Category Archives: Dicas

Álcool causa câncer e danifica DNA

Pesquisadores de Cambridge comprovaram a relação do consumo de álcool com o surgimento de tumores através de um estudo apoiado pelo Cancer Research, da Inglaterra. É mais real do que nunca: o álcool causa câncer.

Nossas células e o álcool: Atente-se!

A ingestão de bebidas alcoólicas danifica o DNA das células tronco, elevando o risco de câncer. Entre eles, os tumores mais comuns no Brasil, como os de mama e intestino.

<<Leia também: Alcoolismo! Como a homeopatia pode ajudar?>>

Usando ratos de laboratório, cientistas observaram que derivados do álcool, etanol ou acetaldeído, interferem perpetuamente no DNA dos animais. Essa interferência ocasiona estimula os cromossomos a se organizarem de forma aleatória, mudando permanentemente a sequencia do DNA nas células.

O maior risco é que células DNA defeituosas conseguem se multiplicar expandido-se por outros tecidos do corpo. A partir daí o risco de desenvolver um tumor é grande.

Como o corpo reage e se protege da ingestão de álcool.

O etanol ou acetaldeído apresenta-se em nosso corpo após a ingestão de álcool e é responsável pela sensação de ressaca. Nesse estágio, os cientistas observaram como o corpo se defende da bebida. A presença da enzima aldeído desidrogenase (ALDH) é capaz de catalizar e quebrar o subproduto do álcool. Ainda nos testes com os ratos de laboratório, observaram como os animais com e sem a enzima ALDH reagiam. Os animais sem a enzima presente em seu DNA foram afetados quatro vezes mais pelo álcool, porém, assim como os ratinhos,  nem todas as pessoas tem em seu organismo essa enzima anti-ressaca.

Além de câncer, o álcool pode causar diversas outras doenças que demandam cuidado e atenção. Patologias como depressão e crises de pânico e ansiedade podem ser desencadeadas pelo excesso de álcool.  Consulte um médico ao menor sinal de problemas com a ingestão de bebidas alcoólicas.

O Blog Homeopatia e Saúde é um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

<<Veja na integra: Álcool danifica DNA e provoca tumores e câncer.>>

Homeopatia para adolescentes

A adolescência é um período de amadurecimento físico e emocional. Momentos em que os jovens ficam mais independentes e buscam o seu lugar no mundo, por isso os amigos se tornam mais importantes que a família. São tantas as transformações que o organismo, às vezes, não consegue dar conta. Na busca de um tratamento mais natural os pais procuram a homeopatia para adolescentes.

A homeopatia para adolescentes considera a experiência de vida do indivíduo para determinar o tratamento que será administrado. As emoções são muito importantes no momento de escolher um medicamento homeopático. Por isso os pacientes respondem mais efetivamente aos remédios homeopáticos que foram selecionados corretamente.

O período de transformações da adolescência pode ser especialmente difícil. Visto que os adolescentes modernos acumulam diversas atividades escolares, físicas, sociais e futuro profissional. Os medicamentos homeopáticos ajudam problemas da adolescência relacionados ao estresse físico e emocional.

O tratamento homeopático é acessível, natural, eficaz e seguro. Como os medicamentos homeopáticos trabalham corpo e mente tratam problemas emocionais como ansiedade, insegurança, comportamentos obsessivos, raiva, depressão, etc. Ao considerar e tratar as emoções os remédios homeopáticos permitem uma vida harmoniosa e com mais saúde.

Homeopatia para adolescentes

A homeopatia para adolescentes não é tão diferente do tratamento homeopático convencional. Embora, às vezes, requer um pouco mais de investigação para descobrir o problema do paciente. É preciso que o profissional veja o adolescente como um indivíduo que tem suas próprias paixões, interesses, personalidade e peculiaridades. Diferente daquele que os pais têm em mente.

Para que a homeopatia para adolescentes seja eficaz é preciso consultar um profissional habilitado, capaz de observar e colocar as coisas em perspectiva. Pois os adolescentes são adultos em desenvolvimento e precisam de atenção especial.

O Blog Homeopatia e Saúde é um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo. Saiba mais sobre o assunto em: https://goo.gl/ACfhfz

16 doenças que o mar cura

Os benefícios do mar vão muito além do que um dia de descanso e relaxamento na praia. Pode comemorar: o mar cura doenças através de sua salinidade e iodo.

Dentre doenças comuns e “passageiras”, o mar tem a capacidade de cura em complicações como alergias respiratórias, resfriados, sinusites, problemas de asma e tabagismo e intoxicação por agentes químicos.

<<Leia também: O sol e a vida das crianças.>>

Doenças ósseas e dores que o mar cura:

  • Doenças reumáticas
  • Deslocamentos
  • Articulações
  • Fraturas
  • Osteoporose

Alergias que podem ter melhora:

  • Eczema
  • Psoríase
  • Acne seborreica
  • Dermatite

Complicações ginecológicas e anêmicas e hipotireoidismo, assim como estágios de depressão podem ser amenizados graças ao mar.

Outros benefícios do mar:

Melhora na respiração:

Próximo a costa, o ar possui mais sais do que minerais, significativamente já auxiliando numa melhor respiração. Da mesma forma, o aerossol marinha estimula o metabolismo e o sistema imunológico, além de revigorar a a circulação de sangue.

