Monthly Archives: setembro 2014

Oásis do bem estar

A Farmácia Homeopática é um espaço dedicado à saúde e à vida saudável que conta com profissionais especializados

HN Cristiano

Mais do que um lugar para “manipular as receitas” a farmácia homeopática é um Oásis de bem estar. Nela, você pode encontrar um farmacêutico muito bem preparado para auxiliá-lo com as dúvidas e a formulação do seu medicamento. Também encontra muitas outras coisas: fitoterapia, aromaterapia, cosméticos e maquiagens orgânicas, florais, livros e cd´s são alguns dos itens à venda nesse tipo de farmácia. “Todos os produtos são naturais e têm ligação direta com o bem-estar”, pontua Amarylis de Toledo Cesar, diretora Técnica da H&N Homeopatia.

farmacia homeopatica h&n cristiano

Amarylis, que é doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo e atua há 30 anos no segmento,  afirma que o Brasil é um dos países mais bem preparados no setor de farmácia homeopata. Isso porque a nossa legislação, além de bastante específica, também é muito exigente quanto à formação dos profissionais e à segurança dos locais. Essas exigências deixam o nosso país na dianteira do setor, com profissionais e farmácias totalmente preparados para atender a todos os pacientes da melhor maneira possível.

“Existem boas farmácias e farmacêuticos homeopatas na Itália, na Alemanha, na Inglaterra e na Índia”, enumera a especialista, reforçando, no entanto, que a farmácia homeopática ainda não é relevante nesses lugares. “O setor tem dado alguns passos também nos Estados Unidos e na França. Mas nos países da América do Sul, por exemplo, não existem farmacêuticos homeopatas. Já recebi médicos e lugares como a Bolívia, o Equador e a Colômbia, que vieram para o Brasil conhecer os nossos procedimentos”, diz.

Orientação e preparoHN-Cristiano11

Ela lembra que os farmacêuticos, mesmo os especializados em homeopatia, não têm autorização para prescrever medicamentos – o procedimento é parecido com o das drogarias, onde o responsável não pode “receitar” os medicamentos tarjados. Mas ela lembra que pode, sim, orientar o paciente em alguns casos.

Amarylis relata que, antigamente, os pacientes chegavam à farmácia cheios de dúvidas, pois os médicos tinham receitado uma alimentação mais saudável, por exemplo, e eles não sabiam onde encontrar os ingredientes. Hoje, esses hábitos mais saudáveis já fazem parte do cotidiano das pessoas, o que ampliou o número de estabelecimentos que comercializam produtos naturais e mais saudáveis.

A mudança de hábitos também contribuiu para a inserção de novos itens nas prateleiras das farmácias homeopáticas: “hoje comercializamos cosméticos – feitos in loco ou industrializados – e produtos de beleza que realmente agem em favor da beleza, e não mascarando os problemas”, diz ela. A farmacêutica lembra que todas as linhas vendidas são condizentes com o ambiente e a filosofia homeopática, e que prezam pela compatibilidade e pela sustentabilidade.

Shakes Emagrecedores – Como e Porque Consumí-los ou Não?

Na tv, nas revistas e até na rua, somos infestados por uma enxurrada de anúncios sobre shakes e complementos nutricionais desse tipo. Quem começa a frequentar uma academia, logo se depara com colegas com suplementos, explicando os benefícios do consumo desse ou daquele produto. Mas nem tudo que ouvimos podemos ter como certeza absoluta.

shakes-para-tudo-fb

Para Marcelo Ferreira, Nutricionista Esportivo e Funcional, o consumo desse tipo de produto não deve ser feito como substituição de refeição, e sim como complemento nutricional. “Eu costumo orientar meus pacientes a usarem como um lanche de valor proteico alto, ou antes de praticar o exercício físico. Costumo também explicar para meus pacientes que tenham um estilo de vida corrido, e as vezes não têm tempo de fazer uma refeição corretamente. Ou seja: numa exceção, o uso de shakes para substituir a refeição pode ser interessante pela praticidade, mas não pode ser uma rotina.”

Já para Angélica Longo, Nutricionista especialista em Reeducação Alimentar, Nutrição Materno Infantil e Nutrição Celular, o uso de shakes nas dietas de controle de peso é eficaz pois proporciona uma dieta de menor valor calórico. Angélica alerta para a escolha certa da marca do produto. “Existem várias marcas no mercado, é preciso verificar a formulação, registro na ANVISA e correta forma de uso. Os shakes são auxiliares, não exclusivos em uma dieta.”

