Monthly Archives: janeiro 2016

Bebês devem beber água?

Uma pergunta que muitos pais e mães de primeira viagem, e até os de alguma bagagem nas costas, ainda fazem nos consultórios. Nós esclarecemos todas as dúvidas sobre água e crianças no Blog Homeopatia e Saúde.

 Água, esse líquido tão simples e tão precioso.

O planeta Terra e o corpo humano possuem quase a mesma quantia de água em sua composição total: de 70 a 80 %. Somos seres líquidos vivendo em um planeta líquido: poderíamos sobreviver num deserto sem comida por vários dias, mas morreríamos sem água em pouco tempo.

Sem a água, não sobrevivemos e nem mesmo nosso organismo é capaz de funcionar adequadamente se não estiver hidratado. Água é a principal responsável pela formação saudável de muitos outros líquidos orgânicos, como: sangue, urina, saliva, lágrimas, além de ser muito importante para o bom funcionamento de órgãos como intestino, rins, estomago e até o cérebro.

A importância crucial da água para os bebês

bebes e agua similia homeopatiaPara os bebês a água tem uma função mais importante ainda, pois são muito frágeis e dependem exclusivamente da atenção e do cuidado de um adulto. A Dra. Ana Lucia Dias Paulo, pediatra e homeopata, explica que as recomendações médicas mais antigas orientassem a oferecer água somente após o desmame, que acontece por volta dos 06 meses mais ou menos. “Hoje em dia sugerimos que a oferta de água seja introduzida bem mais cedo: a partir dos 15 dias de vida. O ideal é oferecer, diretamente na boca, com uma colher bem pequena. Uma das melhores posições para administrar água aos bebês recém-nascidos é colocá-lo no colo, levemente mais erguido do que na posição de amamentação e colocar a colher com água no lábio inferior. Dessa maneira, o bebê é estimulado a sugar como faz com o leite e evita-se o uso de mamadeiras, que podem prejudicar a amamentação”, explica a especialista.

Não podemos ignorar que a recomendação médica sobre a introdução de água é baseada em estudos de caráter mundial, mas que nós vivemos num país tropical, onde muitas regiões alcançam facilmente 40 graus no verão! Adiar a introdução de água aos bebês, obedecendo ao tempo estipulado pela medicina tradicional, pode colocar em risco sua saúde e seu perfeito desenvolvimento.

Recém nascidos podem tomar água?                  

Recém-nascidos alimentados com fórmulas que levam água em sua composição, também precisam de hidratação além da ministrada junto ao leite formulado, pois apenas a água adicionada no preparo da fórmula não é suficiente para promover uma hidratação adequada aos bebês. “A quantia ideal de água a ser oferecida aos pequenos deve corresponder a 70 % do peso da criança. Por exemplo: se a criança pesa 04 quilos, deve tomar 280 gramas de água por dia”, recomenda Dra. Ana Lucia.

Outro cuidado importante a ser observado é que esse valor correspondente de água oferecido aos bebes deve obedecer alguns simples cuidados: “Distribua pequenas quantias, sempre às colheradas, ao longo do dia. Não ofereça água antes das mamadas para evitar interferir na amamentação e lembre-se que a água deve ser sempre a primeira e principal opção de hidratação” aconselha a médica.

Os sucos de frutas assim como a água de coco são importantes, mas jamais devem vir antes da água natural, pois é importante que os bebês aprendam a conhecer o sabor, sentir a textura e aprender a gostar da pureza da bebida sem que ela esteja misturada com algum outro tipo de bebida.

A Dra. Ana Lúcia Dias Paulo recomenda que as mães não aqueçam a água oferecida ao bebê. “Aquecer a água é um grande erro, pois a água deve ser oferecida em temperatura ambiente, para que seja reconhecida como um alimento diferente do leite materno e que não cause desconforto abdominal. Já água aquecida pode causar cólicas nos bebês”, explica a doutora.

Ficar atento a alguns sinais que podem indicar desidratação nos bebês também é muito importante, como por exemplo: pele ressecada, um aumento de cólicas, problemas urinários como infecção, lesões na pele de difícil cicatrização, aftas.

Qual a quantidade a oferecer de água para os bebês e crianças maiores?