Cicatrização:

Os sais minerais iodo e magnésio presentes na água do mar, possuem caráter cicatrizante na pele, auxiliando no processo de cicatrização de feridas simples.

Sistema imunológico:

A água do mar fortalece o corpo contra bactérias e vírus e da mesma forma, o cloreto de sódio presente nessa água possibilita o melhor funcionamento das células, reforçando o sistema imunológico.

Eliminar quilos a mais:

O metabolismo é acelerado graças ao sal presente na água que estimula as terminações nervosas da epiderme. Assim, o corpo queima alimentos e elimina gordura com mais rapidez.

Reduz a retenção de água:

Em maiores temperaturas, é comum vermos pessoas sofrendo com a retenção de líquidos. Por osmose, a concentração de sais minerais na água facilita a eliminação de líquidos acumulados nos tecidos através da pele.

<<Veja na íntegra: O mar nos ajuda a curar mais de 16 doenças!>>

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Adolescente não é dono do quarto

03Não é de hoje que sabemos que a adolescência é uma fase muito difícil tanto para os filhos quanto para os pais. Conflitos e desentendimentos são comuns nessa idade e é normal o adolescente buscar privacidade em um ambiente seu. Mas qual o limite da privacidade e o ambiente familiar?

<<Leia também: Especialistas dizem que a adolescência vai até os 24 anos.>>

Como ensinar ao adolescente o valor da privacidade.

Segundo o autor Içami Tiba, auto do livro “Quem ama, educa!”, os pais devem estipular com os filhos prazos de arrumação do quarto quando eles não realizarem essa organização por conta própria. Se assim não for feito, Tiba fala sobre a reintegração do quarto a casa, tirando do adolescente o direito da privacidade. Assim, o jovem aprenderia que o custo da sua privacidade é tomar conta do seu ambiente.

Para Içami, é essencial que os pais ajudem os filhos na arrumação de seus ambientes mas não sem a companhia deles. Segunda o autor, a arte dos pais é desenvolver os filhos para que se tornem independentes.

Hábitos para um relação saudável entre pais e filhos.

Pais que trabalham fora não devem tentar compensar permitindo tudo aos filhos. O autor afirma sobre a importância do não na vida do adolescente. Tendo algumas vontades negadas, quando necessário, diminui as chances do jovem se tornar um adulto sem senso de gratidão.

Outro importante fator presente nos livros de Içami, é a necessidade do diálogo entre pais e filhos. Exercendo o diálogo, o jovem tende a ter maior aceitação diante dos argumentos dos pais. Com maior aceitação, a probabilidade de ouvir e refletir diante dos sermões é maior do que se revoltar e não dar credibilidade aos pais.

<<Veja na íntegra: “O adolescente não é dono do quarto.”>>

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

8 sintomas da depressão que ficam ocultos

A depressão é um problema de saúde alarmante na sociedade atual. O nosso estilo de vida e as cobranças diárias estão criando um exército de pessoas depressivas. Muitas pessoas já sofrem por causa dos sintomas da depressão, mas nem sabem que estão depressivas. Ainda existem aquelas que não têm o apoio necessário da família e amigos para vencer o problema.

Apesar de somente um profissional ser capaz de diagnosticar a doença, existem alguns sintomas da depressão que podem ajudar a identificar o problema.

Filosofar

Falar sobre temas filosóficos por meio de uma linguagem abstrata pode ser um dos sintomas da depressão.

LEIA TAMBÉM: Outono é a estação ideal para alimentação saudável

Desculpas

Recorrer a desculpas para esconder o que, realmente, está acontecendo em sua vida. Assim criam grandes narrativas para justificar faltas em encontros e eventos sociais.

Não reagir

São incapazes de reagir, adequadamente, em determinadas situações. Como por exemplo, quando são ofendidas ou precisam tomar uma decisão importante.

Doenças psicossomáticas

Reclamar de dificuldade para respirar, dor de cabeça, nas mãos e pés, pode ser um sintoma de ansiedade. Quanto mais intensa e persistente a dor, mais estressada e ansiosa a pessoa fica, o que pode causar doenças psicossomáticas.

Remoer

Outros sintomas da depressão é ficar remoendo mentalmente os problemas, com o propósito de resolver a situação. Mas isso só piora o cenário, pois cria pensamentos obsessivos.

Descuidar da aparência

Pessoas depressivas não se importam com a aparência, assim como não tem forças para cuidar da casa e dos afazeres do dia a dia. Mas isso não se aplica às pessoas preguiçosas.

Alteração na rotina de trabalho

Mudanças, drásticas, na rotina diária é mais um dos sintomas da depressão. A pessoa começa a esquecer compromisso, fica mais lenta, não tem disposição, não finaliza tarefas e estão sempre cansadas.

Alegria

Em público algumas pessoas depressivas escondem os seus sentimentos por meio de um comportamento positivo. Para disfarçar os problemas fazem piadas e se mostram alegres e despreocupadas.

