Monthly Archives: outubro 2017

Homeopatia e emagrecimento – Como uma auxilia na outra?

Como a homeopatia e emagrecimento estão vinculados? A obesidade é o distúrbio nutricional mais comum. No Brasil 20% da população em idade adulta está obesa. Para quem sofre por causa do excesso de peso o indicado é manter uma dieta equilibrada e exercícios físicos, que vão ajudar na perda de peso.

Uma grande quantidade de pessoas em todo o mundo utiliza medicamentos homeopáticos para gerenciar a perda de peso. Nos casos onde a pessoa mantém uma dieta equilibrada a homeopatia pode desempenhar um papel importante na superação do excesso de peso e da obesidade, pois eles não provocam efeitos colaterais.

A homeopatia não trata diretamente a obesidade, as pessoas têm a esperança que se tomarem um remédio homeopático vai conseguir emagrecer, mas isso, realmente, não acontece, responde o Dr. Ariovaldo Ribeiro quando questionado sobre como a homeopatia pode ajudar na perda de peso.

Homeopatia e emagrecimento

O tratamento homeopático, continua o Dr. Ariovaldo, é um tratamento que visa tratar o individuo como um todo, com isso diminui a ansiedade da pessoa, fazendo com que passe a se sentir melhor. Com isso a pessoa passa a ter atitudes mais saudáveis de vida, melhorando a alimentação e praticando atividade física.

“A pessoa passa a ter uma postura melhor perante a vida e por isso começa a perder peso, mas pela atitude dela”, explica o médico. Alguns casos de obesidade estão relacionados a desequilíbrios no organismo, como por exemplo, na glândula tireoide.

É preciso avaliar cada caso para descobrir se é possível tratar com a homeopatia, ou se os medicamentos homeopáticos podem auxiliar no tratamento da obesidade, deixa claro o Dr. Ariovaldo Ribeiro.

Algumas pessoas procuram os medicamentos homeopáticos para solucionar o problema de excesso de peso. Entretanto a homeopatia não deve substituir a dieta e o acompanhamento médico.

Escolher o medicamento homeopático certo para a perda de peso é extremamente importante para o sucesso do tratamento. Os medicamentos homeopáticos também podem ser usados por crianças no combate ao excesso de peso.

Consulte um especialista antes de iniciar um tratamento com medicamentos homeopáticos.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, trouxe mais essa matéria interessante sobre obesidade e homeopatia.

Obesidade infantil, precisamos falar sobre isso

A obesidade infantil já é um dos maiores desafios de saúde do século XXI. É um problema global que afeta crianças de todas as classes sociais, principalmente aquelas que vivem nos grandes centros urbanos. O número de crianças com excesso de peso cresceu de forma alarmante nos últimos anos. O Blog Homeopatia e Saúde conversou com a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, Pediatra e Homeopata da Clínica Similia e traz dicas valiosas para as famílias.

Crianças com sobrepeso tendem a manter o excesso de peso também na idade adulta e são mais propensas a desenvolver doenças não transmissíveis como a diabetes e problemas cardiovasculares ainda muito jovens. A obesidade e o sobrepeso são problemas, que na maior parte dos casos, podem ser evitados. Os casos de obesidade infantil precisam de atenção urgente de toda a sociedade.

Hoje em dia as famílias estão pressionadas a terem uma vida com mais saúde, mas esquecem que a saúde é construída no dia a dia. Sendo assim, uma memória alimentar saudável começa a ser construída desde o primeiro dia de vida desta criança. É o LEITE MATERNO. O alimento ideal para os bebes humanos até seus 6-8 meses de vida. A criança crescendo a família deve buscar os alimentos na natureza, evitando os industrializados, que podem originar as alergias alimentares. Aqui, vale colocar, que a sensibilização do bebe a determinados alimentos pode começar ainda na vida intrauterina, cabendo a gestante já procurar fazer escolhas alimentares mais naturais”, recomenda Dra. Ana Lucia Dias Paulo. 

Dietas erratas – obesidade infantil

As principais causas do crescimento da obesidade infantil são as mudanças nas dietas das crianças que passaram a consumir mais alimentos ricos em açúcares e gordura, que são pobres em nutrientes como vitaminas e minerais, ou seja, os industrializados. Assim como a diminuição das atividades físicas.

