Monthly Archives: junho 2015

UTI e Homeopatia

Nunca é fácil ouvir que será necessário a internação em UTI (unidade de terapia intensiva), seja para si próprio ou para alguém que amamos. Porém, é bom saber que quando necessário o tratamento intensivo pode ser feito em conjunto com a homeopatia. O Blog Homeopatia e Saúde foi tentar descobrir como é o uso da medicina Homeopática na terapia intensiva.

Contrariando o mito popular a medicina homeopática pode ser utilizada tanto em pacientes graves quanto em pacientes portadores de doenças agudas e crônicas, como já foi dito no texto “Sem demora”, aqui neste Blog. Em tratamento de pacientes críticos, que necessitam de internação em UTI (unidade de tratamento intensivo) a homeopatia é utilizada em paralelo com o tratamento convencional – alopático, com resultados potencializados.

5B5_Pronto-Socorro-UTI-240809-05-EN

Para a Dra. Fátima Buarque, presidente da Associação Homeopática de Pernambuco, este tipo de abordagem terapêutica não considera a doença e sim a pessoas acometida que sofre com a doença. “A escolha e a valorização dos sintomas apresentados em um paciente gravemente enfermo conduzirá o médico homeopata a prescrever os medicamentos homeopáticos mais adequados ao caso“, explica Dra. Fátima.

Já a Dra. Vera Lucia Vasconcelos, homeopática e plantonista de UTI, cita Hahnemann, o pai da Homeopatia que afirmava que quanto mais grave for a doença aguda, tanto mais numerosos e evidentes serão os sintomas que a constituem, mas tanto mais seguramente ela permite também encontrar um medicamento apropriado. “Podemos utilizar a homeopatia em todos os casos. A finalidade do médico consiste em curar o doente em sua totalidade, ” acrescenta Dra. Vera Lucia.

As doutoras concordam que a homeopatia pode ser grande aliada nos tratamentos de UTI, incluindo casos de pacientes em coma. “A utilização de homeopatia em pacientes em estado de coma ou desacordados pode ser feita desde que se tenham dados clínicos da história e do exame físico para análise da escolha medicamentosa”, explica a Dra. Fátima Buarque. No que sua colega completa: “A homeopatia é viável em pacientes graves. É importante atuar na fase dos sintomas iniciais, para redução da mortalidade. Neste caso, os sinais bem modalizados, leva ao medicamento homeopático indicado. Com a homeopatia sempre podemos fazer muito mais”, expõe Dra. Vera Lucia Vasconcelos.

Homeopatia – Reequilíbrio do organismo

Uma das dúvidas que o paciente que já se trata com homeopatia tem nesse momento é “como um organismo que esteja recebendo tantos estímulos medicamentosos (alopatia) em tratamento intensivo pode se reequilibrar”, já que é esse o objetivo da homeopatia?

Para essa pergunta a Dra. Fátima levanta que para cada droga química que um paciente de UTI é submetido há explicação de seu mecanismo de ação. Entre essas drogas químicas estão antibióticos, analgésicos, drogas vasoativas, sedativos, analgésicos, etc. “São medicamentos importantes, devem e são usados em paciente de UTI.  A homeopatia irá beneficiar sim o paciente crítico melhorando a sua capacidade de defesa”, completa Dra. Fátima Buarque.

Sua colega, inclui que a homeopatia como prática terapêutica complementar ajuda a todos os pacientes, independente das interferências dos medicamentos alopáticos e tempo que a pessoa esteja apresentando os sintomas ou recebendo os medicamentos. “A força vital perturbada, causa das doenças, só pode se restabelecer através da energia vital dos medicamentos homeopáticos, que, funcionando como um modelo indutor da reação vital, conduzem-na ao equilíbrio perdido”, relata Dra. Vera Lucia Vasconcelos.

Como utilizar homeopatia na UTI?

No Brasil esse tipo de tratamento só é visto de forma isolada e apenas quando os familiares conhecem a homeopatia e tenha um médico com esse conhecimento para indicar o tratamento. Então a recomendação que o Blog Similia Homeopatia e Saúde faz sempre é consulte um médico de sua confiança e em casos de emergência entre em contato com ele.