Bruna de Holanda Carnelosso, nutricionista com experiência em clínica médica e atendimento em hospital, ressalta que o uso prolongado desse subterfúgio pode ter o efeito contrário à dieta, já que nosso organismo é inteligente. E, entendendo que não há a ingestão de calorias abundante, “economiza” no gasto energético, tornando o processo de emagrecer mais difícil. “Quando a pessoa mantém por um tempo uma dieta de valor calórico muito menor do que o necessário para o organismo ocorre um mecanismo de defesa natural em que o corpo ‘economiza’ energia, evitando perda calórica. Então se obtém o efeito contrário do desejado. Para substituir uma refeição o shake deve ter (preparado como na instrução do rótulo) e apresentar pelo menos 200 calorias, o que já é pouco para uma refeição mas alguns não apresentam nem isso.”, explica a especialista.

chocolate and strawberry milkshake

Marcelo Ferreira também explica que o uso prolongado da dieta de substituição de refeição, pode causar um dano no organismo. “O uso por um tempo prolongado pode causar uma atrofia no estômago. Emagrecer não é apenas perder peso. É importante perder massa gorda mas manter ou até ganhar massa magra. O uso indiscriminado de shakes, sem o acompanhamento correto pode ter um efeito na balança, mas perdendo também massa magra, o que não é bom para ninguém”, explica o nutricionista funcional.

“A reeducação alimentar não passa pelo uso de shakes. A reeducação alimentar envolve primeiramente uma mudança na essência de como pensamos, através da prática da mudança de hábitos e quebra de paradigmas que muitas vezes não são facilmente entendidos e praticados. Se analisarmos as pessoas que fazem o uso de shakes para emagrecer, podemos notar que em geral, engordam novamente tudo o que perdeu ou até mais. Portanto, eles não funcionam”, avalia Bruna.

“Dieta é tudo que ingerimos todos os dias. Podemos ter períodos de dietas específicas, para diminuir peso, ganhar massa, na amamentação, pré competição etc. Mas uma dieta equilibrada deve conter todos os grupos de nutrientes em equilíbrio. Se o indivíduo fizer uso exclusivo de shakes de qualidade duvidosa por um longo período virá a ter prejuízo nutricional. Mas se utilizar os de boa qualidade, com um objetivo específico, o consumo diário pode ser de uma a duas substituições de refeição sem nenhum prejuízo a sua saúde.”, defende Angélica Longo.

Criança Prodígio

As crianças de hoje são mesmo mais inteligentes, mas, ser um prodígio na primeira infância,  não significa exatamente que seu filho  crescerá e se tornará um gênio. O estímulo desde o nascimento é importante para o desenvolvimento intelectual do seu filho, e, na medida certa só faz bem. 

Baby Einstein

Não à toa ouvimos sempre pessoas comentarem acerca de um bebê: “nossa como ele é esperto” ou “daqui a pouco as crianças vão nascer falando”. E, de fato, as crianças de hoje são mais inteligentes que suas antecessoras e isto se deve a pais mais bem informados e aos estímulos que as crianças recebem desde o nascimento.

E até a comunidade científica acha isso: estudos recentes do Instituto Tecnológico de Massachusetts, nos Estados Unidos, mostraram – através de um estudo dirigido –  que assim como adultos, os bebês menores de 1 ano usam a lógica para prever a sequência de uma ação.

E a coisa toda começa bem antes do nascimento: já foi o tempo em que achávamos que os bebês nasciam com  o cérebro ‘zerado’, estudos recentes indicam que o período entre a gestação e os dois primeiros anos do bebê são os mais importantes para o desenvolvimento  cerebral e das conexões neurológicas que influenciam a inteligência de uma criança por toda a sua vida. Neste tamanho, as crianças aprendem por observação, repetição e imitação e é aí que entram os pais.

Ao estimular o filho na dose certa os pais colaboram na formação do universo cultural, psíquico e afetivo. Os estímulos devem ser feitos de forma lúdica, sem pressa,  despretensiosamente, sem esperar a transformação de uma criança em gênio.

Cabe lembrar que bebês muito espertos para sua idade, muitas vezes quando crescem, tornam se crianças com os níveis normais de QI. E que tais estímulos devem ser feitos na dose certa.

Fail! 

Se algumas interações dos pais torna os filhos mais inteligentes, do contrário, pode criar uma criança com distúrbios como ansiedade e depressão na vida adulta.

A regra é simples: brinque estimule, mas saiba a hora de parar. Se no meio da brincadeira seu bebê começar a chorar pare. As brincadeiras devem ser feitas apenas se ele demonstrar reciprocidade para com elas.

