Monthly Archives: outubro 2015

Outubro Rosa – Vamos falar sobre isso?

Outubro foi o mês conscientização para combater e prevenir o câncer de mama. No Blog Homeopatia e Saúde vamos dar um outro enfoque para esse tema. Como aqui queremos prevenir vamos falar de como evitar isso?

foto-home

Segundo o médico Dráuzio Varella a obesidade e vida sedentária aumentam a incidência de desenvolver câncer. E os dois fatores somados aparecem em 20% das pessoas que desenvolvem câncer de mama. Apenas essa informação já vale como incentivo à prática regular de atividade física.

Mas se evitar o câncer não é suficiente para você se convencer levantamos outros bons motivos.

– A pratica de atividade física ajuda no aumento da resistência e consequentemente na saúde das pessoas.

– Exercícios físicos melhoram o condicionamento cardiovascular, evitando o surgimento de doenças crônicas degenerativas como o infarto, a hipertensão e o diabetes, normalmente associadas ao sedentarismo.

– Atividade física combate o stress e melhora na qualidade do sono o que aumenta também os níveis de disposição para realizar as atividades diárias.

– Ao realizar atividades físicas a pessoa melhora o estado de humor, devido ao aumento de endorfina no organismo, ajudando a evitar quadros de ansiedade e depressão.

home-atividade-fisica-oncologia

– Com a pratica regular de atividade física há um aumento da habilidade de equilíbrio e controle corporal, evitando assim acidentes domésticos e quedas, principalmente em mulheres idosas, já que nesses casos de fraturas há relacionado o aparecimento de doenças associadas à inanição como pneumonia e afins.

– Além disso a liberação da endorfina durante a atividade física, ocasiona sensação de felicidade durante e após o exercício, então a atividade física promove a felicidade.

– O exercício físico promove a elevação da quantidade de massa muscular e óssea gerando uma “reserva” importante para enfrentar o processo de envelhecimento diminuindo o risco de osteoporose.

– A atividade física aumenta a disposição e consequentemente eleva o prazer sexual, pois o melhor condicionamento físico pode ajudar no desempenho.

– Além disso a exercícios elevam a autoestima, pois ao promovem um momento de amor próprio e felicidade.

– A atividade física diminui a taxa de ressurgimento de câncer após tratamento.

Atividade-fisica-Cancer-de-mama

Durante e pós tratamento de câncer

Segundo estudos realizados no hospital Albert Einstein, a pratica de atividades física por quem está fazendo tratamento para combater o câncer, como quimioterapia ou radioterapia, por exemplo, tem diversas vantagens fisiológicas.

A atividade física diminui a inflamação, que por si só já é muito importante, pois modula a atividade do corpo. Além disso o exercício físico melhora a respiração do paciente, levando mais oxigênio para as células.

O estudo também ressalta a importância psicológica do paciente em tratamento que mantem as atividades físicas. Pois o tratamento é estressante, desgastante e o exercício funciona como um desestressante.

Por isso, o Blog Homeopatia e Saúde indica que a atividade física deve fazer parte da vida de todos.

Mitos e Verdades Sobre Amamentação

Apesar de já ter sido tratado aqui no Blog Homeopatia e Saúde, a polemica causada pelo depoimento da jornalista Fernanda Gentil trouxe à tona o assunto novamente. O Blog Homeopatia e Saúde desvenda os mitos, verdades e tabus sobre amamentação.

A amamentação é recomendada para bebês de até 2 anos de idade e como alimentação exclusiva até os 6 meses de vida, isso não é segredo para ninguém. Mas o que é “leite secar”, “bico invertido”, “não descer o leite”? Essas e outras informações que ouvimos sendo passadas de mãe para filha e muitas vezes por falta de informação acatamos como verdade.

images

Leite secar ou não descer

 

O processo da lactação é um esquema neuroendócrino, que se inicia logo após o parto, com a retirada da placenta. Segundo a Dra. Ana Lucia Dias Paulo, os hormônios da gestação se normalizam e iniciam os da lactação, e o colostro começa a ser substituído por um liquido intermediário entre ele e o leite, em torno do segundo e terceiro dia pós-parto o leite já começa a descer.