Existem mais pessoas depressivas do que podemos imaginar, por isso o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe mais essa matéria para ajudar quem não consegue pedir auxilio. Texto retira da página: https://goo.gl/1uwRuX

Inveja e ansiedade causadas pelas redes sociais tem nome: FoMO

Olhamos o celular por volta de 1.500 vezes por semana, o que equivale a 3 horas e 16 minutos diários. Dessas horas, quantas gastamos para checar as redes sociais? E checando as redes sociais, quantas vezes nos percebemos sentindo algo negativo? Sentimentos como angústia ou a famosa “invejinha branca” são bem comuns nesses casos. Essa onda de emoções negativas causadas pelas redes sociais tem nome: FoMO 

<<Que tal dar um tempo das redes sociais?>>

FoMO ou “Fear of missing out”, em português “medo de ficar por fora”, é uma expressão usada desde 2004 e traduz a sensação de estarmos perdendo algo muito melhor do que temos ao nos depararmos com fotos ou posts alheios em redes sociais.

Não é de hoje que sabemos da enorme inversão de valores das últimas décadas. megaexposição da atualidade reflete como a privacidade foi do micro ao macro. Sendo assim, ao termos acesso ao que o outro vive e realiza (sendo o outro uma pessoa pública ou nosso vizinho) estamos suscetíveis a desejar viver aquilo também. 

<<Veja na íntegra: A inveja que sentimos ao checar redes sociais é perigosa e tem nome: FoMO>>

Como tratar a FoMO

Por mais que o termo FoMO seja relativamente novo, estamos lidando com sentimentos inatos a raça humana. Isso comprova que, cada vez mais, a internet molda nossas emoções através das redes sociais.

A FoMo pode gerar ansiedade e depressão a partir do momento em que focamos totalmente na vida alheia e não nos contentamos com as coisas boas na nossa própria realidade. Distração em ambientes causadas pelo celular e registrar tudo o que se faz para postar nos “stories” também são sintomas.

Não basta viver, hoje em dia precisamos mostrar que estamos vivendo. Vale lembrar que a perfeição da vida online se restringe ao ambiente virtual. De perto, sabemos que a vida comum tem seus altos e baixos e imperfeições.

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Entenda as vantagens e desvantagens do consumo de adoçante

O adoçante é um produto muito utilizado por pessoas que desejam perder peso, apesar de ser uma substância que foi desenvolvida para pessoas que não podem ingerir açúcar. Alguns estudos mostraram que essa alternativa de edulcorantes com zero calorias pode não ser tão doce como todos acreditavam. Por isso antes de adicionar os adoçantes artificiais à sua dieta regular é preciso considerar os prós e os contras.

Adoçantes artificiais são utilizados como substitutos dos açúcares naturais como melaço e açúcar refinado por causa da ausência de calorias. Segundo um estudo a frutose um açúcar natural utilizado para adoçar bebidas em fast foods contribuiu para um aumento da obesidade. Pessoas que já sofriam de excesso de gordura tiveram um grande ganho de peso ao redor do estômago após ingerir grandes quantidades de frutose.

Os açúcares artificiais são substâncias que possuem zero açúcar, entretanto os açúcar natural tem poucas calorias, o açúcar refinado, por exemplo, tem 15 calorias por cada colher de chá.

<<Leia também: Mito ou verdade? – Adoçantes>>

Adoçante não provocam cáries

Os adoçantes não prejudicam a saúde bucal, isso porque as substâncias utilizadas nos adoçantes não favorecem o crescimento de bactérias.

Nem todos os adoçantes são indicados para diabéticos, é o caso dos adoçantes para alimentos e bebidas que são feitos de uma mistura de açúcares e edulcorantes. Por isso é importante verificar a indicação da embalagem antes de adquirir o adoçante.

Adoçante pode engordar!

Alimentos feitos com adoçantes podem sim engordar. Principalmente porque as pessoas tendem a comer mais quando acreditam que a comida é menos calórica, o que acaba criando um efeito colateral.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo. Apesar das opiniões divergentes sobre o uso de adoçantes, esses produtos vão continuar sendo uma opção viável e estarão disponíveis para compra. Encontre mais informações sobre o assunto no link: https://goo.gl/uPKztF

A verdade sobre as bebidas açucaradas e o consumo para crianças

O modo como a alimentação das crianças e seu estilo de vida influenciam em sua saúde é cada vez mais preocupante. Com o avanço da tecnologia, os pequenos têm contato com computadores, tablets e celulares cada vez mais cedo.  Com isso, brincadeiras ao ar livre tornam-se mais raras. O tempo gasto em brinquedos tecnológicos somado a uma má alimentação é prejudicial para as crianças. Mas como bebidas açucaradas podem piorar esse quadro? 

Estudos realizados em 2012 nos EUA confirmam que quase um quarto das crianças estadunidenses entre 12 e 19 anos tem diabetes tipo 2 ou pré-diabetes. O excesso de açúcar presente em bebidas açucaradas está associado com diabetes tipo 2, doenças cardíacas e problemas dentários. Quanto mais jovem a pessoa é ao ser diagnosticada, maior o risco de obter doenças que podem levar a cegueira. A diabetes pode causar ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais também.  