Crianças obesas podem sofrer de problemas emocionais como a baixa autoestima. Uma vez que podem ser provocadas, intimidadas ou rejeitadas pelos colegas. Crianças que estão infelizes com o seu peso corporal são mais propensas a distúrbios alimentares, depressão e abuso de medicamentos.

Os pais podem ajudar os filhos na luta contra a balança criando hábitos alimentares mais saudáveis, oferecendo as crianças pratos mais nutritivos e lanches com a quantidade adequada de calorias. Os pais também podem substituir ingredientes e transformas os pratos favoritos das crianças em refeições mais saudáveis. Como também podem reduzir a guloseimas que são ricas em calorias. “As crianças seguem os exemplos e imitam os adultos. Os responsáveis mantendo uma alimentação saudável, estarão contribuindo para a alimentação saudável das crianças. Sendo verdadeiros com seus filhos”, completa Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Para incentivar os filhos a praticarem atividades físicas regularmente os pais podem servir de exemplo também. Para isso basta incluir os exercícios físicos a sua própria rotina e encorajar os filhos a participarem das atividades junto.

Como age a homeopatia na depressão?

As doenças emocionais são mais desafiadoras, difíceis e caras de tratarem do que qualquer outro tipo de doença. Sendo que a mais temida e comum entre elas é a depressão. Mas a ação da homeopatia na depressão é eficaz.

A depressão enlutece a alma e mergulha os olhos na tristeza. Embora as lágrimas não sejam a principal barreira que impede as pessoas depressivas de enxergarem as coisas como realmente são.

A depressão também enfraquece o coração, pesa sobre os ombros e dificulta a respiração. O que força as pessoas depressivas a tentar recuperar o fôlego através de sussurros frequentes.

O tratamento homeopático é uma alternativa mais gentil para quem sofre de depressão. Quem já fez uso de antidepressivos sabe o quanto esses medicamentos interferem na rotina diária, causando efeitos indesejados às pessoas que precisam utilizar esses remédios.

Homeopatia na depressão

Nos casos de depressão os medicamentos homeopáticos agem da mesma maneira como em qualquer outro tipo de enfermidade. Atuando sobre o indivíduo na sua globalidade e promovendo um maior equilíbrio na saúde mental e física, é o que explica o Dr. Ariovaldo Ribeiro.

Os medicamentos homeopáticos podem ser administrados em conjunto com os antidepressivos, porém no decorrer do tratamento, com a melhora do paciente, o uso de antidepressivos deve ser reduzido, lembra o Dr. Ariovaldo.

Durante o tratamento as consultas médicas variam conforme a necessidade e como trabalha cada especialista. Mas, no geral a cada 45 ou 60 dias acredito ser uma frequência satisfatória, observou o Dr. Ariovaldo.

A depressão é uma doença muito séria, o seu diagnóstico e tratamento precoce ajuda a salvar vidas, lembrando sempre que a homeopatia na depressão é eficiente

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

A depressão é um problema que afeta os indivíduos, muitas pessoas têm vergonha de falar sobre o problema e acabam não procurando ajuda.

Não tenha medo, pois somente um especialista será capaz de resolver o seu problema.

Crianças e agenda cheia: quais as reais obrigações que as crianças devem ter?

Natação. Inglês. Balé. Piano. Reforço escolar. Essas são algumas das atividades extracurriculares que algumas crianças participam durante a semana. São tantas as obrigações que as crianças devem cumprir que não sobra tempo para brincar de maneira satisfatória. A Dra. Ana Lucia Dias Paulo, médica homeopata e pediatra da Clínica Similia conversou com a equipe do Blog Homeopatia e Saúde, explicando tudo que os pais e responsáveis devem saber para manter, ou não, a agenda dos seus filhos cheia.

Sabemos o quanto é importante às obrigações que as crianças devem ter para o seu desenvolvimento, pois é através delas que as crianças aprenderem disciplina, administrar o seu tempo, se socializar e ajudar outras pessoas. Entretanto o excesso de atividades pode prejudicar o desenvolvimento infantil. Dra. Ana Lucia Dias Paulo explica que uma agenda cheia, gera estresse nas crianças, o que provoca doenças.