“É necessário a sucção dos mamilos pelo bebê como estimulo para que o leite desça. Desta maneira quanto mais cedo ocorrer está interação, mais cedo o leite descerá. Algumas escolas de obstetrícia orientam que o recém-nascido seja levado ao seio materno para as primeiras sucções, ainda na sala de parto logo após o corte do cordão umbilical”, explica a pediatra.

Diante disso, “secar o leite” pode ter causas neuroendócrinas, pois garantidamente seguindo os passos da natureza tudo é resolvido.

O que fazer para evitar que o leite seque, ou não desça:

Mesmo com todo trabalho que um recém-nascido significa, a nova mamãe deve tomar algumas precauções para estimular a lactação:

– Repouso adequado: sabemos que os bebes acordam várias vezes a noite, assim a mamãe deve procurar repor este sono durante o dia, nos momentos em que o bebe também dorme.

– Ingerir líquidos: água é essencial para quem está amamentando. Ela se transforma em leite quase que imediatamente.

– Rodizio de mamas: para Dra. Ana Lucia, as duas mamas devem ser oferecidas em cada mamada. “Dessa forma a mãe estará promovendo um estímulo bilateral da lactação”, explica a especialista.

– Alimentação: A mãe deve se alimentar adequadamente, com rotina e tempo adequados, dando preferência a alimentos de maior valor biológico (frutas, verduras e cereais).

– Rotina: Importante procurar seguir uma rotina de mamadas, de início com livre demanda, o bebe mama quando quer, e a partir do segundo mês de vida, a mãe poderá colocá-lo numa rotina de horário que atenda a ambos.

aleitamento

Os primeiros meses são trabalhosos, pois é adaptação mãe-filho, filho-mãe, e por falta de experiência de ambos pode ser um tanto estressante, mas com amor e paciência tudo se ajusta. Vale sempre lembrar que amamentar dá trabalho, e se é realmente o objetivo da mãe ela deve procurar evitar qualquer introdução de fórmulas ou o uso de mamadeiras e outros bicos, que podem confundir o reflexo de sucção do recém-nascido.

“Por vezes, quando estas orientações não são seguidas, sejam por motivos físicos ou até emocionais, o leite pode ir diminuindo até o momento de secar totalmente. Mas uma mãe atenta e assistida por um pediatra, ou até mesmo pelo obstetra que a acompanha, podem reverter esta situação e manter a amamentação ao seio materno exclusiva”, explica Dra. Ana Lucia.

Mamilo invertido

mamilo

O mamilo corresponde à maior proeminência na aréola, e tem importância fundamental na vida da mulher. Seja funcionalmente, permitindo a amamentação, ou sexualmente, com rica sensibilidade e relação com a autoestima e bem-estar.

O mamilo invertido é definido como uma retração no bico do peito, para dentro da mama. Tem como causa principal uma má formação congênita, isto é, uma fraqueza nos ligamentos que sustentam a papila e sem caráter hereditário. Embora mais raras, também podem existir as causas adquiridas nos processos inflamatórios (frequente em diabéticos e tabagistas) e o temido câncer de mama.

Mas tem cura. A mamãe que pretende engravidar deve observar isso antes da gravidez, pois o médico pode indicar algumas opções, até cirurgia para corrigir.

Maiores dificuldades para amamentar

Para Dra. Ana Lucia alguns fatores são negativos para a amamentação:

Ansiedade: “A insegurança da mãe pode servir como fator inibidor, por isso a futura mãe deve procurar ler muito a respeito destas e outras questões que podem lhe afligir”, recomenda a médica.

Situações anatômicas corpo: “O bico invertido é uma delas. E pode ser corrigido inclusive durante a gravidez”, explica a pediatra.

Bons motivos para insistir

Os benefícios da saúde do bebê são inúmeros, como podem foram explicados aqui, aqui e aqui, mas a mãe também ganha ao amamentar:

Praticamente todo o peso adquirido durante a gestação (quando uma gestação saudável) é perdido com a amamentação. “Além do peso perdido, a normalização dos hormônios que podem melhorar e muito a pele, cabelos e a disposição das mães de primeira ou de muitas viagens”, recomenda Dra. Ana.