<<Leia também: Saúde renal das crianças>>

Mudando essa perspectiva: como contornar as bebidas açucaradas em busca de uma vida melhor

O excesso de bebidas açucaradas torna a manutenção de um peso saudável na infância muito mais difícil. O Brasil é vice-líder no ranking mundial de obesidade infantil, atrás de EUA e China que dividem o primeiro lugar. O consumo de bebidas açucaradas são uma pequena parcela do número total de calorias consumidas. Porém elas contribuem para o ganho de peso, além de não terem valor nutricional. 

É recomendável que os pais ofereçam para as crianças água e leite como bebidas frequentes. Sucos naturais, sem conservantes ou adoçantes em excesso também são uma boa dica. O consumo de bebidas açucaradas não precisa ser necessariamente proibido, uma vez por semana especialistas confirmam que não há grande problema. Porém é importante ensinar as crianças a consumirem bebidas benéficas até mesmo fora de casa, além de manterem hábitos saudáveis.

blog Homeopatia e Saúde  é uma publicação ligada à Clínica Similia e ao Dr. Ariovaldo Ribeiro Filho e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Vitamina D: novos valores de referências

A produção de vitamina D é o motivo pela qual é recomendado tomar sol diariamente. Entretanto, é preciso lembrar que a exposição ao sol pode causar doenças, por isso os horários de pico devem ser evitados. Assim como a exposição prolongada.

Novos valores de referência da vitamina D foram divulgados pela (SBPC/ML) Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial. Que passou a ser a partir de 20 ng/ml. Sendo que o valor de referência praticado até o momento era de 30 ng/ml.

A nota informa ainda que pessoas que se encontram entre as dosagens de 20 a 30 ng/ml não precisam de reposição de vitamina.

Já faz um tempo que os valores de referência fazem parte de uma discussão pelas organizações. O valor praticado atualmente havia sido proposto pela SBEM e a Endocrine Society.

<<Leia também: 12 sinais de falta de vitamina D>>

Com a divulgação do novo valor alterações foram propostas:

O valor acima de 20 ng/ml é considerado saudável;

Os valores entre 30 e 60 ng/ml é o indicado em grupos de risco, gestantes, idosos, pessoas com raquitismo, osteomalacia, hiperparatiroidismo secundário, osteoporose, doenças autoimunes, renais e crônicas, e para pré-bariátricos;

Entre 10 e 20 ng/ml é considerado um valor baixo com risco de problemas ósseos como osteoporose e fraturas;

Abaixo de 10 ng/ml é um valor muito baixo e pode causar defeitos de mineralização óssea e raquitismo.

Os níveis muito baixos de vitamina D provocam fraqueza muscular, dores nos ossos e fraturas. Já nos casos em que o valor está acima de 100 ng/ml, que é considerado muito alto, causa aumento da quantidade de cálcio no sangue e intoxicação.

É importante fazer exames periódicos para verificar a os níveis de vitamina D no organismo, principalmente em pessoas da terceira idade. Uma vez que a deficiência de vitamina D no organismo pode causar diversos tipos de problema.

Nos casos que os níveis de vitamina D estão muito elevados a reposição hormonal deve ser realizada com acompanhamento médico.

Essa é mais uma matéria do Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo. Quer saber mais? Acesse: https://goo.gl/iX5gTz

Conheça as frutas que são as maiores aliadas e as maiores vilãs da dieta

Quando pensamos em perder peso, logo achamos que substituir grande parte de nossa alimentação por frutas seja a saída. Ricas em vitaminas, minerais e fibras, o consumo é recomendado diariamente entre três a cinco porções. Ao ingerirmos com regularidade nos sentimos dispostos e satisfeitos com maior frequênciaPorém isso não significa que todas as frutas auxiliem na perda de peso.  

<<Leia também: Aproveite as frutas da Estação!>>

As maiores aliadas

Quando o assunto é perda de peso as mais recomendadas são morango, maça e kiwi, por terem a menor quantidade de calorias a cada 100g. A maçã é solúvel e traz sensação de saciedade, além de ser pouco calórica. O melão e a melancia por possuírem muita água ajudam na desintoxicação do organismo, complementando a quantidade de vitaminas e minerais, além de terem poucas calorias. A pêra aumenta a sensação de saciedade e ajuda na regulação do intestino, assim como a laranja. A uva combate os radicais livres e é antioxidante, além de estimular o emagrecimento. Uma outra dica é apostar nas frutas entre intervalos de refeiçoes, lanches da tarde e sobremesas. 

Vilãs na dieta

Todas as frutas são necessárias e devemos consumir até mesmo as calóricas. Porém é necessário o equilíbrio entre a ingestão eliminação das calorias. 

Algumas futas ão ricas em lipídios e se consumidas em grandes quantidades levam ao ganho de peso. Entre elas a maior vilã é o abacate, por possuir mais gordura. No Brasil, o abacate é consumido com açúcar e complementos como granola, cereais, etc. Na maioria de outros países ele é consumido na salada, sem adição de açucares. Juntamente com o abacate, coco, açaí, manga, frutas secas e oleaginosas são as mais perigosas na dieta.

Vale ressaltar a importância de consultar um especialista. Cada organismo reage de uma forma e necessita de determinadas quantidades de alimentos na dieta.

Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

A homeopatia não tem vacina contra febre amarela

Desde que aumentaram os casos de mortes em consequência da febre amarela, tomar a vacina contra febre amarela se uma tornou prioridade na vida dos brasileiros. Em virtude do grande aumento pela procura de informações sobre o assunto, uma enxurrada de notícias tomou conta dos diversos veículos de comunicação.
Existem profissionais realmente preocupados em ajudar e sanas as dúvidas sobre a vacina contra febre amarela. Mas, também existem os que só querem aproveitar a publicidade em torno do assunto criando notícias falsas. Recentemente foi publicada uma matéria sobre uma vacina homeopática contra a febre amarela.

Não existe uma vacina homeopática contra a febre amarela

A homeopatia é um método de tratamento que considera o indivíduo como um todo para tratar a doença. Por isso não só combata a doença como procura a causa dessa enfermidade, investigando a pessoa para encontrar a origem do problema.

A homeopatia utiliza substâncias naturais em sua composição, por isso é considerado um sistema de tratamento que não causa efeitos colaterais. Muitas pessoas buscam a homeopatia para tratar doenças por causa de sua característica mais humana de tratamento.

Existem alguns profissionais que estão divulgando um tratamento homeopático e vacina contra febre amarela, porém essa informação não procede. É preciso tomar muito cuidado com a automedicação. Procurar um profissional sério e competente também é uma alternativa para escapar dos profissionais mal-intencionados. A homeopatia é um método de tratamento sério e reconhecido pela (AMB) Associação Médica brasileira e pelo (CFM) Conselho Federal de Medicina.

Não existe nenhum estudo que comprove a substituição da vacinação, que é uma recomendação da (OMS) Organização Mundial de Saúde, Ministério da Saúde e outros órgãos de Saúde em nosso país, pelo tratamento homeopático da febre amarela.
É preciso enfatizar que a vacina contra febre amarela é a arma mais segura na prevenção da doença. E não deve ser substituída por nenhum outro tipo de tratamento, seja ele homeopático ou não.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo. A febre amarela é uma questão de saúde pública. Entenda mais sobre o assunto em: https://goo.gl/uAzsE4

Para não adoecer fale dos seus sentimentos!

Para não adoecer fale sobre seus sentimentos 

É cada vez mais comum ignorarmos a necessidade de falar sobre nossos sentimentos. Com a correria do dia e o acumulo do trabalho, raramente damos importância a desabafar nossas emoções. É importante lembrarmos que falar sobre nossos sentimentos nos ajuda a aceitar melhor quem somos e quais são nossas fraquezas. A aceitação de nossos sentimentos melhora nossos relacionamentos interpessoais e nos proporciona mais segurança em nossas atitudes. 

Fatores como indecisão e lamúria interferem diretamente em nossas emoções. A indecisão faz os sentimentos negativos se acumularem e o pensamento negativo gera doenças físicas, além de acentuar os sentimentos que não nos fazem bem.   

Fale do sentimento seja ele qual for! 

É engano acreditar que é importante apenas externar os sentimentos negativos, para não acumularmos eles. É recomendável compartilharmos também nossas emoções e experiências positivas, pois esta atitude amplia esses sentimentos além de causar confiança em quem estiver conosco. Quanto ao benefício de falar sobre sentimentos negativos, ao conversarmos sobre eles evitamos a fuga desse sentimento e assim temos mais chance de resolvê-lo: fugir de nossos sentimentos só faz com que eles fiquem mais intensos. Em algumas situações ouvir o conselho de um amigo ou especialista nos faz enxergar coisas que não estávamos conseguindo ver. 

<<Leia também: Esgotamento emocional>>

Ao acumularmos sentimentos negativos damos a eles um tamanho maior do que deveriam ter e nosso organismo manifesta fisicamente que algo passou dos limites.  Existem alguns sintomas físicos que indicam quando estamos acumulando sentimentos, entre eles doenças como ulcera, gastrite, dores lombares, dores na coluna que podem até vir a virar câncer. Irritabilidade, nervosismo e ansiedade são sintomas psíquicos desse excesso de sentimento.  

<<Leia também: Quais os sintomas físicos de uma crise de pânico?>>

Por mais atarefado que seja o dia e complexo que seja a situação que gera sentimentos negativos, é prudente procurarmos alguma forma de colocar para fora o que estivermos sentindo. 

Especialistas dizem que adolescência vai até os 24 anos

Segundo um artigo publicado por pesquisadores australianos na revista Lancet Child e Adolescent Health, em razão de muitos jovens estarem priorizando os estudos e, consequentemente, vivendo por mais tempo com os pais. A adolescência período que se encerra aos 19 anos deveria se estender até os 24 anos.

Esses pesquisadores sugerem uma alteração no período de duração da adolescência para estender por mais tempo as políticas públicas destinadas aos adolescentes.

Enquanto para outros pesquisadores essa alteração seria mais prejudicial do que benéfica. Uma vez que isso poderia criar toda uma geração de pessoas infantilizadas.

Alterações no período da adolescência já foram realizadas no passado, quando se chegou a conclusão de que graças aos avanços na alimentação e saúde a puberdade se iniciava antes dos 14 anos, que era o marco considerado na época.

A puberdade inicia quando o hipotálamo estimula as glândulas da hipófise e gônadas, que começam a liberar os hormônios sexuais.