Para os mais crescidos, cuidados com celulares e tablets que em excesso são prejudiciais à saúde física e emocional, sendo diretamente relacionados como causadores de obesidade, depressão, ansiedade e baixa auto-estima nos pequenos. O uso diário, deve ser controlado e nunca, exceder 4 horas.

30172202716664

De grão em grão

Para cada fase do seu filho, existem brincadeiras e atitudes que podem estimular a inteligência, sem interferir no seu desenvolvimento ou trazer sofrimento ou traumas.

Veja algumas dicas de brincadeiras adequadas para cada idade, nos dois primeiros anos de vida (retiradas do blog Maternidade no Blog, inspiradas no livro: Brincadeiras criativas para bebês inteligentes):

0,,50348604,00

1)      Caretas

Fazer caretas para o bebê é uma das brincadeiras mais utilizadas pelos pais, amigos e familiares. É uma brincadeira simples que estimula o desenvolvimento da visão e do foco do bebê, alem de melhorar a comunicação e aumentar os laços afetivos.

2)      Sons

Colocar música, fazer sons com objetos ou cantar e conversar com o bebê, alem de acalmar e relaxar o bebê, ajuda-o a se acostumar com o barulho e a localizar de onde vêm os sons e estimula a memória.

3)      Observação

Quando nasce, o bebê não consegue focar em muitos detalhes, enxerga apenas contrastes. Com o tempo a visão do bebê estará se desenvolvendo, portanto colocá-lo sempre em locais diferentes para que ele possa observar coisas diferentes, fará com que ele fortaleça os músculos oculares.

4)      Conversar

Conversar com o bebê é uma atividade muito simples e pode ser feita a todo o momento. Como benefícios dessa atividade temos que o bebê fica mais calmo, reconhece a voz, ajuda no desenvolvimento da linguagem, na interação social e na criação de laços.

5)      De bruços

O bebê pode ser colocado de bruços a partir de duas semanas, mas sempre sobre supervisão (nunca deixar o bebê de bruços se não tiver alguém por perto). É uma brincadeira que ajuda no fortalecimento dos músculos do pescoço, do tronco e da parte superior das costas, alem dos músculos abdominais e alivio de gases e cólicas.

6)      Prestar atenção

O bebê vai adorar ver os pais fazendo qualquer coisa, pois por mais trivial que sejam as tarefas, para ele tudo é novidade. Os músculos oculares do bebê se desenvolvem à medida que focaliza e observa. Ficar sentado lhe observando promove a compreensão do mundo e diminui o refluxo porque ele está sentado além de aliviar sintomas de resfriado, pois a posição ereta ajuda a liberar o muco das vias respiratórias.

7)      Móbiles

Observar coisas fortalece os circuitos neurológicos na região do cérebro que controla o pensamento, ou seja, estimula o desenvolvimento  cerebral além de fortalecer os músculos oculares.

8)      Toque

Juntar vários tipos diferentes de tecidos e dar para o bebê brincar, ajudando-o a segurá-los. Isso estimulará a descoberta de novas coisas e no desenvolvimento do lóbulo parietal do cérebro, alem de aumentar a sensibilidade e melhorar a coordenação entre olhos e mãos.

9)      Banho

Se for possível tomar banho junto com o bebê, isso aumentará os laços criados entre vocês além de gerar confiança dele na água e ajudar no desenvolvimento muscular.

10)   Exercícios com as pernas e braços

Movimentar as pernas e os braços do bebê enquanto conversa e canta com ele ajuda no desenvolvimento muscular e melhora a habilidade motora e a coordenação. É uma brincadeira que promove a interação. Também desenvolve a memória do bebê que aprenderá palavras através das musicas cantadas para ele.

 

 

Exercícios & Idade

VOCÊ SABE QUAL É O MELHOR EXERCÍCIO FÍSICO PARA A SUA IDADE? CONFIRA AS DICAS E EXPLICAÇÕES DE UM EDUCADOR FÍSICO E ESCOLHA A MELHOR ATIVIDADE PARA O SEU MOMENTO

Quem acha que está cedo ou que é tarde demais, está enganado: os exercícios físicos são recomendados em todas as idades. Para as crianças, as brincadeiras e a diversão já contam como exercícios; já os idosos precisam de acompanhamento contínuo e um programa eficiente para fortalecer e manter o corpo ativo e sadio. O Blog Homeopatia e Saúde conversou com o educador físico Rafael Castro e traz agora dicas sobre as melhores práticas em qualquer idade.