“Crianças de até 7 anos (meninas) e 8 anos (meninos) não tem noção clara de responsabilidade, uma b=vez que ainda estão em amadurecimento mental e emocional. Por isso é através dos brinquedos e das brincadeiras que eles amadurecem plenamente. Salvo algumas poucas crianças, a maioria não irá conseguir dar conta de uma agenda cheia. A maneira como mostram esse estresse é ficando doente. Nesta idade e por este motivo (emocional) o adoecimento pode ser profundo e grave, como pneumonias, ulcera gástrica
hemorrágica”,
explica Dra. Ana Lucia Dias Paulo, médica homeopata e Pediatra da Clínica Similia.

Quais as reais obrigações que as crianças devem ter?

Alguns pais acreditam que é preciso manter os filhos constantemente ocupados. Atitude que está impedindo as crianças de terem tempo livre para brincar, explorar e aprender por conta própria. Os pais ainda sentem que seus filhos vão perder oportunidades se não forem tão bons quanto às outras crianças.

Claro que nos dias de hoje nem sempre o ideal é conseguido, por pressão do meio social, mães que trabalham fora de casa, e as crianças são levadas às escolinhas prematuramente, muitas vezes ainda com poucos meses de vida. O ideal é que as crianças entrem na escola após os 5 anos de idade, depois de muito brincar e sentir o amor da família, para que se sentam seguras numa sociedade tão agressiva e exigente”, recomenda Dra. Ana Lucia

As crianças estão sofrendo muita pressão externa, pois precisa ser o “melhor” em todas as situações. Com isso as crianças estão enfrentando níveis elevados de estresse, ansiedade e depressão. Assim como estão recorrendo a trapaças na escola, com mais frequência.

As brincadeiras não devem ser encaradas como simples passatempo, mas sim como uma ferramenta essencial para o desenvolvimento infantil. Os jogos possuem benefícios valiosos, incluindo o desenvolvimento de habilidades físicas, emocionais, sociais e cognitivas.

É preciso ter cuidado para que as obrigações que a criança deve ter não atrapalhe o seu desenvolvimento, ter muitas atividades pode ser mais prejudicial que benéfico para a saúde e desenvolvimento infantil.

O que pode ser obrigações que as crianças devem ter?

“Na primeira infância todas as crianças aprendem melhor brincando e via de regar TODAS adoram imitar os adultos, inclusive nas obrigações domesticas, portanto crianças após os 2 anos, já podem ajudar suas mães a lavar quintal (criança adora água), desde que tudo acabe em farra e brincadeira, faz com que a criança cresce considerando estes afazeres como divertidos  de executar. Nesta mesma idade, estando ou não nas escolas precisam participara da arrumação dos brinquedos que elas mesmas desarrumaram.  Após os 4 anos podem juntos com familiares (inclusive o pai) participar da arrumação da cama e do próprio quarto, claro com atividades leves, proporcionais ao tamanho e peso corporal, tudo com proposta lúdica. Fazer as tarefas da escola após os 7-8 anos, a não ser desenhos e pinturas, crianças são artistas natos, sentem imenso prazer em trabalhos manuais”, recomenda Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, acredita no poder das brincadeiras como forma de socialização e desenvolvimento infantil.

Como a Homeopatia pode auxiliar no tratamento de Câncer

A homeopatia é um sistema de tratamento que vem sendo utilizado por muitos profissionais para tratar pacientes com câncer. Existem diversos relatos que descrevem o tratamento homeopático do câncer. Assim como a literatura moderna fornece vários estudos de caso onde a homeopatia foi utilizada no tratamento de diversas doenças dentre elas o câncer.

O câncer é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células que atinge tecidos e órgãos, e que pode se espalhar pelo resto do corpo, metástase. O Câncer é classificado de acordo com o órgão que afeta ou tipo de tecido, células envolvidas ou estágio da doença. Sendo que os tratamentos e diagnósticos variam conforme os diversos tipos e estágios da doença.

A homeopatia pode ajudar os indivíduos que sofrem por causa do câncer ao promover o equilíbrio do paciente como ser integral. O tratamento homeopático leva em conta o ser humano como um todo, ou seja, a medicação homeopática é prescrita levando em consideração as particularidades da pessoa. Não somente a doença em si. Podendo assim gerar um bem estar geral para o doente e, no caso de um paciente com câncer, melhor resposta ao tratamento convencional.