A biologia também é um argumento utilizado por quem defende a dilatação da adolescência. Entre os argumentos estão o fato de que o corpo e o cérebro continuam se desenvolvendo. Além dos casos onde os dentes do siso só nascem depois dos 25 anos.

Os jovens estão deixando para depois o casamento

Ao priorizar os estudos e atrasar a independência financeira, o casamento e o momento de ter filhos esses jovens desenvolvem uma relação de “semidependência” com os pais, o que comprova a ideia de que a adolescência foi dilatada.

Para os que são contra a dilatação da adolescência aumentar o período interfere na expectativa da sociedade com relação a esses jovens. Pois ser independente e trabalhar fazem parte do desenvolvimento de um indivíduo.

Para o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, a alteração no período da adolescência é uma tema que ainda vai levantar muitas discussões. Se quiser saber mais sobre o assunto acesse: https://goo.gl/DmbMxY

Crianças e o carnaval: cuidados na festa, rua e salões

O carnaval é uma festa linda e democrática. Uma comemoração que todos podem participar e se divertir juntos. Nessa época do ano é comum vermos famílias inteiras caindo na folia e compartilhando das atividades carnavalescas. As crianças são as que mais se divertem no carnaval. Porém os pais precisam tomar alguns cuidados com as crianças e o carnaval, para que todos possam aproveitar sem maiores problemas.

Como as crianças e o carnaval já fazem parte da comemoração já existe festas criadas especialmente para entreter os pequeninos, e para que eles possam participar da festa com mais segurança e liberdade.

Para que os dias de folia sejam de alegria e diversão os pais precisam tomar alguns cuidados com as crianças durante o carnaval.

Não perca as crianças de vista

Fique de olho nas crianças durante a folia. Evite grandes multidões e consumo de bebidas alcoólicas enquanto estiver com os pequenos. Não se esqueça de colocar crachá de identificação – com nome, endereço e telefones para contato – para o caso da criança se perder.

Violência

Quando for aproveitar o carnaval com as crianças evite locais públicos com excesso de gente. Prefira clubes fechados e blocos de rua específicos para esse tipo de público.

Alimentação

Não podemos esquecer que o carnaval é uma comemoração que acontece no verão, por isso escolha alimentos leves e saudáveis como frutas e vegetais. Também é preciso que as crianças bebam muito líquido para manter o corpo hidratado. Evite alimentos gordurosos e a comida que é vendida na rua.

A criança precisa descansar

O sono é muito importante para o desenvolvimento das crianças, por isso mesmo nessa época do ano elas precisam dormir bem. Permita que a criança tenha períodos de descanso entre uma comemoração e outra.

Roupas

Escolha roupas e fantasias leves para as crianças e o carnaval. Se for usar maquiagem escolha produtos a base de água e feitas, especialmente, para elas.

Doenças

Durante o carnaval os pais não devem descuidar da saúde das crianças, por isso protetor solar e repelente devem fazer parte durante os dias de folia.

Com essas dicas do Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, toda a família vai poder aproveitar o carnaval sem maiores problemas. Artigo no link: https://goo.gl/tWcdG9

Repelente e as crianças

Picadas de insetos podem acabar com o piquenique em família, com a caminhada no parque ou uma viagem. Para se livrar dos insetos e garantir que sua família esteja a salvo desses bichinhos indesejados conte com a ajuda de repelentes. Entretanto é preciso tomar cuidado quando o assunto é repelente e as crianças, pois é necessário escolher o repelente correto para não prejudicar a saúde dos pequenos.

Nem todo repelente pode ser usado em crianças advertem os especialistas. Assim como o uso excessivo desse tipo de produto pode irritar a pele e ainda causar problemas mais graves.

Escolha um repelente e as crianças que não tenha uma concentração de DEET (Dietiltoloamida) superior a 10%. Nos casos onde a criança ficará somente entre uma a duas horas ao ar livre prefira concentrações mais baixa dessa substância. Já nos casos onde a criança ficará fora por mais tempo o indicado é usar repelentes com uma concentração superior de DEET. Pois quanto maior a concentração, mais tempo o repelente vai durar na pele.

Repelentes a base de DEET não deve ser aplicado mais do que 3 vezes ao dia, além de não serem recomendados para bebês com menos de 2 meses de idade. A seguir a indicação de uso de repelentes segundo a faixa etária da crinça.

Crianças de 0 a 6 meses

Não devem usar repelentes. No caso dos bebês usar óleo infantil para que o mosquito não consiga identificar o cheiro da criança.

Crianças de 6 meses a 2 anos

É recomendável continuar evitando o uso de repelentes. Mas se não for possível aplicar o produto na roupa da criança antes de vesti-la.

Crianças de 2 a 7 anos

Usar o repelente com moderação, e a concentração de DEET não deve ser maior que 10%. Aplicar somente duas vezes ao dia.

Crianças de 7 a 12 anos

Ainda precisam usar repelente infantil. Pode ser aplicado até 3 vezes ao dia.

A partir dos 12 anos

Já é liberado o uso do repelente comum. Mas ainda aplicar somente até 3 vezes no dia.