Vale lembrar que cada mãe conhece o seu esforço e mesmo quando tentado de tudo, a mamadeira torna-se a única opção, a mãe não deve se culpar e procurar seguir todas as orientações do médico que à acompanha.

Sua Pele e a Homeopatia

A pele é o maior órgão que temos no corpo. E existe inúmeros males que podem atingir esse órgão. Existes problemas que sem um olhar atento não são percebidos, outros tantos que são considerados crônicos. Hoje vamos descobrir que mesmo as doenças mais sérias podem utilizar a homeopatia no tratamento. Entenda no texto do Blog Homeopatia e Saúde.

ipe2000-dermatologia-ambulatorio-roma-torre-spaccataMuitas doenças dermatológicas são crônicas, por exemplo dermatite atópica, dermatite seborreica, psoríase, etc., e necessitam de cuidados diários, por um longo período, levando à certa ansiedade, às vezes angústia, pela recuperação lenta e demorada. Além de situações de constrangimento que possam passar pelas lesões expostas e dificuldades no convívio social.

Para a doutora Lydia Sonohara, dermatologista e homeopata, a homeopatia ajuda a manter um equilíbrio emocional, mental e físico na pessoa com problemas de pele. “A medicina homeopata vai tratar a pessoa como todo e, por isso, dar suporte para enfrentar a situação que pode ser bem ruim. Quebrando um ciclo vicioso de ‘quanto maior a ansiedade, pior ficam as lesões’. Além de melhorarem as lesões, melhora a qualidade do sono, ou seja, há uma melhora na qualidade de vida do paciente”, explica a especialista.

lavar-rosto-pele-jovem-40179

A Dra. Lydia explica que as pessoas deixam para procurar um dermatologista somente quando já estão acometidas com uma enfermidade crônica, e o estado emocional afeta a situação da pele, por isso a homeopatia é parte importante do tratamento.

Atenção:

A especialista orienta que os sintomas mais comuns que algo não está bem com nossa pele são:

– Coceira

– Eritema (vermelhidão da pele)

– Inchaço

– Aparecimento de bolhas

– Aparecimento de vesículas e descamação.

bdpe_261012_quimica1

Ela alerta que ao menor sinal de um desses sintomas a pessoa deve procurar um especialista.

Para manter uma pele saudável Dra. Lydia dá algumas dicas: “Ao fazer diariamente uma boa hidratação e utilizar proteção solar adequada para cada tipo de pele a pessoa aumenta muito sua chance de ter uma pele bonita e saudável”, completa a dermatologista.

 

Constelação Familiar Sistêmica

Descobrindo sensações e sentimentos para solucionar problemas e viver uma vida mais saudável, Essa é a função da Constelação Familiar, tipo de terapia que tem conquistado cada vez mais seguidores, todos eles pessoas em busca de autoconhecimento. Entenda a relação da prática com a homeopatia e porque ela funciona efetivamente no Blog Homeopatia e Saúde.

A homeopatia trata o indivíduo e não a doença. E grande parte – senão a totalidade – das doenças que manifestamos são de causas emocionais. Mas quando essas emoções não são tratadas, essas “causas” não são descobertas, a manifestação da doença retorna. A Constelação Familiar ajuda a localizar essa causa emocional, que muitas vezes é bem diferente do que imaginamos.

constelacao familiarO Dr. Adailton Salvatore Meira é médico, ginecologista, obstetra, homeopata e especialista em constelação familiar. Ele explica que sistêmico é um conceito que vem da psicologia e significa que a pessoa em relação com sua família: pais, irmãos, tios, avós maternos e paternos, bisavós e em alguns casos até tataravós.

“A psicologia se estruturou no decorrer do século XX em cima do indivíduo. Os problemas emocionais da pessoa, estavam relacionados com ela. Um pouco mais tarde se viu que o indivíduo ficava doente emocionalmente ou fisicamente por relações com a família. Uma criança doente, muitas vezes significa uma família, um casal, doente. Algumas pessoas ficam em depressão, por estarem identificadas com ancestrais, que muitas vezes já morreram”, exemplifica o especialista

A Constelação Familiar é uma técnica de psicoterapia onde se reconstrói a árvore genealógica, para identificar e remover possíveis bloqueios do fluxo amoroso ou de relacionamento entre pessoas, de qualquer geração ou membro da família.