 

Assine nossa newsletter e receba em seu e-mail as novidades do Blog Similia Homeopatia e Saúde.

Amar faz bem pra saúde!

Com o dia dos namorados ficamos pensando em como o amor pode ser favorável para sua vida. Então, pesquisamos e descobrimos mais razões do que imaginávamos para amar. Leia na íntegra o novo texto do Blog Homeopatia e Saúde e distribua amor.

Quem ama normalmente fica mais feliz. E isso, por si só, já ajuda a evitar o stress, aumenta a imunidade e diminui o surgimento de doenças. O amor como sentimento – seja pelo seu companheiro, pelos filhos, por um animal de estimação e, por que não dizer, por si mesmo – já contribui para o aumento da felicidade.

como-escolher-o-melhor-cão-para-o-seu-filho-300x198“Uma criança que ganha um animal de estimação começa a ter noção de vida e de morte. Passa a cuidar e proteger aquele animal. Além de iniciar o processo de formação do conceito de responsabilidade com o amor que dedica ao animal”, comenta Dr. Aurélio Melo, psicólogo e professor de psicologia da universidade Mackenzie.

O professor desconfia do amor que não cuida. Citando uma parábola bíblica, ele diz que quem ama, sempre busca o melhor para o ser amado. “É como na história do rei Davi: quando duas mulheres clamam pelo título de mãe da mesma criança, ele manda que dividam a criança ao meio, para que cada uma fique com metade. Aí uma das mulheres abre mão da criança, em detrimento do seu bem estar. Essa foi escolhida pelo rei como sendo a mãe, pois ela pensou mais na criança do que nela”, exemplifica o doutor Melo.

A coach de relacionamento Miria Kutcher ensina que o primeiro amor é o próprio e, quando sentimos estima por nós mesmos, quando existe amor próprio, parece que tudo melhora na nossa vida. “Muitas vezes, as pessoas sofrem traumas que precisam ser curados para conseguir achar esse amor em si. Porém, quando a pessoa consegue descobri em si as qualidades que deseja no outro ela não precisa de alguém que a complete, e o relacionamento passa a ser incrível”, diz Miria Kutcher.

Amor Romântico

images (1)De uma forma mais romântica, amar também provoca um sentimento positivo e isso interfere na saúde psíquica. “Uma pessoa que está amando e sentindo-se amada está bem consigo mesma, com a autoestima elevada. Isso faz com que ela tenha menos chances de se entregar ao estresse e aos dissabores do dia-a-dia, que são grandes vilões para a saúde física e psíquica de uma pessoa”, diz a psicóloga Lilian Cunha.

A especialista também comenta que quando se está amando o corpo libera várias substâncias químicas, que dão a famosa sensação de prazer. “Entre essas substâncias, podemos destacar a adrenalina, a noradrenalina, a feniletilamina, a dopamina, a oxitocina, a serotonina e as endorfinas. Elas afetam o sistema nervoso e imunológico da pessoa. Uma pessoa feliz adoece menos”, expõe a doutora.

Dr. Melo complementa dizendo que amar é bom, mas sempre gera algum tipo sofrimento, pois o objeto que recebe nosso amor nem sempre é da forma que queremos. “Às vezes, não gostamos de um ponto da pessoa e isso pode gerar sofrimento, mas até um certo ponto isso é positivo, tanto para o relacionamento como para a saúde da pessoa”, relata o professor.

Aposte na dupla amor + sexo

Dra. Lilian afirma que no sexo os tais hormônios do prazer são mais intensos e a felicidade maior na vida da pessoa. “Acredito que o sexo complemente os outros fatores pois uma pessoa que está amando a si mesma, ao mundo e aos outros ela está de bem consigo mesma. Isso eleva a autoestima que faz com que se sinta bem e confiante. E sexo saudável, ativo e prazeroso fecha com chave de ouro este ciclo”, pontua a psicóloga. Já a Coach de relacionamento ensina que o corpo tem necessidades e o prazer é uma delas. “O sexo faz das necessidades de cada pessoa e, também, de um relacionamento, sadio. Viver isso de uma forma plena, independentemente da idade, do peso e do tempo do relacionamento também é uma necessidade”, completa Miria.

