sangramento fora do período menstrual ou menstruação prolongada possuem maior risco de desenvolver estes pólipos endometriais.

As mulheres com pressão arterial elevada, obesas, aquelas em uso prolongado de estrogênios, as com síndrome dos ovários policísticos e as inférteis, estão sob maior risco de terem pólipos uterinos. Medicamentos como quimioterapia também favorecem o aparecimento dessa anomalia. Vale lembrar que na maioria dos casos a formação desse tecido é silenciosa, porém quando há sintomas, eles são:

– Sangramento vaginal após menopausa (após 1 ano sem menstruar);
– Menstruação abundante, sendo necessário usar mais de 1 pacote de absorvente a cada ciclo;
– Sangramento vaginal após o contato íntimo;
– Intensas cólicas menstruais;
– Por vezes, pode haver corrimento com mau cheiro.

 

Tratamento:

homeopatia e saúdePara a maioria dos casos não há nenhum tratamento especifico, porém, o ginecologista pode detectar que será necessário a retirada.

O pólipo uterino não é câncer, mas em alguns casos, algumas hiperplasias do endométrio e mesmo alguns carcinomas do endométrio aparecem como pólipos uterinos, ou pode se transformar numa lesão maligna, por isso é sempre importante uma nova avaliação de 6 em 6 meses, para verificar se o pólipo aumentou ou diminuiu de tamanho; se surgiram outros ou se ele desapareceu. As mulheres com maior risco de desenvolver câncer endometrial são aquelas que além da alteração hormonal, estão obesas, apresentam pressão alta ou têm histórico de pólipos uterinos na família.

Consulte sempre o seu médico. Cuide de sua saúde.

Menopausa – O início da nova fase da vida da mulher

A vida fértil da mulher é de aproximadamente 30 a 40 anos, que vai da menarca (primeira menstruação) até a menopausa (a última menstruação). E é sobre a menopausa, ou melhor, a pós menopausa que vamos falar hoje. Venha saber mais sobre essa fase da uma nova vida para a mulher.

Por um lado, a mulher que chega a menopausa pode ter alguns pontos a comemorar. Primeiro, a ausência da menstruação que, para algumas mulheres, é sinal de incomodo constante. Outro fator positivo é a também ausência das oscilações hormonais decorrentes do ciclo menstrual que também cessam.

Porém, alguns sintomas negativos também são observados, como ondas de calor, aumento de gordura na região da barriga, melancolia e secura vaginal. Mas sofrer com a menopausa não é uma sina feminina que precisa ser suportada e ponto final. Existe vida na pós-menopausa, e sim, a mulher pode achar o equilíbrio.

O porque dos sintomas mais comuns

chas-para-minimizar-os-efeitos-da-menopausaOndas de calor – Fogacho  – Os calores são causados pela redução da produção de estrogênio, o que provoca uma desregulação do termostato normal do corpo. Os afrontamentos iniciam-se no período pré-menopausa e costumam durar até 2 anos após a menopausa. Durante o restante do climatério, eles costumam desaparecer, mas cerca de 10% das mulheres permanecem tendo-os por muito tempo, algumas até os 70 anos. A pior fase dos calores costuma ser no ano anterior à menopausa.

Suores Noturnos – a sudorese noturna é uma variante dos fogachos. Em algumas mulheres, os afrontamentos ocorrem predominantemente à noite, provocando uma intensa sudorese durante o período do sono. Em muitos casos, esses afrontamentos noturnos atrapalham o sono e agravam os sintomas de cansaço e irritação da perimenopausa.

O consumo de bebidas alcoólicas durante o dia e um quarto mal ventilado colaboraram para o agravamento dos afrontamentos noturnos.

Depressão – Mulheres na pré-menopausa têm 2,5 vezes mais chances de entrar em depressão do que em outras fases da vida. O risco é ainda maior naquelas que têm severos sintomas da pré-menopausa, principalmente fogachos e distúrbios do sono. A depressão também pode ocorrer em mulheres que se veem aproximando-se da menopausa e ainda desejam engravidar.

Acredita-se que a redução dos níveis de estrogênio, associada aos sintomas incômodos da pré-menopausa e ao fato da mulher reconhecer que está ultrapassando a fronteira entre a juventude e a velhice, colaborem para uma maior incidência de depressão neste período. Após o primeiro ano de climatério, o risco de depressão começa a cair.

Ansiedade – A ansiedade durante a perimenopausa é provavelmente causada pela queda nos níveis de estrogênio circulantes no corpo, o que reduz a produção de neurotransmissores responsáveis ​​pela regulação do humor, como a serotonina e a dopamina.

Alterações do humor – A flutuação dos níveis de estrogênio é responsável pela grande variedade do humor das mulheres no período pré-menopausa. Durante um único dia, a mulher pode alternar entre euforia, raiva e tristeza, sem haver um motivo real para tal.

Secura vaginal – O revestimento da vagina é composto por tecidos dependentes de estrogênio. A deficiência de estrogênio que ocorre na menopausa leva ao adelgaçamento do epitélio vaginal, resultando em atrofia da vagina (vaginite atrófica) e sintomas de secura vaginal, coceira e dor durante o ato sexual (chamada de dispareunia). A secura vaginal inicia-se na pré-menopausa, mas torna-se realmente evidente no climatério.

Redução da Libido – As alterações hormonais típicas da menopausa são as responsáveis pela redução da libido na mulher. Além disso, a própria secura vaginal pode tornar o ato sexual doloroso, o que, aliado a uma redução do aporte de sangue para a região vaginal e vulvar pela deficiência de estrogênio, pode reduzir a capacidade da mulher de ter prazer com o sexo.

Ganho de peso – O metabolismo e a forma como o corpo armazena gordura se alteram com a redução dos níveis de estrogênio. O gasto calórico basal do corpo diminui, fazendo com que seja mais fácil engordar com menos calorias. Além disso, o corpo passa a ter um padrão de acúmulo de gordura mais parecido com os homens, com mais deposição de gordura na barriga e ao redor da cintura.

Tratamento

imagesPara o Dr. Adailton Salvatore Meira, médico ginecologista, sexólogo e homeopata, a mulher que está iniciando a pré-menopausa já está em uma fase da vida mais tranquila, normalmente com outras alegrias como netos, e família. Ele não recomenda a utilização de reposição hormonal. “Pode-se obter resultados mais que satisfatórios com medicamentos homeopáticos e hormônios fitoterápicos”, explica o doutor.

Além disso, uma vida saudável, a pratica regular de exercícios físicos, uma boa alimentação, preparam a mulher para passar por essa fase com mais conforto.