Ainda sobre repelente e as crianças não passar o produto nas palmas das mãos, pois a criança pode passar no rosto e irritar os olhos.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, com o objetivo de informar trouxe mais essa matéria. Saiba mais sobre o assunto em: https://goo.gl/732EHv

Agressividade Infantil

Crianças são crianças isso significa que quando ficam bravas não sabem lidar muito bem com a situação. Entretanto o que é mais perturbador é o aumento, significativo, da agressividade infantil.

Todos os seres são dotados de um nível de agressividade para fugir e controlar algumas situações, sendo um comportamento normal, universal e que não é considerado uma doença.

É comum nas crianças a incapacidade de administrar suas emoções, fazendo com que elas percam o controle e desconte a sua frustração nos seus responsáveis gritando, jogando objetos, batendo ou mordendo. Essa atitude pode ser uma experiência traumática tanto para a criança quanto para os pais. Sendo que muitas vezes as crianças se sentem culpadas depois de se cansarem e acalmarem após o acesso de raiva.

A criança é mais agressiva nos primeiros anos de vida, até os cincos anos. Sendo a agressividade uma resposta às frustrações. Conforme a criança se desenvolve ela regula as emoções, controla os impulsos e aprender outras estratégias mais gentis e eficazes para dominar essa agressividade.

Os pais precisam entender que o comportamento é um meio de comunicação. Uma criança tão oprimida que precisa atacar é uma criança angustiada. Já que ela ainda não possui habilidades para gerenciar seus sentimentos e expressá-los de uma maneira mais madura. As crianças possuem um nível de linguagem limitada, de controle do impulso e de capacidade de resolução de problemas.

Os pais consideram, às vezes, esse tipo de comportamento agressivo como manipulador. Porém as crianças que atacam são, geralmente, incapazes de administrar a raiva ou frustração de forma mais efetiva, digamos, conversando e descobrindo como conseguir o que desejam.

Quando a agressividade infantil é considerada um problema?

A agressividade infantil é considerada um problema quando existe uma frequência, uma intensidade e duração superior ao previsto para a idade. Sendo que também precisa ser levado em conta o estágio de desenvolvimento que a criança está e o ambiente que ela vive. Outra coisa a ser considerada é se a criança, os pais o ambiente estão sofrendo em consequência dessa agressividade. São esses os pontos considerados para definir a agressividade infantil como um transtorno.

Com o Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, você sempre se mantém informado. Saiba mais no link: https://goo.gl/bALZF9

Nunca devemos forçar uma criança a comer

Uma das coisas que mais preocupa os pais é conseguir fazer os seus filhos comerem bem. Entretanto para o pediatra espanhol Carlos Gonzáles os pais não devem forçar uma criança a comer, uma vez que as crianças comem o que é necessário para elas.

Entre as opiniões polemicas de Gonzáles podemos destacar a cama compartilhada e o aleitamento materno sob livre demanda. Ele também defende o fim da punição e a criação com respeito e apego às crianças.

Ainda segundo Gonzáles os pais precisam resgatar o seu papel que foi transformado pela sociedade através de normas e conceitos que o pediatra considera absurdos.

O pediatra lançou um livro chamado “Meu filho não come”, pela editora Timo, cujo objetivo não é dar dicas para os pais em como fazer o filho comer, já que Carlos acredita que não devemos forçar uma criança a comer. No livro o pediatra explica sobre como incentivar as crianças a comerem dando autonomia. Aponta os principais erros dos pais com relação à alimentação infantil. E fala que as crianças precisam aprender a comer sozinhas.

Forçar uma criança a comer – O afeto faz toda a diferença na vida das crianças

Gonzáles afirma que forçar uma criança a comer é ineficaz, pois as crianças comem sem que seja preciso forçar. Além de ser uma atitude mais prejudicial que benéfica, uma vez que a criança começa a detestar a comida, principalmente a comida na qual os pais querem forçá-la a comer. Tentar obrigar a criança a comer é um hábito que demonstra a falta de respeito dos pais.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, acredita que com amor os pais podem criar crianças mais felizes e saudáveis. Não se esqueça de que as crianças aprendem pelo exemplo, pais que comem bem têm filhos que se alimentam de forma saudável. Entrevista completa no link: https://goo.gl/LwMrkn

Labirintite Emocional

A labirintite emocional pode surgir em consequências de problemas emocionais como depressão, excesso de trabalho, estudo, ansiedade, estresse, traumas, pressões, cobranças, desemprego ou perda de um ente querido.

A labirintite é uma infecção no ouvido interno. Ela ataca uma estrutura delicada que fica dentro da orelha chamada labirinto, que inflama e afeta a audição e o equilíbrio.

Os sintomas da labirintite emocional incluem tontura, vertigem (aquela sensação de que o mundo está girando em sua volta), falta de equilíbrio e perda de audição.

Os sintomas geralmente são leves e desparecem em algumas semanas. Entretanto alguns casos são mais graves e permanecem por mais tempo. Isso pode causar um grande impacto na qualidade de vida de uma pessoa e na sua capacidade de realizar as tarefas diárias.

Para tratar a labirintite emocional é preciso procurar ajuda de um psicoterapeuta que irá investigar as causas do problema.

O tratamento da labirintite emocional não exige o uso de medicamentos. Mas em casos de depressão remédios são necessários para acabar com o problema.