1256531255642_f

A vida sem prazer faz com que o indivíduo, na melhor das hipóteses, canalize a energia para outro campo. Doutor Melo explica: “sem prazer a pessoa é levada à apatia, à baixa-autoestima e pode desenvolver doenças”, descreve o doutor.

 

Se quiserem mais motivos para pensar na dupla amor e sexo, a saúde agradece. A atividade sexual melhora o sistema cardiovascular, aumenta a resistência física, melhora a memória, aumenta a imunidade, alivia o stress e de quebra queima calorias.


Benefícios de amar

– eleva a autoestima

– eleva a motivação pessoal

– diminui o estresse

– aumenta o otimismo


Quem ama:

– Cuida mais de si mesma.
– Pratica exercícios físicos, com isso evita doenças cardiovasculares.
– Se preocupa com a saúde, vai ao médico regularmente.
– Tem motivação para continuar na dieta.
– Tem mais disposição para sair, passear, namorar.
– Pensa na aparência, cuida do cabelo, usa maquiagem.

Plantão na Farmácia Homeopática

Quem se trata com homeopatia também está sujeito a vírus ou bactérias oportunistas. E quando algum desses males pega você desprevenido, depois de telefonar para seu médico, você sai em busca de uma farmácia que possa atendê-lo com aquela receita de última hora. Essa semana o Blog Homeopatia e Saúde da Clínica Similia vai explicar como funciona o plantão na farmácia homeopática.

Muito além da manipulação

Engana-se quem pensa que na farmácia homeopática só são encontrados medicamentos para manipular suas fórmulas indicadas pelo médico. Além da manipulação homeopática também é possível encontrar medicamentos alopáticos e toda uma gama de estilos de produtos para quem busca um estilo de vida saudável.

imagesUma farmácia homeopática de plantão precisa manter uma equipe completa de farmacêuticos homeopatas, que manipulam as receitas na hora que precisa o paciente precisa. Uma das poucos farmácia homeopáticas que tem um horário diferenciado, a Sensitiva, que possui duas unidades – uma na vila Mariana e outra na Vila Madalena – atende a demanda do plantão. Isso porque ela tem um horário de funcionamento estendido. “Atendemos de segunda a sexta-feira das 7 às 22h. Aos sábados das 8 às 20h. E aos domingos e feriados em esquema de plantão das 9 às 18h”, explica Márcia Gutierrez, gerente e farmacêutica homeopata.

As doenças não escolhem dia e hora e, muitas vezes, não é mesmo possível esperar. Homeopatia no Brasil está caracterizada pela manipulação, e por isso um paciente de homeopatia precisa de uma farmácia de manipulação. Assim, drogarias 24h não conseguem atender suas necessidades. Por isso a Sensitiva funcionou durante 13 anos durante as 24 horas do dia e, segundo o relato dos atendentes, muitos pacientes vinham do pronto-socorro direto para manipularem seus medicamentos emergencialmente. Porém, devido à insegurança na cidade, a empresa decidiu reduzir o horário. “Sofremos muitas críticas de médicos e pacientes que insistiram para manutenção daquele horário. Pela inviabilidade operacional e insegurança, mantivemos apenas a extensão no horário de atendimento”, expõe Marcia.

Marcia conta que além do medicamento a Sensitiva ainda oferece um serviço integrado ao paciente e ao clínico. “Divulgamos a homeopatia para clínicos e pacientes que desejem conhecê-la ou criamos alternativas para os homeopatas que desejam complementar suas prescrições. Sempre envolvidos com a individualização”, descreve a farmacêutica.

Quer saber mais sobre o que encontrar em uma farmácia de homeopatia, leia o texto Oasis do bem-estar.

 

Na Hora do Parto – Parte 2

O último texto da série Ser Mulher, o Blog Homeopatia e Saúde começou a abordar as várias formas da mulher trazer à vida seus filhos. Falamos sobre o perigoso número o de partos cesarianos em comparação com o parto natural e do parto sem dor realizados no Brasil. (Leia). No texto que segue, vamos entender outros aspectos dessa hora tão importante para a mulher e para o bebê. Leia e compartilhe, pois, a informação pode ajudar na escolha de quem precisa.

parto-humanizado-pb

 

 

 

“Multiplicarei os sofrimentos de teu parto; darás à luz com dores” (Gên.3:16).