Para as crianças maiores, cuja alimentação já conta com sólidos, a quantidade de água segue o mesmo parâmetro 70% do seu peso oferecidos ao longo do dia, sempre que a criança estiver acordada.

Caso esteja muito calor ou o ambiente onde a criança estiver seja muito quente e abafado, um pouco mais para repor a hidratação perdida pela transpiração. “Deve-se ressaltar que a água ou qualquer líquido de outra natureza, precisa ser evitado durante as refeições, pois podem retardar a digestão, já que comprometem as enzimas digestivas. Para não interferir na alimentação, o correto seria até meia hora antes ou meia após se alimentar”, sugere Dra. Ana.

Acima de um ano de idade, ou dos 10 quilos, até por volta dos 4, 5 anos, a quantidade de água deve ficar por volta de 01 litro por dia e a partir de 5 anos até o resto de suas vidas adultas, o ideal é consumir de 1,5 até 2 litros de água por dia, dependendo do tipo de alimentação ingerida, da constituição física da criança e do seu ritmo de vida.

Lembre-se sempre de que a água é o líquido mais precioso de que temos e para continuarmos vivendo com saúde, é importante evitar o desperdício!

Como seus pensamentos afetam sua saúde?

Muito se fala sobre como manter o pensamento positivo e o bom humor afetam a nossa saúde. O Blog Homeopatia e Saúde foi atrás de informações para provar que vale a pena para a saúde ser otimista. Leia o texto e divulgue, vamos espalhar as boas notícias.

Nos últimos anos, a sociedade parece estar tentando uma volta aos costumes e atitudes mais simples e com mais conexão à espiritualidade e a fé, talvez por ter observado o quanto possa ser massacrante um estilo de vida apressado e ambicioso, cuja única finalidade de se estar vivo é alcançar riqueza e sucesso.

Nessa trajetória desumana e completamente materialista rumo ao sucesso, acontecem situações e dramas que não esperávamos, normalmente ligadas à saúde devido ao estilo de vida, stress e ausência de bem-estar.

Pensamento: a energia que nós produzimos.

pensamento positivo - similia homeopatiaQuando pensamos colocamos nossa atenção em algo. E nosso cérebro se ativa através de cargas elétricas. Essas cargas elétricas dão origem a ondas eletromagnéticas, que se propagam pelo ar e até mesmo através de meios sólidos. Sabemos que tudo no universo é formado por átomos que são formados por um núcleo e uma região denominada eletrosfera, composta por partículas em movimento: os elétrons. Os diferentes tipos de matéria são resultados da quantidade de carga e da forma com que os átomos se agregam.

Para entendemos um pouco melhor sobre o funcionamento do cérebro, vamos pensar num aparelho de rádio, eles transmitem sinais elétricos através do ar, você não vê as ondas do rádio, mas basta ligá-lo para perceber seus efeitos. Da mesma forma, quando pensamos, a movimentação de cargas presentes em nosso cérebro dá origem a ondas eletromagnéticas que são transmitidas para o meio.

Provavelmente você já ouviu falar de um exame chama eletroencefalograma, nele alguns eletrodos são colocados à cabeça e captam ondas emitidas pelas atividades cerebrais, essas ondas não se limitam à superfície do crânio e se propagam pelo ar, ou seja, no meio onde vivemos estamos expostos a sinais de rádio, TV, ondas sonoras, sinais luminosos e também a ondas de PENSAMENTOS.

O pensamento positivo é só uma força que fazemos imaginando uma melhora naquilo que precisamos?

pensamento positivo similia homeopatiaAgora que você já entendeu como o pensamento afeta e como somos afetados pelos pensamentos, vamos entender como o pensamento positivo pode ser benéfico.

Enquanto pensamos além das ondas que externamos, também estamos produzindo centenas de sinapses cerebrais, que estão mandando sinais nervosos dentro de nosso cérebro, fazendo nossos neurônios dançar um tango enquanto trocam informações e mandam respostas em formas de sensações, tais como imagens, cheiros, lembranças, cores, sons.