Família e, família ah, família…

Trazemos em nós muito mais que características genéticas dos nossos antepassados. Nosso DNA carrega traços como a cor dos olhos, altura, tipo de cabelo e predisposições para determinadas doenças. Mas trazemos também conosco o nosso campo morfogenético, um campo estudado pela metafísica que carrega em nós as experiências e vivências que nossos ancestrais tiveram. Carregamos isso conosco, mesmo sem ter consciência disso.

noticia_56(1)A constelação familiar sistêmica é uma experiência única, individual. Cada pessoa que passa por uma, seja sozinho ou em grupo, se depara com situações que antes não eram percebidas que podem estar influenciando sua vida e, muitas vezes, a vida de quem a cerca, como filhos, cônjuges, etc.

“Não raro vem à tona as feridas da alma, aquilo que está inconsciente no paciente e isto o ajuda a esclarecer situações, entender comportamentos, tomar suas decisões e a caminhar do mundo ‘infantil’ para o mundo ‘adulto’. Quanto mais no mundo adulto estiver, mais desligado de sua família de origem fica o paciente. E mais leve, mais harmônico e mais feliz, por conseguinte”, expõe Dr. Adailton.

Toda a informação do que aconteceu com cada membro de uma família está contida no campo morfogenético. Esta informação pode ser acessada quando se monta um grupo de Constelação.

“Isto não acontece em um passe de mágica, é um processo que o paciente constrói, paulatinamente, olhando e acolhendo as situações que eram difíceis de lidar quando criança, tais como abandono, rejeição, desprezo, desrespeito, violência, abuso, etc, e que, como adulto, consegue olhar e acolher” retrata o médico.

Muitas vezes a descoberta feita em uma sessão chega a um ponto de equilíbrio, de estabilidade, que é o suficiente para aquele dia, para aquele momento, para o que o paciente pode suportar. “A Constelação não se propõe a resolver problemas, a curar, mas sim a abrir a janela e fazer com que o indivíduo possa olhar, ver o que não via antes, ou o que via sob o olhar da mãe, ou sob o olhar da sua criança, e que não lhe permitiu evoluir para o mundo adulto” explica Dr. Salvatore.

representantes-624x476

Sessão em grupo

As sessões de constelação familiar sistêmicas em grupo propõem que a pessoa que vai constelar apresente o assunto e o facilitador ou terapeuta oriente quais os personagens que farão parte dessa história. Então, o paciente vai escolhendo entre membros do grupo quem representará os personagens e retorna ao lado do facilitador. O campo morfogenético criado numa sessão de constelação familiar representa, simula as ações e sentimentos que aqueles membros da família do constelado sentiam. Cada um que está ali em representação à alguém tem sentimentos e sensações, como vontade de rir, de chorar, de se afastar, ou ficar próximo de outras pessoas que também estão ali em representação à outras pessoas da família. Alguns sentem raiva, carinho, vontade de ajudar. E, conforme o constelado tem acesso a esse entendimento, de ver o todo, consegue ver com mais clareza a solução de seu problema. Esse processo quem representa também consegue entender sentimentos que muitas vezes são similares aos de sua história e, mesmo representando a história do outro, consegue ter ganhos pessoais.

“Não há como avaliar se uma constelação foi boa, se foi legal. Não se deve perguntar a uma pessoa que passou pelo processo: ‘E aí, com foi?’ Isto só fomenta a curiosidade de quem pergunta e tira a pessoa do processo, do estado de sentir, e a coloca no estado de analisar, contar para o outro, e não de vivenciar o que está acontecendo dentro dela. O que está dentro dela não interessa a ninguém mais além dela mesma. A constelação aconteceu. Pronto. Algo se passou no interior, na alma desta pessoa. Uma luz se acendeu, uma porta se abriu, uma possibilidade não aventada antes aconteceu… pronto”, conclui Dr. Adailton Salvatore.