Também é preciso fazer uma mudança na rotina bebendo mais água, evitando o consumo de bebidas alcoólicas, parar de fumar e eliminar alimentos ricos em açucares e gordura.

Como evitar a labirintite emocional

A seguir algumas dicas para evitar o estresse e a ansiedade que podem causar a labirintite emocional:

Fuja de ambientes com excesso de barulho como casas noturnas e shows;

Escolher um local calmo e tranquilo para fazer as refeições;

Pratique atividades físicas;

Consumir mais alimentos ricos em Ômega 3 como peixes, castanha e linhaça;

Ingerir bebidas calmantes como chás e sucos de maracujá e maçã.

Existem tratamentos alternativos como acupuntura que ajudam a aliviar o estresse e a ansiedade. Faça também massagens relaxantes pelo menos duas vezes na semana para restaurar o equilíbrio corporal e administrar as emoções.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe mais essa matéria interessante. Sabia mais no link: https://goo.gl/gwnei9

Como fazer seu filho obedecer sem usar a força?

As crianças vão desobedecer aos pais, isso é um fato. Outro fato é que como pais vamos, vez ou outra, recorrer à punição e castigo para fazer o filho obedecer. Não podemos esquecer que somos seres humanos criando outros seres humanos, e como seres humanos erramos. Mais um fato incontestável na vida de pais e responsáveis.

Muitos pais querem ser bem-sucedidos e ter a chamada “família perfeita”. E para isso gostariam de ter filhos obedientes para alcançar uma vida mais confortável e livre de estresse. Assim como também querem que essa obediência, dos filhos, reflita as outras pessoas. Entretanto as crianças por não entenderem o real objetivo das regras vão contestar sempre que possível, e como seres em desenvolvimento que não sabem lidar muito bem com as emoções podem comunicar isso com agressividade.

Ao tentar disciplinar seus filhos os pais ou responsável pode encontrar desafios como a criança resistindo às ordens ou fazendo pirraça. A criança pode apresentar comportamentos rebeldes porque sente que as regras não se aplicam a ela. Independente da reação da criança é essencial reforçar as regras e continuar persistindo se quiser fazer o filho obedecer e aprender o valor e a importância da obediência.

É necessário que as crianças aprendam a importância de respeitar pais, autoridades, familiares, professores e idosos.

Tentar convencer a criança a fazer uma coisa que ela não considera importante é uma missão, quase, impossível. Os pais precisam levar a criança a fazer o que é preciso através de brincadeiras lúdicas. Porém isso deve ser feito num dia que estiver com mais paciência. Existem muitas formas de tornar uma tarefa em algo lúdico, uma experiência prazerosa na qual a criança queira participar.

Ao tentar disciplinar e ensinar seu filho obedecer lembre-se de demonstrar amor e carinho. Se a criança desobedecer às regras permita que ela tenha uma segunda chance. Dar para a criança uma nova oportunidade irá motivá-la a fazer o que e certo da próxima vez.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, compartilha mais este texto e ainda destaca a importância da disciplina na vida das crianças. Saiba mais no link: https://goo.gl/X7gN5s

Esgotamento emocional

O esgotamento emocional é um problema que precisa ser combatido ou pode causar depressão.

Tudo começa com uma sensação de cansaço. Mas devido aos compromissos do dia a dia a pessoa vai deixando de lado, procrastinando aquele descanso necessário, sempre pensando assim que tiver tempo vai tirar um dia de folga para relaxar. Esse adiamento vai intensificando o problema e sintomas físicos surgem no decorrer do processo.

O esgotamento emocional, geralmente, aparece após um problema que exigiu muito da pessoa até ser solucionado ou de um episodio que acarretou um desequilíbrio na rotina.

LEIA TAMBÉM: Como age a homeopatia na depressão?

Existem alguns sinais do esgotamento emocional, são eles:

  • Uma boa noite de sono não é suficiente para aliviar o cansaço do dia;
  • No trabalho o rendimento cai e as tarefas mais simples se tornam mais complexas;
  • Fica mais difícil lembrar os compromissos porque a memória não é mais a mesma;
  • A pessoa não tem mais o mesmo pique para participar de festas e confraternizações com os amigos e familiares. Pois os períodos de descanso se tornam mais necessários;
  • Aparecem os problemas estomacais que causam dores e azia. O intestino é outro órgão prejudica e fica desregulado;
  • Dores de cabeça frequentes que passam com a ajuda de um analgésico;
  • Mudanças de humor, principalmente, relacionadas a sentimentos negativos como tristeza e irritação;
  • Fica mais difícil aprender coisas novas;
  • Negativismo;
  • A pessoa evita conflitos e por isso engole alguns sapos.

O tratamento do esgotamento emocional compreende aconselhamento médico e psicológico.

Uma boa solução para o esgotamento emocional é dar um tempo na rotina e descansar. Praticar atividades prazerosas também é benéfico nesses casos.

Sempre que possível ouça a mensagem que o seu corpo está transmitindo e respeite o seu ritmo natural.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, acredita que algumas alterações na rotina pode evitar o esgotamento emocional.

Saiba mais sobre o assunto em: https://goo.gl/vZ9Lif