“A atividade física é importante para as diferentes fases do desenvolvimento infantil. Além de diminuir o risco de obesidade, estimula a coordenação motora e ajuda no desenvolvimento intelectual da criança. E na fase adulta é importante para ter saúde e bem estar”, pontua Castro. “Ela é importante para todos e não só pra quem está acima ou abaixo do peso. Com o exercício físico indicado e com acompanhamento de um profissional a pessoa pode ganhar massa magra e chegar ao peso ideal”, completa.

Crianças

CRIANÇAS + EXERCICIOS

Antes de iniciar qualquer atividade física é preciso preparar o corpo com aquecimento e alongamento. As duas ações previnem contra lesões durante a prática do exercício e são recomendadas para toda e qualquer prática.

As crianças estão em constante movimento e até os 5 ou 6 anos a realização de exercícios deve se restringir às atividade lúdicas e naturais das brincadeiras infantis – como correr, pular corda, dar cambalhota. Caso desejem praticar esportes específicos, os mais indicados são a natação, a ginástica artística, o judô e o ballet. “A natação pode ser uma escolha desde os primeiros meses, pois aproxima o bebê da sensação que tinha quando estava no útero”, pondera Castro. Ele completa: “Os esportes e as brincadeiras são suficientes. Lembrando que as atividades devem ser mais lúdicas e de movimentos simples para que a criança não perca o gosto do exercício.

Dos 6 aos 12 anos, uma boa pedida são os esportes com bola – como futebol, basquete, vôlei, handball – já que, até então, as crianças não estão com todas as funções motoras formadas. “A partir dos 6 anos, a estruturação corporal já permite que ela pegue a bola e arremesse de volta, por exemplo”, resume o educador físico.

Além disso, os esportes coletivos e as competições promovem a integração social – o que é bastante recomendado também para adolescentes. “As atividades individuais, como musculação e boxe, podem ser incluídas no cotidiano de pessoas entre 13 e 19 anos”.

Jovens

MUSCULACAO

Castro, que atua como personal trainner, lembra que a musculação e os exercícios em série com pesos não causam prejuízo para as crianças, “desde que haja avaliação individual e que a série de exercícios não sobrecarregue tendões e ossos”. O especialista lembra que, nessa faixa etária, o mais importante é oferecer atividades “que ajudam a desenvolver a coordenação motora como um todo, deixando que o adolescente escolha a que mais lhe agrada”.

Dos 20 aos 65 anos, período conhecido como “idade adulta”, é possível diversificar as opções de exercícios físicos e práticas esportivas. Entretanto, é necessário estar atento às mudanças que o corpo e o organismo apresentam em cada fase para otimizar o resultado da atividade física.  Assim, dos 20 aos 25 anos são recomendados exercícios em suspensão – que combinam roldanas e cordas fixadas ao teto para elevar o corpo, de forma a usar o próprio peso na execução dos movimentos; ginástica localizada, running, bicicleta indoor e Pilates.

Dos 26 aos 35 anos não há restrições de exercícios já que “o corpo já se desenvolveu ao máximo e ainda permite muito esforço”, segundo Castro. O personal dá uma dica: “só precisa ter muita atenção na postura, para que não tenha problemas desde cedo”, diz.

A partir dos 36 anos, mais ou menos, a preocupação com a saúde e com a estética aumentam, pois as repostas metabólicas e fisiológicas não são mais as mesmas. “As respostas ficam mais lentas e fica mais difícil emagrecer”, adverte Castro. Por  isso, a musculação é a atividade mais indicada, “pois ajuda nos resultados estéticos, nas articulações e, ainda, fortalece o corpo”, resume ele.

Adultos

ALONGAMENTO

Perto dos 45 anos começam a surgir as restrições na realização de exercícios físicos – e a presença de um “treinador” torna-se necessária. Nessa fase, que vai até os 55 anos, os exercícios aeróbicos precisam ser mais intensos do que a musculação. O período também pede atenção ao coração, que precisa ganhar mais resistência, principalmente pois existe uma tendência maior de acúmulo de peso e dificuldade de emagrecimento.

A partir dos 55, 56 anos, a atividade física torna-se uma obrigação “pela diminuição de massa óssea, problemas cardíacos, aumento da gordura corporal, pela postura que tende a piorar com o tempo, entre outros fatores”, declara Castro. Musculação, hidroginástica e caminhada são opções de exercícios para essa fase.

Idosos

IDOSOS + EXERCICIOS

A recomendação da prática de exercícios para idosos inclui outros benefícios, além do corpo saudável. Para eles, as atividades físicas aumentam a qualidade e a expectativa de vida; melhoram a disposição, a autoconfiança, a memória e a independência, entre outros fatores. “Porém, o cuidado precisa ser redobrado, pois já existem muitas limitações, as articulaçãoes e a agilidade não são mais as mesmas, a disposição é menor, o cansaço e as dores estão mais presentes”, lembra Rafael Castro.