Nosso cérebro é capaz de decodificar uma imagem revelando um cheiro característico, um sabor ou outra emoção qualquer, apenas com um pensamento. Se o pensamento que originou a imagem que trouxe a lembrança que por sua vez revelou a emoção foi bom, todas as respostas conseqüentes serão boas. Isso é pensamento positivo!

A ciência reconhece a influencia do pensamento positivo.

Os estudos acadêmicos direcionados a entender em como ter uma conduta positiva pode influenciar e até mesmo modificar alguns aspectos da vida, ainda são poucos, mas muitos profissionais da área médica recomendam e apóiam seus pacientes a encararem seus problemas sob uma visão otimista e positiva.

Neurocientistas afirmam, através de estudos e pesquisas, que nosso cérebro é capaz de influenciar nosso organismo e especialistas de outras áreas médicas já associam problemas de saúde com pensamentos. Há diversos livros e estudos psicológicos e de metafísica que associam traumas e situações que vivemos ou que guardamos com problemas de saúde.

A homeopatia é um ramo da medicina que ouve o paciente e trata também esses pensamentos e sentimentos para buscar a cura. No texto “Constelação Familiar Sistêmica”, publicado aqui no Blog Homeopatia e Saúde, Dr. Adalberto Salvatore Meira explica que “ grande parte – senão a totalidade – das doenças que manifestamos são de causas emocionais. Mas quando essas emoções não são tratadas, essas “causas” não são descobertas, a manifestação da doença retorna”. Tratar o pensamento, ou seja, descobrir a causa que manifesta a doença ajuda na sua cura.

Da mesma forma que o pensamento negativo, ou o sentimento negativo, como culpa, ansiedade, magoa faz mal pra saúde e desencadeia doenças, o contrário também tem muito poder: o otimismo é capaz de melhorar o sistema imunológico de uma pessoa.

A Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovou  através de um estudo onde pessoas otimistas  que pensam positivamente sobre tudo, tem um sistema imunológico muito mais fortalecido e são capazes de se curarem mais rapidamente do que aqueles pessimistas cuja visão geralmente é negativa.

Não é mágica. Além do pensamento que é capaz de guardar o corpo dos problemas, as pessoas otimistas tendem a se cuidar melhor, preferem uma alimentação mais saudável e seus períodos de tristeza ou aborrecimentos são mais curtos, o que influencia na resposta de uma boa saúde.

Pensar positivo é motivador

pensamento positivo similia homeopatiaQuando estamos positivamente influenciados, nossa motivação é maior e assim, uma cadeia de sentimentos inspiradores e bons se forma, causando bem-estar, esperança e tranqüilidade. E afinal, otimismo serve para isso mesmo: produzir bem-estar e trazer ao indivíduo paz interior.

Pessoas com uma visão otimista tendem a não agirem como vítimas das circunstâncias, tomam o controle de suas vidas e mesmo que fracassem, conseguem se reerguer sem que culpem outras pessoas ou situações. É claro que estamos falando sobre positivismo de uma forma adulta e realista e não se trata de uma espécie de jogo do contente (vide Pollyana): os otimistas sabem que a vida é feita de altos e baixos, e esperam sem desespero pela subida sempre que estão embaixo.

Fábrica de Bem-estar: produzindo otimismo e positividade

Para quem deseja mais doses de positivismo, é possível desenvolver um ciclo de pensamentos bons e otimistas através de pequenos truques, tão simples que muitas vezes esquecemos: condicionar o que traz prazer e alegria como um hábito diário.

Uma boa dica é perceber que nossos sentimentos provocam pensamentos em nós. Então os sentimentos positivos são capazes de nós curar ou nós manter na saúde. Quando estiver triste, ouça uma música que te alegre, pratique um esporte que te faça sorrir. Busque ficar ao lado de pessoas que você ame e que te tragam bons momentos. Assista filmes para rir. O sorriso libera o sentimento positivo e o cérebro vai sintonizar com o que é de bom.

E qual a importância desses gatilhos mentais que provocam alegria?

Serotonina e endorfina são dois hormônios responsáveis pela sensação de alegria e bem-estar, ambos liberados com mais intensidade quando estamos envolvidos em atividades que trazem prazer, logo, um ciclo benéfico se forma: atividade de prazer=alegria=otimismo. Trabalhar na motivação e no otimismo é possível até mesmo para o mais pessimista da face da Terra, e assim é possível modificar uma realidade pouco satisfatória em busca de uma atitude mais positiva.

