Exercícios & Idade

VOCÊ SABE QUAL É O MELHOR EXERCÍCIO FÍSICO PARA A SUA IDADE? CONFIRA AS DICAS E EXPLICAÇÕES DE UM EDUCADOR FÍSICO E ESCOLHA A MELHOR ATIVIDADE PARA O SEU MOMENTO

Quem acha que está cedo ou que é tarde demais, está enganado: os exercícios físicos são recomendados em todas as idades. Para as crianças, as brincadeiras e a diversão já contam como exercícios; já os idosos precisam de acompanhamento contínuo e um programa eficiente para fortalecer e manter o corpo ativo e sadio. O Blog Homeopatia e Saúde conversou com o educador físico Rafael Castro e traz agora dicas sobre as melhores práticas em qualquer idade.

“A atividade física é importante para as diferentes fases do desenvolvimento infantil. Além de diminuir o risco de obesidade, estimula a coordenação motora e ajuda no desenvolvimento intelectual da criança. E na fase adulta é importante para ter saúde e bem estar”, pontua Castro. “Ela é importante para todos e não só pra quem está acima ou abaixo do peso. Com o exercício físico indicado e com acompanhamento de um profissional a pessoa pode ganhar massa magra e chegar ao peso ideal”, completa.

Crianças

CRIANÇAS + EXERCICIOS

Antes de iniciar qualquer atividade física é preciso preparar o corpo com aquecimento e alongamento. As duas ações previnem contra lesões durante a prática do exercício e são recomendadas para toda e qualquer prática.

As crianças estão em constante movimento e até os 5 ou 6 anos a realização de exercícios deve se restringir às atividade lúdicas e naturais das brincadeiras infantis – como correr, pular corda, dar cambalhota. Caso desejem praticar esportes específicos, os mais indicados são a natação, a ginástica artística, o judô e o ballet. “A natação pode ser uma escolha desde os primeiros meses, pois aproxima o bebê da sensação que tinha quando estava no útero”, pondera Castro. Ele completa: “Os esportes e as brincadeiras são suficientes. Lembrando que as atividades devem ser mais lúdicas e de movimentos simples para que a criança não perca o gosto do exercício.

Dos 6 aos 12 anos, uma boa pedida são os esportes com bola – como futebol, basquete, vôlei, handball – já que, até então, as crianças não estão com todas as funções motoras formadas. “A partir dos 6 anos, a estruturação corporal já permite que ela pegue a bola e arremesse de volta, por exemplo”, resume o educador físico.

Além disso, os esportes coletivos e as competições promovem a integração social – o que é bastante recomendado também para adolescentes. “As atividades individuais, como musculação e boxe, podem ser incluídas no cotidiano de pessoas entre 13 e 19 anos”.

Jovens

MUSCULACAO

Castro, que atua como personal trainner, lembra que a musculação e os exercícios em série com pesos não causam prejuízo para as crianças, “desde que haja avaliação individual e que a série de exercícios não sobrecarregue tendões e ossos”. O especialista lembra que, nessa faixa etária, o mais importante é oferecer atividades “que ajudam a desenvolver a coordenação motora como um todo, deixando que o adolescente escolha a que mais lhe agrada”.

Dos 20 aos 65 anos, período conhecido como “idade adulta”, é possível diversificar as opções de exercícios físicos e práticas esportivas. Entretanto, é necessário estar atento às mudanças que o corpo e o organismo apresentam em cada fase para otimizar o resultado da atividade física.  Assim, dos 20 aos 25 anos são recomendados exercícios em suspensão – que combinam roldanas e cordas fixadas ao teto para elevar o corpo, de forma a usar o próprio peso na execução dos movimentos; ginástica localizada, running, bicicleta indoor e Pilates.

Dos 26 aos 35 anos não há restrições de exercícios já que “o corpo já se desenvolveu ao máximo e ainda permite muito esforço”, segundo Castro. O personal dá uma dica: “só precisa ter muita atenção na postura, para que não tenha problemas desde cedo”, diz.

A partir dos 36 anos, mais ou menos, a preocupação com a saúde e com a estética aumentam, pois as repostas metabólicas e fisiológicas não são mais as mesmas. “As respostas ficam mais lentas e fica mais difícil emagrecer”, adverte Castro. Por  isso, a musculação é a atividade mais indicada, “pois ajuda nos resultados estéticos, nas articulações e, ainda, fortalece o corpo”, resume ele.

Adultos

ALONGAMENTO

Perto dos 45 anos começam a surgir as restrições na realização de exercícios físicos – e a presença de um “treinador” torna-se necessária. Nessa fase, que vai até os 55 anos, os exercícios aeróbicos precisam ser mais intensos do que a musculação. O período também pede atenção ao coração, que precisa ganhar mais resistência, principalmente pois existe uma tendência maior de acúmulo de peso e dificuldade de emagrecimento.

A partir dos 55, 56 anos, a atividade física torna-se uma obrigação “pela diminuição de massa óssea, problemas cardíacos, aumento da gordura corporal, pela postura que tende a piorar com o tempo, entre outros fatores”, declara Castro. Musculação, hidroginástica e caminhada são opções de exercícios para essa fase.

Idosos

IDOSOS + EXERCICIOS

A recomendação da prática de exercícios para idosos inclui outros benefícios, além do corpo saudável. Para eles, as atividades físicas aumentam a qualidade e a expectativa de vida; melhoram a disposição, a autoconfiança, a memória e a independência, entre outros fatores. “Porém, o cuidado precisa ser redobrado, pois já existem muitas limitações, as articulaçãoes e a agilidade não são mais as mesmas, a disposição é menor, o cansaço e as dores estão mais presentes”, lembra Rafael Castro.

Mas nada disso, a não ser determinadas limitações físicas, impedem o idoso de se exercitar, “pelo contrário, precisam ser um estímulo para melhorar a saúde, pois as atividades físicas diminuem o risco de diversas patologias, incapacidades, melhora a mobilidade, aumenta o nível de energia, ausência de dores, além de auxiliar na minimização das alterações biológicas do envelhecimento”, declara. Assim, as caminhadas, a hidroginástica, e a musculação – com pesos leves e sequências curtas – são os exercícios mais indicados para a “melhor idade“.

Obesos

obesidade + EXERCICIOS

Quem está acima do peso, especialmente quem já chegou à obesidade, pode seguir as recomendações de atividades físicas expostas acima. Para esses indivíduos, entretanto, a cautela é ainda mais necessária. A prática de atividades deve começar devagar, com aumento progressivo de intensidade. “Obesos não podem ter muito impacto para não lesionar joelho e tornozelo”, adverte o personal. Castro reitera que, nesses casos, o lado psicológico da pessoa precisa ser trabalhado juntamente com o físico, de forma a evitar que a pessoa desista da atividade. “Os obesos precisam ser acompanhados mais de perto para motivá-los a continuar na prática e, também, para evitar que ele se abale ou se lesione”, finaliza Castro.

2014-09-08T22:11:56-03:00 08/09/2014|BEM-ESTAR, DICAS, SAÚDE|1 Comentário

Um Comentário

  1. Similia Homeopatia 02/21/2016 em 18:36 - Responder

    olá João
    Obrigada por sua mensagem.
    Na verdade o texto dá uma ideia geral para cada fase da vida. Mas o ideal é você procurar um médico ou preparador físico para avaliar as suas condições físicas e de saúde, e descobrir o melhor exercício físico para você.
    Boa sorte.

Deixar Um Comentário