Mas nada disso, a não ser determinadas limitações físicas, impedem o idoso de se exercitar, “pelo contrário, precisam ser um estímulo para melhorar a saúde, pois as atividades físicas diminuem o risco de diversas patologias, incapacidades, melhora a mobilidade, aumenta o nível de energia, ausência de dores, além de auxiliar na minimização das alterações biológicas do envelhecimento”, declara. Assim, as caminhadas, a hidroginástica, e a musculação – com pesos leves e sequências curtas – são os exercícios mais indicados para a “melhor idade“.

Obesos

obesidade + EXERCICIOS

Quem está acima do peso, especialmente quem já chegou à obesidade, pode seguir as recomendações de atividades físicas expostas acima. Para esses indivíduos, entretanto, a cautela é ainda mais necessária. A prática de atividades deve começar devagar, com aumento progressivo de intensidade. “Obesos não podem ter muito impacto para não lesionar joelho e tornozelo”, adverte o personal. Castro reitera que, nesses casos, o lado psicológico da pessoa precisa ser trabalhado juntamente com o físico, de forma a evitar que a pessoa desista da atividade. “Os obesos precisam ser acompanhados mais de perto para motivá-los a continuar na prática e, também, para evitar que ele se abale ou se lesione”, finaliza Castro.

29 de Agosto – Dia Nacional de Combate ao Fumo

O cigarro fez mais de 100 milhões de vítimas fatais no século XX. Mais de 200 mil mortes por ano são consequências desse hábito nefasto só no Brasil. Estima-se que no século XXI as mortes relacionadas ao uso do cigarro subirão para mais de um bilhão em todo o mundo. Sem falar nas incontáveis doenças que não tiram a vida, mas não deixam viver. Conheça mais alguns bons motivos para deixar de fumar

036

O INCA (Instituto Nacional de Combate ao Câncer) elegeu o dia 29 de agosto para marcar como Dia Nacional de Combate ao Fumo. Esse ano a instituição escolheu como tema da campanha que marca a data a conscientização sobre os males do fumo passivo.

Um número incontável de vítimas de doenças respiratórias e cardiovasculares é em decorrência do fumo passivo. Segundo um estudo divulgado no último mês, por pesquisadores da Universidade de York, no Reino Unido, não fumantes podem adquirir problemas de saúde e até câncer devido às partículas de fumaça de tabaco no ambiente. Segundo Daniel Knupp, Vice Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, as descobertas desse estudo demandam campanhas específicas.

“Hoje, a imagem geral do fumo na sociedade é mais negativa. Mesmo os não fumantes têm conhecimento da dimensão do malefício do cigarro no convívio com o fumante, mas não uma dimensão clara da magnitude desse risco. É importante que os não fumantes tenham ciência de que a incidência de certas doenças pode ser tão elevada para eles quanto para o próprio fumante e tenham autonomia para cobrar o direito de um ambiente livre de tabaco”, disse Knupp.

Sem-título

Cigarro e os números

– O tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo o mundo;

– É responsável por cinco milhões de mortes ao ano no mundo, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia;

– No mundo 1 bilhão e 200 milhões de pessoas são fumantes

– Entre esses, apenas 200 milhões são mulheres;

– Cem milhões de mortes foram causadas pelo tabaco no século XX;

– Estima-se que no século XXI esse número seja 10 vezes maior, chegando a um bilhão;

– Metade dessas mortes será em fumantes em idade produtiva, ente 35 e 69 anos;

– No início dos anos 1990, no Brasil, 35% da população brasileira com mais de 15 anos era fumante. Esse indicie baixou para 16,4% em 2007;

– Pesquisas comprovam que aproximadamente 47% de toda a população mundial masculina e 12% da população feminina no mundo fumam;

– O tabaco é a segunda droga mais consumida entre os jovens, no mundo e no Brasil, e isso se deve às facilidades e estímulos para obtenção do produto, entre eles o baixo custo, a curiosidade pelo produto estimulada pela imitação do comportamento do adulto e a promoção e o marketing de produtos derivados do tabaco;

– Noventa por cento dos fumantes iniciaram seu consumo antes dos 19 anos de idade, faixa em que o indivíduo ainda se encontra na fase de construção de sua personalidade;

– O fumante é um dependente químico e está sujeito a mais de 2.450 doenças

– O tabagismo é diretamente responsável por 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença coronariana, 85% das mortes por doença pulmonar obstrutiva crônica e 25% das mortes por doença cerebrovascular;