Não deixe de conversar com seu médico a respeito disso, principalmente se sentir alguns sintomas de depressão ou negativismo.

 

Zyka vírus, Dengue ou Chikungunya?

Você sabe diferenciar os sintomas dos três vírus que são transmitidos pela aedes aegypti? No texto dessa semana vamos explicar para você saber identificar. Mas não esqueça, a prevenção é o melhor remédio.

Similia dengueMal começa o verão e já nos sentimos mais preocupados com as doenças que surgem a partir do aedes aegypti, conhecido como mosquito da dengue. Os números registrados, até dezembro de 2015, apontam para mais de 750 mil casos das doenças derivadas da dengue.

Zyka e Chikungunya são duas doenças com sintomas bem semelhantes aos da Dengue e derivam também do mosquito aedes  aegypt. Embora tenham a mesma procedência e vários sintomas iguais, é muito importante que se saiba reconhecer e identificar cada uma delas e seus sintomas.

Dengue

Por ser a primeira vinda do mosquito transmissor, é a doença mais conhecida por nós, brasileiros. Seus sintomas são:

  • Febre alta, com duração de 02 a 7 dias.
  • Dor de cabeça intensa
  • Dor no corpo
  • Dor atrás dos olhos
  • Dor nas articulações
  • Manchas avermelhadas no corpo, com possível coceira
  • Inflamações no fígado
  • Dor abdominal

Nos casos mais graves da dengue, a medicina registra sintomas perigosos, como:

  • Sangramento de nariz e gengiva
  • Vômitos
  • Sonolência
  • Prostração
  • Hipotensão.

Zyka ou Zika Vírus

O primeiro caso dessa variação da dengue surgiu em 2015, possivelmente na Bahia. De início, é freqüentemente confundida com um quadro de alergia, mas o diagnóstico final acontece após exames específicos e por exclusão de outras doenças.

Os sintomas são:

  • Febre, nem sempre tão alta
  • Dores no corpo
  • Conjuntivite
  • Diarréia
  • Manchas pelo corpo.

similia saúdeNo caso do Zika há duas outras complicações, e por isso, torna o vírus mais perigoso. A primeira e mais comentada pelas mídias, afeta mulheres grávidas e seus fetos. Provoca Microcefalia. Essa anomalia impede o crescimento normal do cérebro do feto, ainda no útero, e a criança nasce com esse órgão numa proporção menor e será portadora de necessidades especiais.

Outra complicação de casos de contágio pelo Zyka está sendo relatado com uma posterior complicação de outra doença auto-imune, chamada de Sindrome de Guillán-Barré. Na Sindrome de Guillán-Barré o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano. Isso leva à inflamação dos nervos, que provoca fraqueza muscular, impedindo o paciente de se movimentar e até mesmo prejudicando o sistema respiratório.

 

Chikungunya

Os primeiros casos foram registrados no final de 2015, vindos do Amapá. De setembro de 2015 para cá, foram registrados mais de 2.000 casos da doença, que tem se espalhado com força e rapidez. Felizmente, é uma das variações transmitidas pelo mosquito com baixíssimo índice de morte. Os sintomas da Chikungunya são:

  • Dor nas articulações, principalmente pés e mãos.
  • Febre alta e repentina
  • Manchas avermelhadas
  • Dor de cabeça
  • Dor muscular
  • Erupções na pele, brancas ou avermelhadas
  • Enjôos

Como as três doenças são bem parecidas, cujos sintomas diferem apenas na intensidade e na duração, o diagnóstico clínico deve ser feito somente após a realização de vários exames de sangue, que vão medir os níveis de plaqueta e coagulação e controlar o avanço ou a estabilidade da doença. O ministério da saúde divulgou que está sendo desenvolvido um teste que será capaz de identificar qual dos três vírus está afetando a pessoa, mas esse processo pode demorar ainda dois anos.

Entre a Zyka e a Chinkungunya, o índice de mortes é bem baixo em comparação com a Dengue, e as duas primeiras são muito confundidas por apresentarem semelhança extrema de sintomas e condições físicas.