 

 

Humanizando

Tendo em vista que a dor é parte do processo de trazer uma criança ao mundo, a humanização dessa etapa tão importante da vida da mulher vem ganhando força nas conversas e consultas das gestantes. Mas nem tudo que é dito é verdade.

Para a Doula Maria Elaine Valadão dos Santos, o termo “humanização” vem sendo deturpado. “Humanizar vai muito além das velas, do som ambiente e do obstetra ‘gente boa’. Tem a ver com respeito à vida e ao momento da mulher como um todo, desde informação real, baseada em evidências científicas de observação da fisiologia humana, à recepção menos traumática do bebê durante seu nascimento”, explica Elaine. Ela acredita que não interferir nas escolhas da mulher é parte do processo de humanizar o parto. “Humanizar é prestar assistência profissional ao parto sem interferir. Afinal, são 200 mil anos de técnicas aprimoradas pelos nossos ancestrais até que estivéssemos falando em humanização, ” conclui a doula.

Para o Dr. Eliezer Berenstein, parto humanizado é todo o parto em que saúde emocional do casal é absolutamente preservada, seja via abdominal ou vaginal. “A vinda do bebe ao mundo é respeitada e transformada em uma experiência amorosa e segura. Alguns procedimentos são comuns no parto humanizado, como evitar a colocação do foco cirúrgico diretamente nos olhos do bebe e evitar tramas acústicos, mantendo a sala com música suave e vozes aconchegantes. Manter o cordão umbilical até que o bebê assuma sua respiração. Não virar o bebê de cabeça para baixo e preconizar o contato pele a pele com a mãe e a amamentação na primeira hora de vida”, completa o obstetra.

Doula x Parteira

downloadNesse processo de humanização o papel da doula ganha espaço nos pré-natais e até mesmo nas salas de parto. A palavra “doula” vem do grego “mulher que serve”. Nos dias de hoje, aplica-se às mulheres que dão suporte físico e emocional a outras mulheres antes, durante e após o parto. A doula não é a parteira, é apenas uma conselheira, acompanhante que, por ter experiência de auxiliar dezenas de mulheres, consegue ter a mente mais clara para aconselhar e tomar decisões de emergência.

Nossa entrevistada explica que um parto nunca pode ser realizado por uma doula. “Doulas são acompanhantes treinadas em oferecer apoio físico, emocional e informativo durante a gestação, parto e puerpério. Não somos profissionais que executam procedimentos durante o parto, sejam eles os mais simples”, recomenda Elaine.

download (1)Já as parteiras podem contribuir e até mesmo realizar um parto simples. Especialista em partos normais, essa profissional – que normalmente têm formação de enfermeira obstetra ou obstetriz – é cada vez mais requisitada nos grandes centros por mulheres em busca de uma experiência natural e afetiva no nascimento dos filhos. Tudo isso, é claro, sem abrir mão da segurança.

Para a enfermeira obstetra Fernanda Alves Blanca, integrante da equipe do Dr. Eliezer Berenstein, a figura da parteira é da verdadeira heroína, principalmente fora dos grandes centros do Brasil. “Vemos com bons olhos quando profissionais capacitados dedicam-se a esta especialidade, principalmente quando visto a obstétrica abandonada dos sertões brasileiros, onde a figura das parteiras são a realidade. Entendemos que há a obstetrícia de baixa complexidade e previsão de parto otimista (mães e fetos saudáveis) e a gravidez de alta complexidade por patologias da mãe ou feto capazes de complicar o parto a ponto de se necessitar de uma equipe especializada multidisciplinar. Para essa segunda hipótese, o médico é imprescindível”, completa Fernanda.

A Homeopatia

A homeopatia pode contribuir nesse processo todo, pois pode acompanhar a saúde da mãe e do bebê que ainda está no ventre. Algumas medicações homeopáticas não têm contraindicação para gestantes e podem ajudar a manter a energia e a imunidade da gestante, bem como diminuir a ansiedade e o nervosismo da mãe.

Procure sempre um médico se sua confiança e oriente-se antes de decidir qual a melhor forma de trazer seu bebê ao mundo.