Homeopatia auxilia no tratamento

Por se tratar de um método isento de efeitos colaterais a homeopatia pode ser utilizada como um tratamento coadjuvante do tratamento convencional do câncer. “Tanto no que se refere à enfermidade em si, como para os efeitos colaterais da medicação quimioterápica e da radioterapia”, explica o Dr. Ariovaldo Ribeiro.

A homeopatia é considerada um tratamento auxiliar, por isso nos casos de pacientes com câncer a AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira), que é a entidade oficial da homeopatia no Brasil. Recomenda que nestes casos não se trate o paciente unicamente com a homeopatia.

Ainda existem protocolos de tratamento mundialmente aceitos e reconhecidos que devem ser realizados e o paciente precisa ser incentivado pelo homeopata realizar o tratamento seguindo todas as recomendações médicas.

O Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, acredita que a homeopatia pode melhorar a vida de quem sofre por causa do câncer. Para mais informações sobre o assunto acesse: https://goo.gl/8BwJ3P

 

Fralda: quando e como tirar?

 

A fralda faz parte dos anos inicias dos bebês. Além de serem extremamente convenientes para os pais nos primeiros dois anos de vida de seus filhos. Mas elas podem se tornar uma grande dor de cabeça para os pais quando chega o momento de fazer com que os pequenos abandonem essa peça. No texto de hoje, a Dra. Ana Lucia explica todos os passos: Fralda: quando e como tirar?

O sucesso no momento de retirar a fralda das crianças depende de aspectos relacionados aos estágios de desenvolvimento infantil. Pois o esforço que todo o processo exige dos pais, visto, dentre outra variáveis, que podem interferir no progresso.

Não existem métodos infalíveis, mas existe uma série de técnicas para ajudar a criança a abandonar a fralda o mais natural e rápido possível.

Em primeiro lugar, por mais que os pais acreditem que a criança já tem idade suficiente para largar as fraldas, existe uma idade recomendada para iniciar o processo. Porém essa idade é diferente para meninos e meninas, pois cada um tem suas particularidades.

Para as meninas a idade recomendada para deixar a fralda é a partir dos 18 meses, no caso dos meninos é 24 meses. Mas essa é só uma recomendação, isso não quer dizer que a criança tem que deixar a fralda nesse período. É preciso respeitar o ritmo de desenvolvimento de cada criança.

“O que nunca deve ser feito é repreender ou insistir demais no assunto. Pois o resultado de atitudes como essa pode ser o oposto do desejado. Isso significa que pode causar traumas nas crianças, o que vai dificultar, ainda mais, o processo. A regra número 1 é ter paciência”, Recomenda Dra. Ana Lucia Dias Paulo.

Como tirar a fralda?

O procedimento mais recomendado pelos especialistas para ajudar as crianças a deixarem a fralda durante o dia é bem simples. Consiste em levar a criança para sentar no troninho a cada duas horas e deixá-la à vontade para fazer o que tem que fazer. Essa é uma forma de criar o hábito. Se for usar o redutor de assento sanitário é recomendável ter um banquinho para que as crianças apoiem as pernas, explica a Dra. Ana Lucia Dias Paulo

A Dra. Ana Lucia também esclarece que os pais e responsáveis conhecem a rotina das crianças, e podem usar essa informação para levar as crianças para o troninho nos horários que elas costumam fazer suas necessidades. “A criança precisa associar que o que ela sente no corpo significa fazer coco, ou fazer xixi. Por isso, os pais ou cuidadores, que já sabem como o organismo da criança funciona, devem sempre associar os nomes, e tornar isso o mais natural possível”, explica a médica.

O procedimento de tirar as fraldas durante a noite é mais demorado. A pessoa precisa considerar que esse é um processo de longo prazo, afinal existem menos truques e recomendações que podem ser utilizados.

A orientação básica é sempre colocar a criança para fazer xixi antes de dormir. Evidente que essa atitude não é o suficiente quando estamos falando de uma pessoa que vai dormir a noite inteira, principalmente quando consideramos que muitas crianças têm uma maior necessidade de urinar no decorrer da noite. Mas isso já ajuda.

Com essas dicas que Blog Homeopatia e Saúde, um espaço informativo da Clínica Similia Homeopatia de qualidade em São Paulo – próximo da Av. Paulista, filiada ao Dr. Ariovaldo Ribeiro e a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, seguindo as dicas da Dra. Ana Lucia o momento de tirar a fralda das crianças vai ser menos estressante para os pais, e traumática para as crianças.