Na Chinkungunya, as dores nas articulações podem permanecer por meses e até mesmo anos, o que retira muito da qualidade de vida do paciente, enquanto que na Dengue, os sintomas são mais severos durante o período ativo da doença, e na Zyka, os sintomas são mais leves e muitas vezes, o paciente sequer sente algum incomodo físico importante, podendo até mesmo nem perceber que foi infectado.

Em todas as três variações da doença causada pelo Aedes, a recomendação é a mesma: muito repouso não apenas na fase crítica, mas até mesmo quando estiver se sentindo um pouco melhor, hidratação intensa e constante. Vale lembrar que o uso de medicamentos a base de ácido acetilsalicílico (do tipo aspirinas) e antiinflamatórios não hormonais não são recomendados.

É importante ressaltar que em toda doença, apenas um profissional da saúde qualificado e habilitado pode reconhecer os sintomas e ministrar o tratamento adequado. Somente um médico é capaz de realizar o diagnóstico correto após os exames e orientar quanto ao tratamento a ser seguido.

Prevenção

A campanha “Se o aedes aegypti pode matar, ele não pode nascer” foi uma das frases mais fortes e mais honestas que o Ministério da Saúde já usou. Então a melhor prevenção é evitar que o mosquito nasça. Evitar água acumulada e parada em qualquer situação. Cuidar para que os vizinhos tenham o mesmo cuidado. E no caso de terrenos abandonados e locais públicos, denunciar.

Procure sempre um médico de sua confiança!

Ser Mulher – Pólipos Uterinos

Algumas alterações no organismo da mulher são silenciosas. É o caso da formação dos pólipos uterinos. Por isso consultas e exames de rotina são importantes para saúde da mulher. Saiba mais sobre esse assunto no texto da série SER MULHER do Blog Homeopatia e Saúde.

Pólipo uterino, também conhecido como pólipo endometrial, é um crescimento anormal (neoplasia) de células endometriais que se unem à mucosa do útero (ou camada glandular).

Ainda não se sabe ao certo o motivo exato da formação desse tecido, mas foi reconhecido que mulheres fazem reposição hormonal na menopausa possuem uma maior tendência em desenvolver pólipos uterinos, porém mulheres mais novas, que ainda estão longe da menopausa também podem desenvolver essa anomalia.

homeopatia e saúdeA alteração hormonal é a principal causa do desenvolvimento de pólipo uterino, e por isso normalmente, as mulheres com distúrbios hormonais como as que apresentam menstruação irregular, sangramento fora do período menstrual ou menstruação prolongada possuem maior risco de desenvolver estes pólipos endometriais.

As mulheres com pressão arterial elevada, obesas, aquelas em uso prolongado de estrogênios, as com síndrome dos ovários policísticos e as inférteis, estão sob maior risco de terem pólipos uterinos. Medicamentos como quimioterapia também favorecem o aparecimento dessa anomalia. Vale lembrar que na maioria dos casos a formação desse tecido é silenciosa, porém quando há sintomas, eles são:

– Sangramento vaginal após menopausa (após 1 ano sem menstruar);
– Menstruação abundante, sendo necessário usar mais de 1 pacote de absorvente a cada ciclo;
– Sangramento vaginal após o contato íntimo;
– Intensas cólicas menstruais;
– Por vezes, pode haver corrimento com mau cheiro.

 

Tratamento:

homeopatia e saúdePara a maioria dos casos não há nenhum tratamento especifico, porém, o ginecologista pode detectar que será necessário a retirada.

O pólipo uterino não é câncer, mas em alguns casos, algumas hiperplasias do endométrio e mesmo alguns carcinomas do endométrio aparecem como pólipos uterinos, ou pode se transformar numa lesão maligna, por isso é sempre importante uma nova avaliação de 6 em 6 meses, para verificar se o pólipo aumentou ou diminuiu de tamanho; se surgiram outros ou se ele desapareceu. As mulheres com maior risco de desenvolver câncer endometrial são aquelas que além da alteração hormonal, estão obesas, apresentam pressão alta ou têm histórico de pólipos uterinos na família.

Consulte sempre o seu médico. Cuide de sua saúde.